Grandes Cenas estreia segunda temporada no Curta! com “Central do Brasil”

Estreia nesta quarta-feira, 12 de julho, no Canal Curta!, a segunda temporada da série Grandes Cenas, produzida pela Casa de Cinema de Porto Alegre e dirigida por Ana Luiza Azevedo e Vicente Moreno. O programa tem apresentação do ator e cineasta Matheus Nachtergaele.

A série documental traz a cada episódio, de 15 minutos de duração, análises de uma grande cena de filmes brasileiros e latino-americanos. Participam das entrevistas nomes como Jorge Furtado, Murilo Salles, Pablo Stoll, Pablo Trapero, entre outros.

Na estreia, a atriz Fernanda Montenegro esmiúça seu processo de composição da personagem Dora em “Central do Brasil” (1997), revivendo a experiência de filmar com o diretor Walter Salles a intensa cena da romaria, em que Dora perde Josué em meio a centenas de fiéis.

Grandes Cenas apresenta os episódios inéditos sempre às quartas-feiras, às 23h40.

Os episódios da primeira temporada estão disponíveis on demand no Vimeo e no Now.

Confira a relação completa dos episódios da segunda temporada:

13. Central do Brasil

A atriz Fernanda Montenegro esmiúça seu processo de composição da personagem Dora em Central do Brasil (1997), revivendo a experiência de filmar a intensa cena da romaria, em que Dora perde Josué em meio a centenas de fiéis.

14. Todas as Mulheres do Mundo

O diretor e roteirista Jorge Furtado analisa a cena do poema em Todas as Mulheres do Mundo (1966); na ficção, uma declaração de amor de Paulo a Maria Alice; na realidade, uma sessão de terapia para Domingos de Oliveira e Leila Diniz.

15. Como Nascem os Anjos

O diretor Murilo Salles percorre em detalhes a cena dos seios em Como Nascem os Anjos (1996), indo dos personagens à câmera, do conflito da cena aos grandes temas do filme: a desigualdade social e a invasão cultural que a TV a cabo iniciou no Brasil.

16. São Paulo, Sociedade Anônima

O crítico Jean-Claude Bernardet destrincha a cena da ruptura entre Carlos e Luciana em São Paulo, Sociedade Anônima (1965), explorando-a plano a plano, destacando objetos, analisando gestos e evocando as motivações do seu amigo e diretor Luís Sérgio Person.

17. A Ostra e o Vento

O diretor Walter Lima Júnior dá uma aula de cinema ao falar sobre a cena do lençol em A Ostra e o Vento (1997), um exemplo de como a câmera pode transmitir um sentimento e até mesmo encarnar um personagem.

18. Whisky

O diretor uruguaio Pablo Stoll nos transporta para o universo decadente e agridoce de Whisky (2004), descrevendo a cena do karaokê e seus personagens tão estáticos, tão melancólicos, mas repletos de sentimentos latentes.

19. Alma Corsária

O crítico Inácio Araújo e a montadora Cristina Amaral traçam pontos de contato entre a obra de Carlos Reichembach e a cena do piano na pastelaria em Alma Corsária (1993), uma homenagem ao paradoxo: estranha e sublime, popular e erudita.

20. Macunaíma

O montador Eduardo Escorel debate a cena da feijoada antropofágica em Macunaíma (1969), adaptação que Joaquim Pedro de Andrade faz do romance de Mário de Andrade, levando o fantástico e a farsa para o cinema de forma tão original e tão brasileira.

21. Abutres

O diretor argentino Pablo Trapero discute as dificuldades de filmagem e as questões estéticas que envolveram a cena do atropelamento forjado em Abutres (2010), um elaborado e impressionante plano sequência que produz uma reviravolta na trama.

22. Eu Te Amo

O diretor de fotografia Murilo Salles e o crítico Marcus Mello problematizam a cena da despedida de Bárbara em Eu Te Amo (1981), de Arnaldo Jabor, uma antecipação quase profética do virtual tomando conta das relações afetivas.

%d blogueiros gostam disto: