“Gilberto Gil – Antologia Vol. 1” - Divulgação
“Gilberto Gil – Antologia Vol. 1” - Divulgação

Canal Curta! exibe documentários musicais em junho

Dez documentários que exploram a trajetória de grandes artistas, como Maria Callas, Jards Macalé e Clementina de Jesus, são destaque da programação do canal Curta! no mês de junho.

Entre os longas na grade, três serão exibidos em comemoração ao aniversário nomes fundamentais da MPB: “Karingana – Licença Para Contar” homenageia Maria Bethânia (nascida em 18/06); “Gilberto Gil – Antologia Vol. 1” celebra Gil (em 26/06); e “Alceu – Na Embolada do Tempo” comemora a vida de Alceu Valença, que completa mais um ano de vida no dia 1º de julho.

Os filmes selecionados também contam a história de festivais, como o lendário Festival de Águas Claras, e de movimentos musicais, como o rock de Brasília na década de 1980 e a Tropicália. Confira a programação completa:

“Rock Brasília — A Era de Ouro”, de Vladimir Carvalho

Sábado, 6 de junho, às 14h25

A história dos jovens brasilienses que, liderados por Renato Russo, veem o seu sonho tornado realidade — a consagração e o sucesso de suas várias bandas de rock. Nesta terceira parte de uma trilogia sobre a formação histórica, política e cultural de Brasília — as outras são “Conterrâneos Velhos de Guerra” (1991) e “Barra 68” (2000) —, o cineasta Vladimir Carvalho investiga as origens das grandes bandas de rock que tomaram de assalto o cenário musical brasileiro a partir de 1980, como Legião Urbana, Capital Inicial, Plebe Rude e muitas outras. Uma história pontuada por momentos inesquecíveis, como o quebra-quebra no show do Legião Urbana no Estádio Mané Garrincha, em junho de 1988, e o grande show do Capital Inicial na Esplanada dos Ministérios, em 2008, com Dinho Ouro Preto cantando a música do colega Renato Russo “Que País É Esse?”.

Horários alternativos: 6 de junho, sábado, às 14h25; 7 de junho, domingo, às 21h.

“Maria Callas – Vida e Obra”, de Alan Lewens e Alastair Mitchell

Segunda-feira, 8 de junho, às 21h

Um dos nomes mais famosos da história da ópera, a soprano Maria Callas arrebatou o público com suas performances cheias de carga dramática, aliada a uma bela voz. O documentário “Maria Callas: Vida e Obra” conta a história de sua vida com muito material de arquivo e entrevistas com importantes nomes das artes que conviveram com a cantora. Produzido em 1987, o documentário dá voz a várias personalidades que já não estão mais vivas. Entre os entrevistados, estão o diretor Franco Zeffirelli, o tenor Giuseppe di Stefano, o regente Carlo Maria Giulini, o pianista Robert Sutherland, o agente S. A. Gorlinsky e muitos outros.

Horários alternativos: 09 de junho, terça-feira, às 01h e às 15h; 10 de junho, quarta-feira, às 09h; 14 de outubro, domingo, às 15h.

“O Barato de Iacanga”, de Thiago Mattar

Sábado, 13 de junho, às 22h10

O documentário musical mostra os bastidores do Festival de Águas Claras, o mais lendário festival alternativo dedicado à música brasileira. A narrativa é construída a partir de Leivinha, idealizador do evento. Na época com 20 anos, ele organizou as quatro edições do festival (1975, 1981, 1983 e 1984) transformando a fazenda de seus pais no principal destino hippie daquele período.

Horários alternativos: 08 de junho, segunda-feira, 22h15; 9 de junho, terça-feira, às 02h15 e às 16h15; 10 de junho, quarta-feira, às 10h15; 13 de junho, sábado, às 22h10; 14 de junho, domingo, à 13h10.

“Tropicália”, de Marcelo Machado

Segunda-feira, 15 de junho, às 22h25

“Tropicália” é um retrato de um dos movimentos mais marcantes na cultura brasileira, o Tropicalismo. Feito quase que inteiramente com imagens de arquivo dos anos de 1967, 1968 e 1969, o documentário traz material fotográfico, sequências de filmes e programas de TV especialmente recuperados e deliciosamente embalados pela música de Caetano Veloso, Gilberto Gil, Os Mutantes e Tom Zé. Um momento de descoberta e confronto no início dos anos de chumbo.

Horários alternativos: 16 de junho, terça-feira, 02h25 e 16h25; 17 de junho, quarta-feira, às 10h25; 20 de junho, sábado, às 13h; 21 de junho, domingo, 19h25.

“Karingana – Licença para Contar”, de Mônica Monteiro

Quinta-feira, 18 de junho, às 21h40

Maria Bethânia leva, pela primeira vez, seu ensaio poético até Moçambique. A intérprete apresenta trechos de obras conectadas com diferentes formas de expressão em língua portuguesa. Com depoimentos de Mia Couto, José Agualusa e de diversos escritores e críticos literários moçambicanos e angolanos, o documentário apresenta o desenvolvimento da literatura em Moçambique e Angola. Trata de temas como a importância da literatura na resistência à colonização, a conexão com idiomas nativos e tradições orais e a influência de escritores brasileiros em Angola e Moçambique.

Horários alternativos: 19 de junho, sexta-feira, 01h40 e 15h40; 21 de junho, domingo, às 18h05; 22 de junho, segunda-feira, às 09h40.

“Jards ”, de Eryk Rocha

Segunda-feira, 22 de junho, às 21h

“Jards” é um documentário de Eryk Rocha que trata da vida e da obra do cantor Jards Macalé, autor de famosas canções, como “Vapor Barato”, “Gothan City” e “Movimento dos Barcos”. O filme também mostra um pouco do processo criativo do último álbum do cantor, lançado em 2011.

Horários alternativos: 23 de junho, terça-feira, 01h e 15h; 24 de junho, quarta-feira, às 09h; 27 de junho, sábado, às 09h; 28 de junho, domingo, às 13h20.

“Count Basie: Por Ele Mesmo”, de Jeremy Marre

Segunda-feira, 22 de junho, às 22h45

A biografia contada pelas próprias palavras de Count Basie revela as paixões e ambições que inspiraram o famoso pianista.

Horários alternativos: 23 de junho, terça-feira, às 02h45 e às 16h45; 24 de junho, quarta-feira, às 10h45;

“Gilberto Gil: Antologia Vol. 1”, de Lula Buarque de Hollanda

Sexta-feira, 26 de junho, às 21h30

O sexto documentário realizado por Lula Buarque de Hollanda com o artista apresenta obras compostas entre 1968 e 1987. Gil revela sua visão de mundo e potência criativa em expansão no início de carreira, num turbulento momento histórico brasileiro. O filme de montagem é construído a partir de vasta pesquisa de imagens de arquivo e revisita o contexto das músicas em conversa com o próprio criador.

“Alceu – Na Embolada do Tempo”, de Paola Vieira

Segunda-feira, 29 de junho, às 22h25

O documentário apresenta um painel da carreira do cantor e compositor Alceu Valença, através de performances ao vivo, comentadas pelo próprio e por terceiros, contextualizando sua obra singular na história cultural recente do país.

Horários alternativos: 30 de junho, terça-feira, às 02h25 e às 16h25; 01 de julho, quarta-feira, às 10h25; 04 de julho, sábado, às 14h50; 05 de julho, domingo, às 22h25.

“Clementina”, de Ana Rieper

Segunda-feira, 29 de junho, às 21h

Filme sobre universo de Clementina de Jesus, revelada aos 63 anos como uma das maiores vozes da história do samba. Considerada por muitos o elo perdido entre a cultura brasileira e as raízes africanas.

Horários alternativos: 30 de junho, terça-feira, às 01h e às 15h; 01 de julho, quarta-feira, às 09h; 04 de julho, sábado, às 22h30; 05 de julho, domingo, às 14h25.

%d blogueiros gostam disto: