Cazuza – O Tempo Não Pára

“O poeta não morreu…”

Além da interpretação de Daniel de Oliveira como Cazuza, outra coisa digna de elogio nesta cinebiografia é a direção da Sandra Werneck. Li em algum lugar um comentário malhando a diretora, dizendo que ela nunca seria a escolha certa para um filme desses. Bom, eu tinha minhas dúvidas também, mas acabei gostando. No making of, o produtor diz que escolheram dar um aspecto ao filme como se ele tivesse sido gravado por um daqueles jovens amigos do Cazuza, com uma câmera 16mm na mão. O resultado ficou interessante, mas tem problemas.



O projeto era adaptar o livro da Lucinha Araújo, mãe do Cazuza, sobre o filho. Logo, a narrativa é feita toda a partir do ponto de vista dela, ainda que, no filme, ela não seja narradora em off e não tenha uma presença tão marcante assim (é interpretada por Marieta Severo). A sensação é de estar acompanhando a vida do Cazuza pelo lado de fora. Me senti mais como uma testemunha, e não como participante. O único momento em que eu realmente me vi envolvido por completo com o que estava acontecendo foi na cena em que ele revela que está com AIDS, sai correndo na praia, a câmera vai atrás, tremendo, desesperada. Ali, sim, eu senti como se fosse um amigo daquele cara, correndo para acalmá-lo. Mas fora isso, por mais que a câmera na mão seja utilizada praticamente o tempo todo, permaneci a uma certa distância do filme.

Não gostei também da cena do Rock in Rio. Uma montagem mal feita, com imagens de arquivo horrorosas. Fico pensando: não é possível que ninguém tinha material melhor. Parece que usaram uma transmissão da Globo gravada em LP, num vídeo três cabeças. E, para piorar, ainda repetem as cenas para alongar a seqüência. Bola fora.

Por enquanto, como primeiro filme sobre o músico, este trabalho é digno. Mas espero que alguém ainda faça, sei lá, daqui a uns 10 anos, algo mais intimista, mostrando Cazuza mais próximo da visão de mundo dele, e não da mãe. Afinal, uma figura tão forte e emblemática de nossa cultura merece mais do que um único filme.

nota: 6/10 — vale o ingresso

Cazuza – O Tempo Não Pára (2004, Brasil)
direção: Sandra Werneck, Walter Carvalho; roteiro: Fernando Bonassi, Victor Navas (baseado no livro de Lúcia Araújo); fotografia: Walter Carvalho; montagem: Sérgio Mekler; música: Guto Graça Mello; produção: Daniel Filho; com: Daniel de Oliveira, Marieta Severo, Reginaldo Farias, Andréa Beltrão, Leandra Leal, Emílio de Melo, Cadu Fávero, André Gonçalves, Débora Falabella, Maria Mariana; estúdio: Cineluz, Globo Filmes, Lereby Productions; distribuição: Columbia TriStar Pictures. 98 min
%d blogueiros gostam disto: