BEM-VINDO A NOVA YORK

welcometonewyork01

Não. “Godzilla” não é o melhor filme de monstro de 2014. Este seria “Bem-Vindo a Nova York”, em que Gérard Depardieu interpreta Devereaux, uma versão fictícia do ex-diretor do FMI Dominique Strauss-Kahn, que renunciou ao cargo após a acusação de violência sexual feita por uma camareira. Abel Ferrara já havia feito pelo menos outros dois filmes de “monstros” em Nova York: “O Rei de Nova York” (1990) e “Vício Frenético” (1992). Aqui, ele segue o protagonista com sua câmera demonstrando a mesma cumplicidade, sem se eximir da quebra da quarta parede. Devereaux — um homem rico e soberano que age como um imperador da antiguidade, vivendo entre orgias e bebedeiras — lança seu olhar para a câmera como se ele já estivesse em um tribunal e nós fôssemos o júri. Mas o que Ferrara propõe com o filme não é uma condenação, e sim uma análise. Seu protagonista é facilmente condenável (pela sociedade pelo menos, já que a Justiça não conseguiu comprovar sua culpa), mas pode ser também alguém de comportamento patológico, cuja compreensão está mais distante do juízo comum. Não que o filme peça por essa compreensão, mas coloca o personagem sob uma luz que expõe sua intimidade (ao imaginá-la) e automaticamente o fragiliza. Se é fácil condená-lo (e diante do que o filme mostra, ele tem que ser legalmente punido), na mesma proporção é difícil admitir que você pode falhar como ele e, diante de todo o poder conquistado, se transformar naquele monstro. Ninguém sabe até estar lá e os olhares que Devereaux nos lança parecem exatamente pedir para que a gente se coloque na pele dele, tal como Depardieu fez — e aí vale lembrar da cena da entrevista, logo no início do filme (se ela é real ou encenada não importa realmente), em que o ator declara sua aversão pelo personagem e diz que este foi o motivo pelo qual aceitou o papel. ■

Nota: 8/10 — para ter na coleção

BEM-VINDO A NOVA YORK (Welcome to New York, 2014, EUA) — direção: Abel Ferrara; roteiro: Abel Ferrara, Christ Zois; fotografia: Ken Kelsch; montagem: Anthony Redman; com Gérard Depardieu, Jacqueline Bisset, Marie Mouté, Amy Ferguson, Drena De Niro, Paul Calderon, Ronald Guttman; distribuição: Imovision. 103 min
%d blogueiros gostam disto: