Em sua 5ª edição, a Mostra Tiradentes SP — edição paulista do festival realizado anualmente em Tiradentes (MG) há vinte anos — começa nesta quinta-feira, 23 de março, com a exibição do filme vencedor da Mostra Aurora 2017: “Baronesa”, dirigido por Juliana Antunes (leia entrevista com a cineasta e equipe).

A sessão de abertura acontece às 20h, no CineSesc, e contará, também, com performance audiovisual, dirigida por Chico de Paula e Grazi Medrado e participação especial da cantora Fabiana Cozza, que apresentará a temática, a programação e o conceito do evento: “Cinema em Reação, Cinema em Reinvenção”. Um debate sobre “Baronesa” fecha a noite, com a participação de Juliana e do curador Cleber Eduardo.

A Mostra Tiradentes SP exibirá, até 29 de março, um total de 36 filmes (21 longas e 15 curtas) que compuseram a programação oficial da edição mineira. A forte presença feminina se repete na itinerância do evento, capitaneada pela Retrospectiva Helena Ignez, uma homenagem à atriz, produtora e diretora, ícone do Cinema Marginal. Dentre os filmes da Mostra Aurora, destaque para “Histórias que nosso Cinema (Não) contava” (SP), de Fernanda Pessoa (leia entrevista). E na Mostra Cinema em Reação, os filmes dirigidos por mulheres são: “Precisamos Falar do Assédio” (SP), de Paula Sacchetta, “Modo de Produção” (PE), de Dea Ferraz, e “Homem-Peixe” (MG), de Clarisse Alvarenga.

Exclusivo da edição paulista, o filme “Intimidade Pública”, de Luciana Canton (SP), será exibido pela primeira vez no Brasil depois de ser premiado no exterior. Outra novidades em relação ao evento mineiro é a Mostra Cena Paulista, que reúne quatro curtas paulistanos.

Nós do cinematório vimos em Tiradentes e também recomendamos: “Corpo Delito” (CE), de Pedro Rocha; “Subybaya” (MG), de Leo Pyrata; “Guerra do Paraguay” (RJ), de Luiz Rosemberg Filho; “Terra e Luz” (GO), de Renné França (ouça entrevista); “Lamparina Da Aurora” (MA), de Frederico Machado (leia entrevista); e os curtas “Autopsia” (RJ), de Mariana Barreiros, “Estado Itinerante” (MG), de Ana Carolina Soares; “Nunca é noite no mapa” (PE), de Ernesto de Carvalho, “Ferroada” (SP), de Adriana Barbosa e Bruno Mello Castanho, “Cinemão” (CE), de Mozart Freire, e “Vando Vulgo Vedita” (CE), de Andréia Pires e Leonardo Mouramateus (eleito o melhor curta da Mostra Foco pelo Júri da Crítica, ganhou o Prêmio Aquisição do Canal Brasil).

Confira a nossa cobertura completa da 20ª Mostra de Tiradentes.

Debate

Na terça-feira, 26 de março, às 19h30, no hall do CineSesc, será promovido o debate “Cinema em Reação, Cinema em Reinvenção”, com a participação dos curadores Cleber Eduardo e Lila Foster e da homenageada Helena Ignez, com mediação da crítica de cinema Flávia Guerra. De acordo com a Universo Produção, realizadora do evento, “a conversa tratará do desafio contemporâneo, no cinema e em outras artes, de reagir às particularidades do tempo histórico, sobretudo pelo viés político do comentário, da denúncia ou da reivindicação social, sem perda de um empenho formal”.

Confira a programação completa aqui.

SERVIÇO

Mostra Tiradentes  SP

23 a 29 de março de 2017

CineSesc (Rua Augusta, 2075 – Cerqueira César)

Tel.: (11) 3087-0500

Ingressos: R$ 3,50 para associados Sesc (com apresentação da carteirinha plena), R$ 6 (meia-entrada) e R$ 12 (inteira).

Mais informações aqui.

%d blogueiros gostam disto: