Search results: "label/awards" (page 1 of 4)

cinematório awards! 2009 – Sammies

A quinta edição do cinematório awards! apresenta agora os vencedores do Sammie em oito categorias. Cada um leva para casa a magnífica estatueta dourada, moldada na forma do careca mais cool de todos os tempos, o embaixador da nossa humilde premiação: sir Samuel “The Man” L. Jackson.

Diálogo do Ano

Batman – O Cavaleiro das Trevas

Coringa (para Rachel):

Você parece nervosa. São as cicatrizes? Quer saber como eu as consegui? Eu tinha uma esposa – e ela era linda, como você – que dizia que eu me preocupava muito, que dizia que eu devia sorrir mais, que jogava e se metia com canalhas. Um dia, eles marcaram a cara dela. E nós não tinhamos dinheiro para cirurgias. Ela não conseguia suportar. Eu só queria vê-la sorrindo de novo. Eu só queria mostrar para ela que eu não me importava com as cicatrizes. Então, eu enfiei uma navalha na boca e fiz isso, comigo mesmo. E quer saber? Ela não conseguia mais olhar para mim! Ela foi embora! Agora, eu vejo o lado engraçado. Agora, eu estou sempre sorrindo!

Assista! Clique aqui.

Melhor Final

“O Nevoeiro”, de Frank Darabont. Quem jamais esperaria por aquilo?

Assista! ATENÇÃO: SPOILER!

O Cara Mais Engraçado

Robert Downey Jr. como Kirk Lazarus em “Trovão Tropical”.

Assista! Clique aqui.

Cena Mais Hilária

A “suecagem” de “Os Caça-Fantasmas” em “Rebobine Por Favor”, de Michel Gondry.

Assista!

Melhor Referência ou Citação

“I have a bad feeling about this.” – Indiana Jones remetendo a Han Solo em “Indiana Jones e o Reino da Caveira de Cristal”, de Steven Spielberg.

Filme que Mais Chocou, Incomodou ou Perturbou

“Ensaio Sobre a Cegueira”, de Fernando Meirelles. Não só por fornecer uma tenebrosa visão (trocadilho infame intencional) do apocalipse humano, mas também por todo o clima angustiante causado apenas com uso do branco.


Melhor Dublagem

Ben Burtt, como WALL•E e M-O, e Elissa Knight, como EVA, em “WALL•E”.

Melhor Trailer Falso

A “suecagem” do trailer de “Rebobine, Por Favor”, feita por Michel Gondry.

Assista!

Não acabou! Confira os troféus especiais no post abaixo.

cinematório awards!

Criado em 2004, não apenas com o intuito de indicar os melhores e os piores filmes, mas também para lembrar os destaques do ano nas mais diversas e inusitadas categorias, o cinematório awards! cresce e ganha novos moldes a cada ano. A partir de 2007, foi instituído o Sammie – troféu principal que é entregue aos vencedores da categoria Melhor Filme e de outros “melhores” distribuídos a cada ano por nossa equipe. Como você pode perceber, o Sammie tem esse nome por ostentar a imagem do “Cara dos Caras”, Mr. Samuel L. Jackson.

 

Confira, a seguir, todas as edições da nossa premiação.

 

– 2015 –

Sammies e Troféus Especiais

Os melhores e os piores

Por Ela Eu Entro em Coma!

Por Eles ELAS Entram em Coma!
 

– 2014 –

Sammies e Troféus Especiais

Os melhores e os piores

Por Ela Eu Entro em Coma!

Por Eles ELAS Entram em Coma!

 

– 2013 –

Sammies e Troféus Especiais

Os melhores e os piores

Por Ela Eu Entro em Coma!

Por Eles ELAS Entram em Coma!

 

– 2012 –

Sammies e Troféus Especiais

Os melhores e os piores

Por Ela Eu Entro em Coma!

Por Eles ELAS Entram em Coma!

 

– 2011 –

Sammies e Troféus Especiais

Os melhores e os piores

Por Ela Eu Entro em Coma!

Por Eles ELAS Entram em Coma!

 

– 2010 –

Sammies e Troféus Especiais

Os melhores e os piores

Por Ela Eu Entro em Coma!

Por Eles ELAS Entram em Coma!

 

– 2009 –

Sammies e Troféus EspeciaisOs melhores e os piores

Os melhores – versão estendida

Por Ela Eu Entro em Coma!

Por Eles ELAS Entram em Coma!

 

– 2008 –

Sammies e Troféus EspeciaisOs melhores e os piores

Os melhores – versão estendida

Por Ela Eu Entro em Coma!

 

– 2007 –

Sammies e Troféus Especiais

Os melhores e os piores

Os melhores – versão estendida

Por Ela Eu Entro em Coma!

Melhores filmes inéditos nos cinemas brasileiros

 

– 2006 –

Troféus Especiais

Os melhores e os piores

Os melhores – versão estendida

Por Ela Eu Entro em Coma!

 

– 2005 –

Troféus Especiais

Os melhores e os piores

Os melhores – versão estendida

Por Ela Eu Entro em Coma!

 

– 2004 –

Troféus Especiais (incluindo Por Ela Eu Entro em Coma)

Os melhores filmes

cinematório awards 2009!

Após mais uma chatíssima cerimônia de entrega dos Globos de Ouro (ah, se não fosse o Mickey Rourke!), nada melhor do que iniciarmos a edição 2009 do cinematório awards!

Quem acompanha, sabe que nossa premiação anual se divide em etapas. Além da eleição dos melhores filmes do ano que passou, entregamos o Sammie – troféu simbólico concedido aos destaques que a maioria dos prêmios não valoriza, como a cena mais hilária do ano, o melhor diálogo, a melhor referência e por aí vai. Também temos os prêmios especiais (troféu “John Travolta”, troféu “Cera de Carnaúba”, “Oscar Confiscado”, entre outros). E, claro, o celebrado troféu “Por Ela Eu Entro em Coma!” – que este ano ganha sua contraparte, para a felicidade das leitoras que se sentiram ultrajadas por nosso machismo ao longo dos últimos quatro anos (agradeçam à Mariana e à minha noiva, Raquel).

Mas não vamos passar o carro na frente dos bois! Comecemos, então, com a revelação de nossas listas de melhores e piores filmes de 2008.
Os melhores filmes

Por relação de coincidência, o melhor filme absoluto de 2008, e que recebe seu respectivo Sammie, é “Batman – O Cavaleiro das Trevas“. O épico pop policial de Christopher Nolan foi o único título citado nas três listas. Merecidamente. Confira abaixo as seleções individuais de cada integrante da equipe do cinematório. Assim, você pode ter uma noção dos gostos de cada um.

As 10 obras-primas de 2008, por Renato Silveira*

1. “Na Natureza Selvagem”, de Sean Penn
2. “Sangue Negro”, de Paul Thomas Anderson
3. “WALL•E”, de Andrew Stanton
4. “Onde os Fracos Não Têm Vez”, de Ethan & Joel Coen
5. “Não Estou Lá”, de Todd Haynes
6. “Batman – O Cavaleiro das Trevas”, de Christopher Nolan
7. “O Escafandro e a Borboleta”, de Julian Schnabel
8. “Linha de Passe”, de Walter Salles e Daniela Thomas
9. “Feliz Natal”, de Selton Mello
10. “O Orfanato”, de Juan Antonio Bayona

Menções honrosas: “O Nevoeiro”, de Frank Darabont, “Indiana Jones e o Reino da Caveira de Cristal”, de Steven Spielberg – e, sim, “Fim dos Tempos”, de M. Night Shyamalan

*Tradicionalmente, eu também divulgo a versão estendida da minha lista, com todos os filmes a que assisti no ano. Para acessá-la, clique aqui.

As 10 obras-primas de 2008, por Guilherme Tomasi

1. “Batman – O Cavaleiro das Trevas”, de Christopher Nolan
2. “Sangue Negro”, de Paul Thomas Anderson
3. “Apenas uma Vez”, de John Carney
4. “Ensaio Sobre a Cegueira”, de Fernando Meirelles
5. “Onde os Fracos Não Tem Vez”, de Ethan & Joel Coen
6. “Homem de Ferro”, de Jon Favreau
7. “Não Estou Lá”, de Todd Haynes
8. “Senhores do Crime”, de David Cronenberg
9. “Marley & Eu”, de David Frankel
10. “Rebobine, Por Favor”, de Michel Gondry

Menção honrosa: “Hellboy II – O Exército Dourado”, de Guillermo del Toro

As 10 obras-primas de 2008, por Mariana Deslandes

1. “Ensaio Sobre a Cegueira”, de Fernando Meirelles
2. “Na Natureza Selvagem”, de Sean Penn
3. “WALL•E”, de Andrew Stanton
4. “O Escafandro e a Borboleta”, de Julian Schnabel
5. “Sweeney Todd – O Barbeiro Demoníaco da Rua Fleet”, de Tim Burton
6. “Batman – O Cavaleiro das Trevas”, de Christopher Nolan
7. “Meu Nome Não é Johnny”, de Mauro Lima
8. “Vicky Cristina Barcelona”, de Woody Allen
9. “Persépolis”, de Vincent Paronnaud e Marjane Satrapi
10. “O Mistério do Samba”, de Lula Buarque de Hollanda e Carolina Jabor

Os piores filmes

Como não houve relação de coincidência em relação a um só filme nas três listas, pela primeira vez temos um empate técnico entre seis coisinhas! “Awake – A Vida Por um Fio“, “Imagens do Além“, “O Olho do Mal“, “Espelhos do Medo“, além de “10.000 A.C.” e “Max Payne” aparecem pelo menos duas vezes nas relações abaixo. Vamos atirar o osso para cima e deixar o pau quebrar entre eles, OK?

As 10 bombas de 2008, por Renato Silveira

1. “Um Amor de Tesouro”, de Andy Tennant
2. “Awake – A Vida Por um Fio”, de Joby Harold
3. “Imagens do Além”, de Masayuki Ochiai
4. “O Olho do Mal”, de David Moreau e Xavier Palud
5. “Espelhos do Medo”, de Alexandre Aja
6. “10.000 A.C.”, de Roland Emmerich
7. “Alvin e os Esquilos”, de Tim Hill
8. “Jogos Mortais 5”, de David Hackl
9. “Max Payne”, de John Moore
10. “Orquestra dos Meninos”, de Paulo Thiago

Menções desonrosas: “Os Desafinados”, de Walter Lima Jr., e “Polaróides Urbanas”, de Miguel Falabella

As 10 bombas de 2008, por Guilherme Tomasi

1. “Fim dos Tempos”, de M. Night Shyamalan
2. “As Duas Faces da Lei”, de Jon Avnet
3. “Aliens vs. Predador 2”, de Colin Strause e Greg Strause
4. “O Olho do Mal”, de David Moreau e Xavier Palud
5. “Crepúsculo”, de Catherine Hardwickle
6. “Max Payne”, de John Moore
7. “Imagens do Além”, de Masayuki Ochiai
8. “Perigo em Bangkok”, de Oxide Pang Chun e Danny Pang
9. “Zohan – O Agente Bom de Corte”, de Dennis Dugan
10. “Awake – A Vida Por um Fio”, de Joby Harold

Menção desonrosa: “007 – Quantum of Solace”, de Marc Forster

As 10 bombas de 2008, por Mariana Deslandes

1. “O Guerreiro Didi e a Ninja Lili”, de Marcus Figueiredo
2. “Espartalhões”, de Jason Friedberg e Aaron Seltzer
3. “Super-heróis – A Liga da Injustiça”, de Jason Friedberg e Aaron Seltzer
4. “Aliens vs. Predador 2”, de Colin Strause e Greg Strause
5. “A Guerra dos Rocha”, de Jorge Fernando
6. “10.000 A.C.”, de Roland Emmerich
7. “Super-herói: O Filme”, de Craig Mazin
8. “Sexo com Amor?”, de Wolf Maya
9. “Noites de Tormenta”, de George C. Wolfe
10. “Espelhos do Medo”, de Alexandre Aja

CINEMATÓRIO AWARDS 2006: Outros Destaques do Ano!

O Cara Mais Engraçado do Ano

Bill Murray, por “Flores Partidas”

Menção honrosa para Jackson Antunes, por “Confronto Final” * Não vimos o filme, mas só pelo trailer ele merece uma menção. Se tivéssemos visto, certamente ganharia o prêmio principal.

Cena Mais Hilária

A queda da Baleia, em “O Guia do Mochileiro das Galáxias”.

Transcrição do diálogo:

O Guia: É importante notar que, subitamente e contra qualquer probabilidade, a baleia apareceu do nada, várias milhas acima da superfície de um planeta alienígena. Partindo-se do fato que essa não é a posição ideal para uma baleia, esta inocente criatura teve muito pouco tempo para entender o que ela era de verdade. Estes foram os seus pensamentos enquanto ela caia:

A Baleia: Ahhh! Woooh! O que está acontecendo? Quem sou eu? Porque eu estou aqui? Qual o propósito da minha vida? O que eu quero dizer quando eu digo quem sou eu? Okay okay, fique calmo, segura a onda agora. Ooh, essa sensação é interessante. O que será? É como um formigamento na minha… Bem, eu acho que está na hora de começar a nomear as coisas. Vamos chamar de… Cauda! Yeah! Cauda! E, ei, o que é esse som estrondoso que passa pelo que logo eu vou chamar de cabeça? Vento! É um bom nome? Serve. Yeah, isto é realmente excitante. Estou ficando tonto de tanta antecipação! Ou é por causa do vento? Tem um monte dele agora, não? E o que é essa coisa que está vindo na minha direção bem rápido. Tão grande e chato e redondo, precisa de um nome a sua altura como “ow”, ownge”, cão, drão, chão! Isto! Chão! Ha! Eu me pergunto se ele gostaria de ser meu amigo? Olá, Chão!

[espatifa-se]

O Guia: Curiosamente, a única coisa que passou pela cabeça do vaso de petúnias, enquanto caía, foi: “Oh não, de novo não.”
Melhor Dublagem do Ano

Alan Rickman como Marvin, o Andróide Paranóide, em “O Guia do Mochileiro das Galáxias”.

Diálogo do Ano

Palpatine: Lembre-se de seus primeiros ensinamentos. “Todos que ganham poder têm medo de perdê-lo.” Até mesmo os Jedi.

Anakin: Os Jedi usam seu poder para o Bem.

Palpatine: O Bem é um ponto de vista, Anakin.

– Ian McDiarmid e Hayden Christensen, em “Star Wars: Episódio III – A Vingança dos Sith”

Melhores Referências

A “cena do Papa-Léguas” em “Kung-Fusão” (e suas demais paródias e referências a filmes de ação e luta).

Melhor Final

“Batman Begins”

Menção honrosa para “Star Wars: Episódio III – A Vingança dos Sith”, pelo plano final com o pôr-do-sol em Tatooine.

Melhor DVD

“Os Incríveis” (destaque para o curta com Sr. Incrível e Gelado que parece um desenho dos anos 80 – assista com os comentários!)

Melhores Trilhas Sonoras

“9 Canções”

“Boa Noite e Boa Sorte”

Troféu Samuel L. Jackson (concedido ao que de mais “cool” apareceu na tela)

Mickey Rourke como Marv, em “Sin City – A Cidade do Pecado”.

Filme Que Mais Incomodou e/ou Chocou

“Oldboy”, de Park Chan-wook – para quem acha que revelações em filmes não surpreendem mais.

Troféu John Travolta, ou “Agora Não Dá Mais” ou “Empurrão à Beira do Abismo”

Ben Kingsley, por ter aparecido em bombas como “Os Thunderbirds” e “A Sound of Thunder”. Mas só de ter aceitado trabalhar com Uwe Boll em “BloodRayne” ele já merecia.

Troféu Cera de Carnaúba, para o Mais Canastrão do Ano

Matthew McConaughey, por “Sahara”.

Prêmio James Bond, para a Cena Mais Inverossímil do Ano

Tom Cruise, o único ser humano capaz de destruir um tripode em “Guerra dos Mundos”.

Troféu “Ops! Eu Acho Que Li o Roteiro Errado”

John Cusack, por “Procura-se um Amor que Goste de Cachorros”.

Troféu “Precisou, Tô Lá”

Will Ferrell, visto nada menos que sete vezes ao longo do ano: “Kicking & Screaming” (ou “Papai Bate um Balão, a ser lançado direto em vídeo no Brasil), “A Feiticeira”, “Penetras Bons de Bico”, “Os Produtores”, “Melinda e Melinda” (é de 2004, mas só estreou no Brasil em 2005) e ainda “Winter Passing” e “The Wender Baker Story”, que passaram em festivais. E pensar que o Ferrell levou o troféu de Cara Mais Engraçado no ano passado. Pena que esteja desgastando sua imagemtão rápido.

Troféu “Só Sobrou Você”, para o Pior Casting

Keanu Reeves, por “Constantine”

Troféu “Para Ser Cameo Eu Tinha Que Aparecer Um Minuto a Mais e Não Ser Creditado em Terceiro Lugar no Elenco”

Vince Vaughn, por “Sr. e Sra. Smith”

Troféu “Mofei na Gaveta (e devia ter ficado lá)”

“A Sound of Thunder”

Melhor Interpretação Feminina do Ano

Jake Gyllenhall, por “O Segredo de Brokeback Mountain”

Troféu “Matei as Aulas de Montagem” ou “Proibido Para Epiléticos”

“Domino – A Caçadora de Recompensas”, de Tony Scott

Prêmio Especial “Pior Entonação para um NÃÃÃÃÃOOOOO!!!”

Darth Vader, por “Star Wars: Episódio III – A Vingança dos Sith”

CINEMATÓRIO AWARDS 2006: Por Ela Eu Entro em Coma!

Aviso: este post não é recomendável a cardíacos e feministas.

Tchan-ran-ran-ram! Quem será que venceu o troféu “Por Ela Eu Entro em Coma” 2006? O ano foi bom em termos de filmes, mas tivemos poucas atrizes realmente merecedoras de entrar na tão cobiçada lista. Duas das selecionadas, por exemplo, estão em filmes que só foram exibidos em festivais e só chegam ao circuito em 2006. A curiosidade desta 5ª. edição do prêmio fica por conta da diversificação de nacionalidades: temos beldades dos EUA, Israel, México, Inglaterra, Alemanha… e do Brasil!

Para quem é marinheiro de primeira viagem, o troféu “Por Ela Eu Entro em Coma” tem esse nome devido a sua primeira vencedora, Anna Paquin, que ganhou em 2001 por interpretar a mutante Vampira em “X-Men” (quem toca nela, entra em coma). E ao contrário do que alguns possam imaginar, a eleição das vencedoras não é uma escolha arbitrária. Há critérios, como: o filme tem que ser bom; a atriz tem que trabalhar bem; cena de nudez; cena de lesbianismo (sim, é fetiche, e daí?) etc. Tudo isso influi na posição em que cada uma das vencedoras vai ficar. Jessica Alba, por exemplo, era forte candidata no início do ano, mas como participou da bomba “Quarteto Fantástico” e é uma péssima atriz, ficou de fora.

Bom, chega de papo.

RESPIRE FUNDO, FECHE A PORTA DO QUARTO, APAGUE A LUZ E CONFIRA A SELEÇÃO 2005!

Hors-Concours

Ela já venceu o “Por Ela Eu Entro em Coma” em 2003. Em 2005, apareceu melhor do que nunca em “Closer – Perto Demais”. Seu papel mais maduro também foi o mais prazeroso de se assistir. Olha, eu pagava a grana que fosse para estar naquela sala privativa do clube de strip… Por ter aparecido também em “Hora de Voltar”, “Star Wars: Episódio III” e “Free Zone” (este exibido no Festival do Rio), a Natalie fica nesta posição especial (trocadilho intencional), já que colocá-la em primeiro lugar seria suspeito. Afinal, sou um fã confesso.

5º lugar

Salma Hayek

Por uma única cena em “Ladrão de Diamantes”, a Salma já merecia estar aqui. É quando ela vem engatinhando em direção à câmera, com aquele decote de tirar o fôlego. Palmas para Brett Ratner pela belíssima tomada!

4º lugar

Susanne Bormann

Tentei encontrar uma foto que representasse exatamente o motivo porque esta linda alemã está aqui, mas você vai ter que assistir a “Aprendendo a Mentir” para descobrir. Mas mesmo que o corpo dela não esteja aparecendo na imagem acima, seu rosto ilustra muito bem porque ela foi escolhida. E Susanne ainda tem um sorriso que faz lembrar a Rachel McAdams (grande vencedora do ano passado). Tomara que apareça em mais filmes daqui para frente!

3º lugar

Alison Lohman

Antes que alguém queira me chamar de pedófilo, é bom esclarecer que, apesar da cara de menina, a Alison tem 26 anos! Só que em “Where the Truth Lies” ela não tem nada de criança. Em seu papel mais arriscado até agora, Alison participa de uma cena de nudez e ainda transa com outra garota. Não preciso dizer mais nada. O filme (que é excelente, por sinal) foi exibido no Brasil somente no Festival do Rio e na Mostra BR até agora, mas vai estrear no circuito em 2006 com certeza. Confiram e babem.

2º lugar

Emily Blunt

“No interior de Yorkshire, Mona conhece a exótica e mimada Tasmin. Durante o verão, as duas jovens descobrem que elas têm muito para ensinar uma a outra, e muito para explorarem juntas.” A inglesinha Emily Blunt começa sua carreira muito bem com “Meu Amor de Verão”, também exibido em festivais no ano passado. Esse pecado de mulher passou em todos os critérios do troféu, portanto, está aqui mais do que merecidamente. E que belo par de seios!

1º lugar

Alice Braga

Pela primeira vez na história deste prêmio, uma brasileira fica com o primeiro lugar! A sobrinha de Sônia Braga está um espetáculo em “Cidade Baixa”, filme que ficou entre os meus 10 mais de 2005. Alice não está nada glamorosa na tela. Ela interpreta uma prostituta e se veste e se maquia como tal. Mas, mesmo assim, com seus olhares desafiadores e aquele rebolado sem vergonha, me vi imediatamente seduzido. A cena que garantiu a vitória de Alice é aquela em que ela está dançando no poste e, para provocar Wagner Moura e Lázaro Ramos, faz um strip completo. Não foi só eles que você provocou, moça, pode ter certeza. Alice Braga, por ela eu entro em coma!

CINEMATÓRIO AWARDS 2006: Os Piores do Ano!

Estamos começando a divulgação de nossa premiação anual e, como no ano passado, primeiro vocês conhecem as listas de melhores e piores filmes. A seguir estão aqueles que só podem ser chamados de “filme” entre aspas, porque podem ser tudo, menos obras dignas de serem exibida numa sala de cinema. No banheiro ficariam mais apropriados.

O grande campeão, por relação de coincidência nas duas listas, foi “O Amigo Oculto“. É, De Niro… Mais um ano, mais uma bomba. Destaque também para as duas primeiras colocações em minha lista, que ficaram com produções brasileiras. Nosso cinema está crescendo, tudo bem, mas dá nisso quando colocam a câmera na mão de qualquer um.

As 10 Bombas de 2005, por Renato

1º. Garrincha – Estrela Solitária, de Milton Alencar
2º. Coisa de Mulher, de Eliana Fonseca
3º. Quarteto Fantástico, de Tim Story
4º. Amaldiçoados, de Wes Craven
5º. O Amigo Oculto, de John Polson
6º. O Chamado 2, de Hideo Nakata
7º. O Grito, de Takashi Shimizu
8º. Ameaça Invisível – Stealth, de Rob Cohen
9º. Deu Zebra!, de Frederik Du Chau
10º. O Filho de Chucky, de Don Mancini

As 10 Bombas de 2005, por Tooms

1º. Elektra, de Rob Bowman
2º. A Névoa, de Rupert Wainwright
3º. Aeon Flux, de Karyn Kusama
4º. A Caverna, de Bruce Hunt
5º. Amaldiçoados, de Wes Craven
6º. O Amigo Oculto, de John Polson
7º. Two For The Money, de D.J. Caruso
8º. Os Irmãos Grimm, de Terry Gilliam
9º. Doom – A Porta do Inferno, de Andrzej Bartkowiak
10º. Sahara, de Breck Eisner

CINEMATÓRIO AWARDS 2008: Sammies e Troféus Especiais!

SAMMIES

Diálogo do Ano

“Ratatouille”:

ANTON EGO (V.O.)

In many ways the work of a critic
is easy. We risk very little, yet
enjoy a position over those who
offer up their work and their
selves to our judgement. We thrive
on negative criticism, which is fun
to write and to read.

But, the bitter truth we critics
must face is that, in the grand
scheme of things… the average
piece of junk is probably more
meaningful than our criticism
designating it so. But there are
times when a critic truly risks
something… and that is in the
discovery and defense of the new.

The world is often unkind to new
talent, new creations. The new
needs friends.

Last night I experienced something
new, an extraordinary meal from an
singularly unexpected source.
To say that both the meal and its
maker have challenged my
preconceptions about fine cooking,
is a gross understatement– they
have rocked me to my core.

In the past I have made no secret
of my disdain for Chef Gusteau’s
famous motto: “Anyone Can Cook”.
But I realize only now do I truly
understand what he meant. Not
everyone can become a great artist,
but a great artist can come from
anywhere.

It is difficult to imagine more
humble origins than those of the
genius now cooking at Gusteau’s,
who is, in this critic’s opinion,
nothing less than the finest Chef
in France.

I will be returning to Gusteau’s
soon, hungry for more.

Melhor Final

“Tropa de Elite”

“O último plano do filme é uma tela em branco que surge no auge da tensão e do clímax da história de Matias (cuja função de coadjuvante ou protagonista é discutível). O que ele decidiu fazer? No que ele vai se transformar dali em diante? Ou coloquemos de outra maneira: no que nós, do lado de cá da tela, vamos pensar a respeito de tudo aquilo que nos foi mostrado? José Padilha deixa a tela em branco para que o espectador a preencha. Ele deliberadamente não termina o filme, pois sabe que aquela história não acaba ali e que sua função não é tirar conclusões ou dar respostas. Talvez seja por Padilha colocar o dedo do espectador no gatilho, ali, naquele momento, que tantas discussões têm surgido, afinal, é inegável que a maior parte das pessoas assiste a um filme esperando que ele lhe fale alguma coisa, e não o contrário.” – trecho do post original sobre o filme
Cena Mais Hilária

As filmagens de “O Monstro do Fosso”, em “Saneamento Básico, o Filme”

O Cara Mais Engraçado

Seth Rogen, como ator por “Ligeiramente Grávidos” e como ator e roteirista por “Superbad – É Hoje”

Melhor Referência

“Jogo de Cena”

MARÍLIA PERA

É, “Procurando Nemo”. É um filme que eu… Que eu choro muito quando eu penso nele. O senhor não gosta desse filme?

COUTINHO

Não, eu não vi, mas… Por acaso.

MARÍLIA PERA

Porque o senhor não gosta de coisas americanas. O senhor é…

COUTINHO

Não, não… Não é isso, não.

MARÍLIA PERA

O senhor é meio comunista, né?

Filme que Mais Chocou, Incomodou ou Perturbou

“Império dos Sonhos”, de David Lynch & “Possuídos”, de William Friedkin

Melhor Dublagem

Patton Oswalt (Remy) & Peter O’Toole (Anton Ego), “Ratatouille”

Trilha Sonora do Ano

Uma compilação das melhores músicas ouvidas nos filmes de 2007

1. “Le Festin” – Camile (“Ratatouille”)
2. “Moonshiner” – Cat Power (“Cão Sem Dono”, na voz de Tainá Mülller)
3. “Baby Don’t You Cry” – Quincy Coleman (“Garçonete”)
4. “Where Do You Go To (My Lovely)” – Peter Sarstedt (“Viagem a Darjeeling”)
5. “Natural’s Not In It” – Gang Of Four (“Maria Antonieta”)
6. “The Melody of a Fallen Tree” – Windsor for the Derby (“Maria Antonieta”)
7. “Oh Darling” – The Beatles (“Across the Universe”, nas vozes de Dana Fuchs & Martin Luther McCoy)
8. “I Want You (She’s So Heavy” – The Beatles (“Across the Universe”, na voz de Joe Anderson e T.V. Carpio
9. “That’s How You Know” – Amy Adams (“Encantada”)
10. “PoP! Goes My Heart” – Hugh Grant (“Letra e Música”)
11. “Extreme Ways” – Moby (“O Ultimato Bourne”)
12. “Eu Amo Você” – Tim Maia (“Podecrer!”)

Menção Especial para Melhor Beijo

Selton Mello & a bunda de Paula Braun, em “O Cheiro do Ralo”

PRÊMIOS ESPECIAIS

Troféu “Quentin Tarantino” para o que de mais “cool” apareceu na tela

John Mc“Fuckin”Clane

“Yippi-kay-ay, MOTHERFUCKER!”

Troféu “Cera de Carnaúba” para o mais canastrão do ano

Gerard Butler & Rodrigo Santoro, por “300”

Troféu “Touro Incansável” para quem adora fazer papel de corno

James Marsden, por “Encantada” e pelo conjunto da obra (trilogia “X-Men”, “Diário de uma Paixão” e “Superman – O Retorno”)
Troféu “Precisou, Tô Lá!” para quem mais apareceu nas telas em um ano

Paul Rudd, por “Ligeiramente Grávidos”, “Nunca é Tarde para Amar”, “Reno 911!”, “O Ex-Namorado da Minha Mulher”, “Uma Noite no Museu”

Shia LaBeouf, por “Transformers”, “Paranóia”, “Bobby”, “Santos e Demônios”, “Tá Dando Onda”

Troféu “John Travolta” também conhecido como “Agora Não Dá Mais” ou “Empurrão à Beira do Abismo”

Eddie Murphy, por “Norbit”

Troféu “James Bond” para a cena mais inverossímil do ano

John McClane vs. o caça em “Duro de Matar 4.0”

Troféu “Só Sobrou Você” para o pior casting

Nicolas Cage, “Motoqueiro Fantasma”

Troféu “Ops! Eu Acho que Li o Roteiro Errado” para bons atores em filmes medíocres

Julianne Moore, Maggie Gyllenhaal, Billy Crudup, David Duchovny, Eva Mendes e Ellen Barkin por “Totalmente Apaixonados”

Troféu “Mofei na Gaveta (e devia ter ficado lá)” para filmes que demoraram anos para sair e não vingaram

“Motoqueiro Fantasma”

Oscar Confiscado de quem não é mais digno de ter o careca na estante

Nicolas Cage, por “Motoqueiro Fantasma” & “O Vidente”

Troféu “Estão Perdoados!” para quem só vinha fazendo bombas e finalmente fez algo que preste

Robert De Niro, por “O Bom Pastor”

Troféu “Scooby Doo, meu filho, cadê você!?” para quem estava sumido há muito tempo e finalmente deu sinal de vida

Joe Pesci, “O Bom Pastor” & David Fincher, “Zodíaco”

Troféu “What the fuck!?” para o que quase fez você surtar na poltrona do cinema

“O Ultimato Bourne”, quando Joan Allen diz “Seu nome é David Webb” e só então você percebe que mais da metade do filme estava contida no final de “A Supremacia Bourne”

Troféu Fernando Collor de Melo para aqueles que tentam destruir o cinema nacional

Paulo Sérgio Almeida (diretor de “Inesquecível”), Diego de la Texera (diretor de “Meteoro”) & Moacyr Góes (“O Homem que Desafiou o Diabo”)

Troféu Honorário “A Pior Noiva de Hollywood”

Mandy Moore, por “Licença Para Casar” & “Minha Mãe Quer que Eu Case”

Prêmio para Melhor Fantasia de Chewbacca

Robert Downey Jr., “A Pele”

CINEMATÓRIO AWARDS 2008!

Quando fechei a minha lista de melhores de 2007, constatei que o ano passado foi bastante curioso. A relação tem de tudo: uma animação que chegou sem grandes pretensões e se revelou uma genuína obra de arte; um filme de ação frenético; um policial minucioso que chega quase a ser um épico; um drama extremamente intimista sobre a juventude contemporânea; um retrato polêmico da guerra do tráfico e da luta de classes no nosso país; um estudo metalingüístico sobre a arte de ser ator; uma biografia incompreendida, tal qual sua protagonista; uma comédia romântica que transborda simpatia e sensibilidade; uma viagem surreal e perturbadora por uma mente cheia de culpa; e, por fim, uma tocante história de amadurecimento interior.

A 4ª edição da tradicional premiação do Cinematório começa hoje com a divulgação das nossas listas de melhores e piores filmes do ano passado. Ao longo dos próximos dias, serão revelados ainda os destaques do ano em diversas categorias. Os vencedores recebem simbolicamente o troféu Sammie – uma estatueta semelhante a do Oscar, mas com Samuel L. Jackson representando o careca de ouro. Afinal, o ator mais cool de todos os tempos merece essa distinção.

Antes de deixá-los com os filmes eleitos, faço as observações de costume: a minha lista inclui filmes lançados comercialmente no Brasil, enquanto a do Tooms também conta com longas inéditos por essas bandas (já que ele mora nos EUA); divulgarei ainda a versão estendida da minha lista pessoal de melhores, incluindo os 20 melhores filmes, menções honrosas e outros títulos que valeram a pena.

Os melhores filmes

Então, vamos lá. Por relação de coincidência entre as listas, “Ratatouille”, “O Ultimato Bourne”, “Zodíaco” e “Tropa de Elite” dividem o Sammie como melhores filmes absolutos de 2007. Vale destacar ainda a excepcional participação de filmes brasileiros, com três figurando entre os meus cinco favoritos (fato inédito até então). Eis os rankings:

As 10 Obras-Primas de 2007, por Renato Silveira

1º. “Ratatouille”, de Brad Bird
2º. “Cão Sem Dono”, de Beto Brant e Renato Ciasca
3º. “Tropa de Elite”, de José Padilha
4º. “Jogo de Cena”, de Eduardo Coutinho
5º. “Zodíaco”, de David Fincher
6º. “O Ultimato Bourne”, de Paul Greengrass
7º. “Mutum”, de Sandra Kogut
8º. “Garçonete”, de Adrienne Shelly
9º. “Maria Antonieta”, de Sofia Coppola
10º. “Império dos Sonhos”, de David Lynch

Menção honrosa: “Pecados Íntimos”, de Todd Field, e “À Procura da Felicidade”, de Gabriele Muccino

As 10 Obras-Primas de 2007, por Tooms

1º. “Conduta de Risco”, de Tony Gilroy
2º. “Hot Fuzz”, de Edgar Wright*
3º. “O Ultimato Bourne” de Paul Greengrass
4º. “Ratatouille”, de Brad Bird
5º. “Zodíaco”, de David Fincher
6º. “Saneamento Básico, O Filme”, de Jorge Furtado
7º. “Sunshine – Alerta Solar”, de Danny Boyle
8º. “Ligeiramente Grávidos”, de Judd Apatow
9º. “Tropa de Elite”, de José Padilha
10º. “Extermínio 2”, de Juan Carlos Fresnadillo

Menção honrosa: “Halloween”, de Rob Zombie*

* ainda inédito no Brasil

Os piores filmes

Se houve quatro brasileiros entre os melhores, na minha lista de piores também figuram quatro produções nacionais. Há de se considerar, porém, que essas são as exceções do ano, já que no balanço geral o saldo foi positivo: muitos lançamentos do ano não entraram no ranking de melhores, mas são, sim, bons filmes.

Apesar de “Inesquecível” e “Meteoro” serem duas pérolas memoráveis da nossa cinematografia, por relação de coincidência entre a minha lista e a do Tooms, “Eu os Declaro Marido e… Larry!” e “A Estranha Perfeita” foram eleitos o piores filmes absolutos de 2007. Risque um fósforo e confira o resto:

As 10 Bombas de 2007, por Renato Silveira

1º. “Norbit”, de Brian Robbins
2º. “Deu a Louca em Hollywood”, de Jason Friedberg e Aaron Seltzer
3º. “Inesquecível”, de Paulo Sérgio Almeida
4º. “Meteoro”, de Diego de la Texera
5º. “O Homem Que Desafiou o Diabo”, de Moacyr Góes
6º. “Eu os Declaro Marido e… Larry!”, de Dennis Dugan
7º. “Minha Mãe Quer Que Eu Case”, de Michael Lehman
8º. “Licença Para Casar”, de Ken Kwapis
9º. “A Estranha Perfeita”, de James Foley
10º. “Primo Basílio”, de Daniel Filho

Menção desonrosa: “Turistas”, de John Stockwell

As 10 Bombas de 2007, por Tooms

1º. “Motoqueiro Fantasma”, de Mark Steven Johnson
2º. “Homem-Aranha 3”, de Sam Raimi
3º. “Quarteto Fantástico e o Surfista Prateado”, de Tim Story
4º. “Hitman – Assassino 47”, de Xavier Gens
5º. “A Estranha Perfeita”, de James Foley
6º. “Shrek Terceiro”, de Chris Miller e Raman Hui
7º. “A Volta do Todo Poderoso”, de Tom Shadyac
8º. “Eu os Declaro Marido e… Larry!”, de Dennis Dugan
9º. “Resident Evil 3 – A Extinção”, de Russell Mulcahy
10º. “Motoqueiros Selvagens”, de Walt Becker

Menção desonrosa: “Atirador”, de Antoine Fuqua

CINEMATÓRIO AWARDS 2008 – Os Melhores Filmes (versão estendida!)

Abaixo está a minha lista completa de filmes recomendados de 2007. Além dos 20 melhores, relacionei 15 menções honrosas (sem ordem de preferência) e mais 57 filmes que agradaram de alguma forma. A lista é grande, mas tenham em mente que assisti a 351 filmes ao longo do ano. Coloquei na frente de cada título a nota que dei para cada um nos rankings mensais da Liga dos Blogues Cinematográficos.

Os melhores filmes

1º. “Ratatouille”, de Brad Bird (10)
2º. “Cão Sem Dono”, de Beto Brant e Renato Ciasca (10)
3º. “Tropa de Elite”, de José Padilha (10)
4º. “Jogo de Cena”, de Eduardo Coutinho (10)
5º. “Zodíaco”, de David Fincher (10)
6º. “O Ultimato Bourne”, de Paul Greengrass (10)
7º. “Mutum”, de Sandra Kogut (9)
8º. “Garçonete”, de Adrienne Shelly (9)
9º. “Maria Antonieta”, de Sofia Coppola (9)
10º. “Império dos Sonhos”, de David Lynch (9)
11º. “Pecados Íntimos”, de Todd Field (9)
12º. “À Procura da Felicidade”, de Gabriele Muccino (9)
13º. “Perfume – A História de um Assassino”, de Tom Tykwer (9)
14º. “Saneamento Básico, o Filme”, de Jorge Furtado (8)
15º. “Possuídos”, de William Friedkin (8)
16º. “Leis de Família”, de Daniel Burman (8)
17º. “O Assassinato de Jesse James Pelo Covarde Robert Ford”, de Andrew Dominik (8)
18º. “Santiago”, de João Moreira Salles (8)
19º. “A Desconhecida”, de Giuseppe Tornatore (8)
20º. “O Hospedeiro”, de Bong John-ho (8)

Menções honrosas (sem ordem de preferência)
“Across the Universe”, de Julie Taymour (7); “Algo Como a Felicidade”, de Bohdan Sláma (8); “Batismo de Sangue”, de Helvécio Ratton (7); “O Bom Pastor”, de Robert De Niro (8); “O Cheiro do Ralo”, de Heitor Dhalia (8); “A Conquista da Honra”, de Clint Eastwood (8); “Extermínio 2”, de Juan Carlos Fresnadillo (8); “Fido – O Mascote”, de Andrew Currie (7); “Mais Estranho que a Ficção”, de Marc Forster (8); “Ódiquê?”, de Felipe Joffily (8); “Os Donos da Noite”, de James Gray (8); “Ponte para Terabítia”, de Gabor Csupo (8); “Rocky Balboa”, de Sylvester Stallone (8); “Stardust – O Mistério da Estrela”, de Matthew Vaughn (8); “Viagem a Darjeeling”, de Wes Anderson (7)

Outros filmes que valeram a pena (sem ordem de preferência)
“Um Amor Jovem”, de Ethan Hawke (7); “O Amor nos Tempos do Cólera”, de Mike Newell (7); “Antes Só Do Que Mal Casado”, de Bobby Farrelly e Peter Farrelly (6); “Antônia”, de Tata Amaral (7); “Apocalypto”, de Mel Gibson (7); “Atirador”, de Antoine Fuqua (7); “Babel”, de Alejandro González Iñárritu (7); “Bobby”, de Emilio Estevez (7); “Borat”, de Larry Charles (7); “A Bússola de Ouro”, de Chris Weitz (7); “Candy”, de Neil Armfield (7); “Cartas de Iwo Jima”, de Clint Eastwood (7); “Cidade dos Homens”, de Paulo Morelli (7); “Um Crime de Mestre”, de Gregory Hoblit (7); “Crimes de Autor”, de Claude Lelouch (7); “Déjà Vu”, de Tony Scott (7); “Depois do Casamento”, de Susanne Bier (7); “Duro de Matar 4.0”, de Len Wiseman (7); “Encantada”, de Kevin Lima (7); “Encontros ao Acaso”, de Joey Lauren Adams (7); “Fabricando Tom Zé”, de Décio Matos Jr. (7); “Fora do Jogo”, de Jafar Panahi (7); “Harry Potter e a Ordem da Fênix”, de David Yates (7); “O Homem Duplo”, de Richard Linklater (7); “Homem-Aranha 3”, de Sam Raimi (7); “Invasão de Domicílio”, de Anthony Minghella (7); “A Loja Mágica de Brinquedos”, de Zach Helm (6); “Ligeiramente Grávidos”, de Judd Apatow (7); “Um Lugar na Platéia”, de Danièle Thompson (7); “A Maldição da Flor Dourada”, de Zhang Yimou (6); “Mandando Bala”, de Michael Davis (7); “Marcas da Vida”, de Andrea Arnold (7); “Medos Privados em Lugares Públicos”, de Alan Resnais (7); “Morte no Funeral”, de Frank Oz (6); “Não Por Acaso”, de Philippe Barcinski (7); “Na Cama”, de Matías Bize (7); “Novo Mundo”, de Emanuele Crialese (7); “Nunca é Tarde Para Amar”, de Amy Heckerling (6); “Ó, Paí, Ó!”, de Monique Gardenberg (7); “Olhe Para os Dois Lados”, de Sarah Watt (7); “Planeta Terror”, de Robert Rodriguez (7); “O Sobrevivente”, de Werner Herzog (7); “O Passado”, de Hector Babenco (7); “Piratas do Caribe: No Fim do Mundo”, de Gore Verbinski (7); “Princesas”, de Fernando León de Aranoa (7); “Querô”, de Carlos Cortez (7); “Sem Reservas”, de Scott Hicks (6); “Os Simpsons – O Filme”, de David Silverman (7); “Superbad – É Hoje”, de Greg Mottola (6); “Tá Dando Onda”, de Ash Brannon e Chris Buck (7); “Transformers”, de Michael Bay (6); “Treze Homens e um Novo Segredo”, de Steven Soderbergh (7); “A Última Cartada”, de Joe Carnahan (7); “O Último Rei da Escócia”, de Kevin Macdonald (7); “Ventos da Liberdade”, de Ken Loach (7); “A Vida dos Outros”, de Florian Henckel von Donnersmarck (7); “O Vigarista do Ano”, de Lasse Hallström (7)

cinematório awards 2009! Os melhores filmes de 2008 – versão estendida

Todo ano, eu divulgo minha lista estendida de melhores filmes. Nas edições passadas, eu listava o top 20, além de menções honrosas e títulos que valeram a pena. A partir deste ano, faço diferente: abaixo, você confere TODOS os filmes lançados nos cinemas brasileiros em 2008 a que eu pude assistir.

Faltaram vários, claro. Afinal, 328 longas-metragens entraram em cartaz e eu consegui ver apenas a metade, devido a vários fatores (muitos filmes sequer chegaram a BH, outros saíram de cartaz rápido demais, além do que tive bem menos tempo para ir ao cinema). De qualquer forma, essa lista serve apenas para que o leitor possa consultar a nota que dei a essas produções. Para encontrar alguma, é fácil: pressione CTRL + F em seu teclado, digite o nome do filme ou do diretor e tecle Enter.

Ah, sim: os filmes que possuem crítica estão linkados. Quem me dera ter escrito sobre todos que eu queria! Para 2009, a meta é certamente aumentar essa média.

1. “Na Natureza Selvagem”, de Sean Penn (10)
2. “Sangue Negro”, de Paul Thomas Anderson (10)
3. “WALL•E”, de Andrew Stanton (10)
4. “Onde os Fracos Não Têm Vez”, de Ethan & Joel Coen (10)
5. “Não Estou Lá”, de Todd Haynes (10)
6. “Batman – O Cavaleiro das Trevas”, de Christopher Nolan (10)
7. “O Escafandro e a Borboleta”, de Julian Schnabel (10)
8. “Linha de Passe”, de Walter Salles e Daniela Thomas (9)
9. “Feliz Natal”, de Selton Mello (9)
10. “O Orfanato”, de Juan Antonio Bayona (9)
11. “Nome Próprio”, de Murilo Salles (9)
12. “Speed Racer”, de Andy e Larry Wachowski (9)
13.“Vicky Cristina Barcelona”, de Woody Allen (9)
14. “O Nevoeiro”, de Frank Darabont (9)
15. “Antes que o Diabo Saiba que Você Está Morto”, de Sidney Lumet (9)
16. “Cinturão Vermelho”, de David Mamet (9)
17. “Gomorra”, de Matteo Garrone (8)
18. “Rebobine, Por Favor”, de Michel Gondry (8)
19. “Ensaio Sobre a Cegueira”, de Fernando Meirelles (8)
20. “[REC]”, de Jaume Balagueró e Paco Plaza (8)
21. “Sweeney Todd: O Barbeiro Demoníaco da Rua Fleet”, de Tim Burton (8)
22. “Control”, de Anton Corbijn (8)
23. “Serras da Desordem”, de Andrea Tonacci (8)
24. “Persépolis”, de Vincent Paronnaud, Marjane Satrapi (8)

25. “Senhores do Crime”, de David Cronenberg (8)
26. “Luz Silenciosa”, de Carlos Reygadas (8)
27. “Chega de Saudade”, de Laís Bodanzky (8)
28. “Apenas Uma Vez”, de John Carney (8)
29. “Queime Depois de Ler”, de Ethan & Joel Coen (8)
30. “O Sonho de Cassandra”, de Woody Allen (8)
31. “O Incrível Hulk”, de Louis Leterrier (8)
32. “Homem de Ferro”, de Jon Favreau (8)
33. “Falsa Loura”, de Carlos Reichenbach (8)
34. “A Questão Humana”, de Nicolas Klotz (8)
35. “Estamos Bem Mesmo Sem Você”, de Kim Rossi Stuart (8)
36. “Hellboy II – O Exército Dourado”, de Guillermo del Toro (8)
37. “Longe Dela”, de Sarah Polley (8)
38. “4 Meses, 3 Semanas, 2 Dias”, de Christian Mungiu (8)
39. “Violência Gratuita”, de Michael Haneke (8)
40. “Juno”, de Jason Reitman (8)
41. “The Rolling Stones – Shine a Light”, de Martin Scorsese (8)
42. “A Espiã”, de Paul Verhoeven (8)
43. “Jogos do Poder”, de Mike Nichols (8)
44. “Meu Irmão é Filho Único”, de Daniele Luchetti (8)
45. “Paranoid Park”, de Gus Van Sant (8)
46. “O Gângster”, de Ridley Scott (8)
47. “Eu Sou a Lenda”, de Francis Lawrence (8)
48. “Indiana Jones e o Reino da Caveira de Cristal”, de Steven Spielberg (7)

49. “Cloverfield – Monstro”, de Matt Reeves (7)
50. “Na Mira do Chefe”, de Martin McDonagh (7)
51. “O Silêncio de Lorna”, de Jean-Pierre e Luc Dardenne (7)
52. “Canções de Amor”, de Christophe Honoré (7)
53. “Pan-Cinema Permanente”, de Carlos Nader (7)
54. “Encarnação do Demônio”, de José Mojica Marins (7)
55. “Um Homem Bom”, de Vicente Amorim (7)
56. “A Fronteira da Alvorada”, de Philippe Garrel (7)
57. “Sicko – S.O.S. Saúde”, de Michael Moore (7)
58. “Uma Garota Dividida em Dois”, de Claude Chabrol (7)
59. “A Banda”, de Eran Kolirin (7)
60. “Os Indomáveis”, de James Mangold (7)
61. “Appaloosa – Uma Cidade Sem Lei”, de Ed Harris (7)
62. “Horton e o Mundo dos Quem”, de Jimmy Hayward, Steve Martino (7)
63. “Efeito Dominó”, de Roger Donaldson (7)
64. “Um Sonho Dentro de um Sonho”, de Anthony Hopkins (7)
65. “Estômago”, de Marcos Jorge (7)
66. “Amar… Não Tem Preço”, de Pierre Salvadori (7)
67. “Desejo e Reparação”, de Joe Wright (7)
68. “A Família Savage”, de Tamara Jenkins (7)

69. “Fim dos Tempos”, de M. Night Shyamalan (6)
70. “Marley & Eu”, de David Frankel (6)
71. “Trovão Tropical”, de Ben Stiller (6)
72. “Um Beijo Roubado”, de Wong Kar Wai (6)
73. “2 Dias em Paris”, de Julie Delpy (6)
74. “O Caçador de Pipas”, de Marc Forster (6)
75. “A Era da Inocência”, de Denys Arcand (6)
76. “5 Frações de uma Quase História”, de Armando Mendz, Cris Azzi, Cristiano Abud, Guilherme Fiúza, Lucas Gontijo e Thales Bahia (6)
77. “Três Vezes Amor”, de Adam Brooks (6)
78. “Era Uma Vez…”, de Breno Silveira (6)
79. “Romance”, de Guel Arraes (6)
80. “Agente 86”, de Peter Segal (6)
81. “Crepúsculo”, de Catherine Hardwickle (6)
82. “Fatal”, de Isabel Coixet (6)
83. “Kung Fu Panda”, de Mark Osborne e John Stevenson
84. “Sex and the City”, de Michael Patrick King (6)
85. “Fronteira”, de Rafael Conde (6)
86. “Antes de Partir”, de Rob Reiner (6)
87. “Meu Nome é Taylor, Drillbit Taylor”, de Steven Brill (6)
88. “Arquivo X: Eu Quero Acreditar”, de Chris Carter (6)
89. “Cashback”, de Sean Ellis (6)
90. “As Crônicas de Spiderwick”, de Mark Waters (6)
91. “Rede de Mentiras”, de Ridley Scott (6)
92. “A Outra”, de Justin Chadwick (6)
93. “Castelar e Nelson Dantas no País dos Generais”, de Carlos Alberto Prates Correia (6)
94. “Ensinando a Viver”, de Menno Meyjes (6)
95. “Jumper”, de Doug Liman (6)
96. “Angel”, de François Ozon (6)
97. “Nossa Vida Não Cabe Num Opala”, de Reinaldo Pinheiro (6)
98. “Garoto Cósmico”, de Alê Abreu (6)
99. “Romulus, Meu Pai”, de Richard Roxburgh (6)
100. “O Banheiro do Papa”, de César Charlone e Enrique Fernández (6)
101. “Coisas que Perdemos Pelo Caminho”, de Susanne Bier (6)

102. “Rambo IV”, de Sylvester Stallone (6)
103. “Controle Absoluto”, de D.J. Caruso (6)
104. “Cleópatra”, de Julio Bressane (5)
105. “O Signo da Cidade”, de Carlos Alberto Riccelli (5)
106. “007 – Quantum of Solace”, de Marc Forster (5)
107. “Quebrando a Banca”, de Robert Luketic (5)
108. “A Duquesa”, de Saul Dibb (5)
109. “Última Parada 174”, de Bruno Barreto (5)
110. “Vingança”, de Paulo Pons (5)
111. “Corpo”, de Rossana Foglia e Ruben Rewald (5)
112. “Star Wars: The Clone Wars”, de Dave Filoni (5)
113. “Pequenas Histórias”, de Helvécio Ratton (5)
114. “Atos que Desafiam a Morte”, de Gillian Armstrong (5)
115. “Meu Monstro de Estimação”, de Jay Russell (5)
116. “Sete Vidas”, de Gabriele Muccino (5)
117. “O Suspeito”, de Gavin Hood (5)
118. “Zona do Crime”, de Rodrigo Plá (5)
119. “Pecados Inocentes”, de Tom Kalin (5)
120. “Ponto de Vista”, de Pete Travis (5)
121. “As Duas Faces da Lei”, de Jon Avnet (5)

122. “RocknRolla”, de Guy Ritchie (4)
123. “Os Estranhos”, de Bryan Bertino (4)
124. “Shortbus”, de John Cameron Mitchell (4)
125. “Um Amor Para Toda a Vida”, de Richard Attenborough (4)
126. “Os Reis da Rua”, de David Ayer (4)
127. “Maratona do Amor”, de David Schwimmer (4)
128. “Meu Nome Não é Johnny”, de Mauro Lima (4)
129. “Um Plano Brilhante”, de Michael Radford (4)
130. “Jogo de Amor em Las Vegas”, de Tom Vaughan (4)
131. “Hancock”, de Peter Berg (4)
132. “Maldita Sorte”, de Mark Helfrich (4)
133. “Bella”, de Alejandro Gomez Monteverde (4)
134. “Encurralados”, de Mike Barker (4)
135. “Super-Herói: O Filme”, de Craig Mazin (4)
136. “Fim da Linha”, de Gustavo Steinberg (4)
137. “Quarta B”, de Gustavo Galvão (4)
138. “Traídos Pelo Destino”, de Terry George (4)
139. “P.S. Eu Te Amo”, de Richard Lagravanese (4)
140. “Aliens vs. Predador 2”, de Colin e Greg Strause (4)
141. “Bezerra de Menezes: O Diário de um Espírito, de Glauber Filho, Joe Pimentel (4)
142. “Mamma Mia!”, de Phyllida Lloyd (3)
143. “Uma Chamada Perdida”, de Eric Valette (3)
144. “Noites de Tormenta”, de George C. Wolfe (3)
145. “Maré, Nossa História de Amor”, de Lúcia Murat (3)
146. “A Casa da Mãe Joana”, de Hugo Carvana (3)
147. “Treinando o Papai”, de Andy Fickman (3)
148. “O Melhor Amigo da Noiva”, de Paul Weinland (3)
149. “Vestida Para Casar”, de Anne Fletcher (3)
150. “Film Noir”, de D. Jud Jones, Risto Topaloski (3)
151. “Os Seis Signos da Luz”, de David L. Cunningham (3)

152. “Os Desafinados”, de Walter Lima Jr. (3)
153. “Polaróides Urbanas”, de Miguel Falabella (2)
154. “Orquestra dos Meninos”, de Paulo Thiago (2)
155. “Max Payne”, de John Moore (2)
156. “Jogos Mortais 5”, de David Hackl (2)
157. “Alvin e os Esquilos”, de Tim Hill (2)
158. “10.000 A.C.”, de Roland Emmerich (2)
159. “Espelhos do Medo”, de Alexandre Aja (2)
160. “O Olho do Mal”, de David Moreau e Xavier Palud (2)
161. “Imagens do Além”, de Masayuki Ochiai (2)
162. “Awake – A Vida Por um Fio”, de Joby Harold (2)
163. “Um Amor de Tesouro”, de Andy Tennant (1)

« Older posts

© 2015 cinematório

Theme by Anders NorenUp ↑