Caixa Dois

Para uma comédia que se dá o direito de fazer piada com os recentes escândalos políticos de Brasília e chacotear do atual governo, é de se admirar que o filme sequer se preze a passar uma mensagem positiva ao público. Chega a ser quase niilista a forma como o longa – dirigido por Bruno Barreto e adaptado da peça homônima de Juca de Oliveira – retrata seus personagens. Não há salvação para a ética no país. É isso? Afinal, o único personagem que se mantém num nível moral digno é um idiota passivo e emocionalmente desequilibrado.

O tom farsesco rende alguns bons momentos, principalmente os protagonizados por Cássio Gabus Mendes (aliás, o único do elenco que parece ter entendido o tipo de atuação que o filme requeria). Contudo, a direção deselegante de Barreto, que abusa de zooms sem nenhum critério, não diferencia muito filme e peça, visto que algumas cenas e todo o ato final mais parecem teatro filmado.



nota 4/10 — não se culpe por não ver

Caixa Dois (Brasil, 2007), dir.: Bruno Barreto – em cartaz nos cinemas

%d blogueiros gostam disto: