A Guerra dos Winters

Escrito e dirigido pelo estreante Josh Sternfeld, “A Guerra dos Winters” é um filme que, por pouco, não se torna digno de ser uma produção feita diretamente para TV. A começar pela forma como os créditos surgem na tela, o longa é mais um da safra de filmes independentes centrados em famílias problemáticas. Aqui, um viúvo (Anthony LaPaglia) enfrenta os comportamentos divergentes de seus dois filhos adolescentes (Aaron Stanford e Mark Webber) que, desde a morte da mãe, sentem-se carentes de um “guia” em suas vidas – papel que o pai se esforça para assumir.
Apesar de ser moderadamente bem conduzido, o filme não consegue criar um envolvimento do espectador com aquelas pessoas. Sternfeld tenta fazer um estudo dos personagens, mas eles são tão introspectivos que fica difícil conhecê-los a fundo. Na verdade, o problema não é os personagens serem fechados. É o diretor que não consegue abrir as portas certas para explorar seus dramas. Assim, apesar de sua boa intenção de fazer um filme em que o não dito pode representar mais que qualquer diálogo, Sternfeld toca apenas na superfície dos temas que levanta.
Este é um filme sobre pessoas reconstruindo suas vidas, cada uma a seu modo. Os dois jovens atores são os que se saem melhor no elenco, especialmente Webber, que vive Pete, o filho desajustado. Aliás, não deixa de ser curioso observar que o único que consegue estabelecer uma comunicação com ele num mesmo nível é o professor das aulas de recuperação (Ron Livingston). É nele que Pete encontra a disciplina de que necessita. LaPaglia também está bem como o pai, mas um ator com mais presença de tela e carisma faria um bem enorme ao filme (como Jeff Bridges ou William Hurt, por exemplo).
Outro problema de “A Guerra dos Winters” é que sua resolução deixa bastante a desejar. É como se as aflições dos Winters tivessem sido todas resolvidas rapidamente em uma noite, o que faz com que o solstício do título original acabe perdendo o significado.
Mas se há uma mensagem no fim dessa guerra, é que a figura paterna continua sendo vista como o pilar bambo da estrutura familiar na sociedade ocidental contemporânea. Jovens criados praticamente apenas pelas mães, enquanto os pais estavam fora trabalhando e lhes dando pouca atenção, crescem sem a referência paterna. E este filme nos mostra que, na ausência da mãe, os filhos ficam como “soldados sem um líder”, como o próprio Pete diz a seu professor, numa alusão inconsciente.
A Guerra dos Winters (Winter Solstice, 2004, EUA). Direção de Josh Sternfeld. Com Anthony LaPaglia, Aaron Stanford, Mark Webber, Allison Janney, Ron Livingston, Michelle Monaghan.
O DVD
O DVD não foi avaliado para esta resenha. De acordo com informações da Paramount Pictures, estas são as características do disco:
Formato de tela: widescreen anamórfico 1.85:1
Áudio: Dolby Digital Surround 5.1, nos idiomas Inglês, Português e Espanhol
Legendas: Inglês, Português e Espanhol
Extras: nenhum
%d blogueiros gostam disto: