Quero ser grande

la-suerte-en-tus-manos-pelicula-4

O cineasta argentino Daniel Burman faz parte da jovem geração de autores de filmes que estabelecem um diálogo franco e direto com o público ao tratarem de questões próprias do homem comum, urbano, que enfrenta problemas em seus relacionamentos, em seu trabalho e, claro, em sua família. O núcleo familiar, aliás, é o que podemos eleger como preocupação principal dos filmes de Burman.

Em seu mais recente trabalho, “A Sorte em Suas Mãos”, temos novamente personagens atravessando conflitos pessoais ou crises existenciais – habitantes muito comuns, também, do cinema independente americano. Porém, Burman localiza seu protagonista, interpretado pelo músico Jorge Drexler (vencedor do Oscar de Canção Original por “Diários de Motocicleta”, agora fazendo sua estreia como ator) e seu par romântico, Valeria Bertuccelli, um passo além da crise dos 30.



Em várias passagens do filme, nós temos alusões à infância, com o casal brincando de afogar um ao outro numa piscina de bolinhas de plástico, por exemplo. Porém, eles não têm a nostalgia como válvula de escape. Existe, nessas imagens, uma vontade de voltar a uma época em que a vida era mais simples e inofensiva, em que eles não poderiam se machucar mesmo que tentassem se matar. Porém, há também um sentimento agridoce, como se os personagens estivessem cientes de que não é possível viver de lembranças.

Pequenas mentiras vão pautar o reencontro desse casal, que teve uma relação prévia antes de nós os conhecermos. E eles se unem novamente no desejo de se protegerem de novas decepções ou de novas responsabilidades (que atendem pelo nome de “filhos”).

Burman sabe onde quer chegar com seu filme, e é muito bom perceber que ele busca discutir nossos dramas para a frente, ao contrário de cineastas que exploram esse mesmo tema apenas como forma de consolar frustrações.

“A Sorte em Suas Mãos” peca no ato final ao render-se um pouco à fórmula das comédias românticas. Não chega a ser tão bom quanto “As Leis de Família” ou “O Abraço Partido” – nesta ordem, os melhores filmes de Burman –, mas ainda assim é um trabalho consistente de seu diretor. ■

A SORTE EM SUAS MÃOS (La suerte en tus manos, 2012, Argentina, Espanha). Direção: Daniel Burman; Roteiro: Daniel Burman, Sergio Dubcovsky; Produção: Daniel Burman, Diego Dubcovsky; Fotografia: Daniel Sebastián Ortega; Montagem: Luis Barros; Música: Nico Cota; Com: Jorge Drexler, Valeria Bertuccelli, Norma Aleandro, Luis Brandoni, Paloma Alvarez, Eugenia Guerty, Salo Pasik, Gabriel Schultz, Fernando Diego Barletta, Olivier Ubertalli; Estúdios: Gullane Filmes, BD Cine, Tornasol Films; Distribuição: Imovision. 110 min
%d blogueiros gostam disto: