"Matar ou Morrer" (High Noon, 1952) - Distribuição: Paramount Home Entertainment
"Matar ou Morrer" (High Noon, 1952) - Distribuição: Paramount Home Entertainment

Em Foco: “Matar ou Morrer” (1952), de Fred Zinnemann

Clique para reproduzir em uma nova janela | Download

Spotify | Deezer | Castbox | TuneIn | Stitcher | Player FM

No episódio #24, o podcast Em Foco analisa um dos melhores westerns de todos os tempos: “Matar ou Morrer” (High Noon, 1952), dirigido por Fred Zinnemann e estrelado por Gary Cooper, Grace Kelly, Katy Jurado, Thomas Mitchell e Lloyd Bridges.

O longa é vencedor de quatro estatuetas do Oscar: Melhor Ator (Cooper), Melhor Montagem (Elmo Williams e Harry Gerstad), Melhor Música (Dimitri Tiomkin) e Melhor Canção Original, a icônica “High Noon (Do Not Forsake Me, Oh My Darlin’)”.

Escrito por Carl Foreman (roteirista vencedor do Oscar por “A Ponte do Rio Kwai” e perseguido pelo Macarthismo), “Matar ou Morrer” tem como protagonista o xerife Will Kane, que justo no momento em que se prepara para se aposentar e partir em lua de mel com sua esposa recebe a notícia de que um antigo inimigo está voltando à cidade para se vingar. Kane pede ajuda dos moradores para enfrentar o bandido, mas ninguém parece disposto a ficar ao seu lado.

No programa, analisamos o uso estratégico da passagem do tempo, a estrutura narrativa emprestada da tragédia grega, as interessantes escolhas estéticas de Zinnemann, a força das personagens femininas, além de trazermos curiosidades sobre os bastidores.

Participam deste podcast: Renato Silveira, Kel Gomes, Ana Lúcia Andrade, professora de Cinema da Escola de Belas Artes da UFMG, e Heitor Capuzzo, também professor de Cinema, escritor e crítico, autor dos livros “O Cinema Além da Imaginação”, “Alfred Hitchcock: O Cinema em Construção” e “Lágrimas de Luz: O Drama Romântico no Cinema”.

“Matar ou Morrer” foi escolhido como tema deste episódio por nossos apoiadores em uma enquete de escolha de pauta. Para esta edição, a enquete contou com curadoria da Ana Lúcia Andrade. A lista de títulos elaborada por ela também trazia “Psicose” (Psycho, 1960), de Alfred Hitchcock, “A Época da Inocência” (The Age of Innocence, 1993), de Martin Scorsese, “O Som ao Redor” (2012), de Kleber Mendonça Filho, e “Estou Me Guardando para Quando o Carnaval Chegar” (2019), de Marcelo Gomes. “Matar ou Morrer” venceu com 33,3% dos votos.

No Em Foco, você ouve debates e análises de filmes, sejam eles clássicos, grandes sucessos de bilheteria e de crítica, produções que marcaram época ou que foram redescobertas com o passar dos anos, não importa o país de origem. Além disso, você revisita conosco a filmografia de cineastas que deixaram sua assinatura na história do cinema.

Quer mandar um e-mail? Escreva seu recado e envie para contato@cinematorio.com.br

– Receba nossas newsletters e conteúdo exclusivo de cinema! Saiba mais!

Fora de Quadro

Filmes similares ou derivados de “Matar ou Morrer”:

"Matar ou Morrer - Parte 2: O Retorno de Will Kane” (High Noon, Part II: The Return of Will Kane, 1980)

“Matar ou Morrer – Parte 2: O Retorno de Will Kane” (High Noon, Part II: The Return of Will Kane, 1980): Continuação feita para a televisão, com Lee Majors no papel do xerife Will Kane e Katherine Cannon como Amy. Eles voltam para a cidade um ano após os eventos do primeiro filme e encontram o lugar dominado por um novo xerife que abusa de seu poder. Direção de Jerry Jameson e roteiro assinado pelo escritor Elmore Leonard (autor dos livros em que são baseados “Jackie Brown”, “Irresistível Paixão”, “O Nome do Jogo”, entre outros filmes). 

"A Vingança de um Pistoleiro" (High Noon, 2000)

“A Vingança de um Pistoleiro” (High Noon, 2000): Refilmagem para televisão com Tom Skerritt no papel de Will Kane, Susanna Thompson como Amy, Maria Conchita Alonso como Helen Ramirez e Michael Madsen como Frank Miller. Direção de Rod Hardy. Filme produzido por Karen Kramer, viúva de Stanley Kramer, produtor de “Matar ou Morrer”.

"Matar ou Correr" (1954)

“Matar ou Correr” (1954): chanchada brasileira, dirigida por Carlos Manga e estrelada por Oscarito, Grande Otelo e José Lewgoy, que parodia o filme de Fred Zinnemann. Produzido pela Atlântida, integra a série de filmes do estúdio que satirizavam grandes sucessos e astros hollywoodianos. Ficha na Cinemateca Brasileira.

"Te Pego Lá Fora" (Three O'Clock High, 1987)

“Te Pego Lá Fora” (Three O’Clock High, 1987): comédia que fez muito sucesso na “Sessão da Tarde”, dirigida por Phil Joanou e estrelada por Casey Siemaszko e Richard Tyson. O filme também usa a passagem de tempo como ferramenta narrativa e a trama homenageia “Matar ou Morrer”, com o protagonista fazendo de tudo para tentar evitar uma briga com um valentão depois da aula.

“Outland: Comando Titânio” (Outland, 1981)

“Outland: Comando Titânio” (Outland, 1981): Ficção científica policial, dirigida por Pete Hyams e estrelada por Sean Connery. O protagonista é um agente federal que também tenta conseguir ajuda para combater o crime organizado, mas a trama se passa em uma lua de Júpiter.

“Bater ou Correr” (Shangai Noon. 2000)

“Bater ou Correr” (Shangai Noon, 2000): comédia de ação estrelada por Jackie Chan e Owen Wilson, cujo título é uma homenagm a “Matar ou Morrer”. A história é diferente, mas ao longo do filme há várias outras referências a westerns clássicos. Fez sucesso de bilheteria e ganhou continuação em 2003, “Bater ou Correr em Londres”.

Textos, imagens e outros materiais relacionados

— Referência bibliográfica do texto escrito por Heitor Capuzzo usado como base para o debate do podcast:

CAPUZZO , H.. Cinema e Serialidade. In: Patricia Franca; Luiz Nazario. (Org.). Concepções Contemporâneas da Arte. 1ed.Belo Horizonte: UFMG, 2006, v. 1, p. 104-109.

Podcast Em Foco: “A um Passo da Eternidade” (1953), de Fred Zinnemann

What A Classic ’50s Western Can Teach Us About The Hollywood Blacklist – entrevista com Glenn Frankel, autor do livro “High Noon: The Hollywood Blacklist and the making of an American Classic” (em inglês)

— Trailer original:

— Trailer da restauração em 4K de 2019:

— Algumas cenas do filme:

— John Wayne recebe o Oscar de Melhor Ator para Gary Cooper na cerimônia do Oscar:

 


Apoio:

MUBI

O cinematório é parceiro do MUBI, um serviço de streaming de filmes que exibe preciosidades cinematográficas realizadas no mundo todo, escolhidas a dedo por uma equipe de curadores. Faça um teste por 30 dias grátis: basta se cadastrar neste link.

%d blogueiros gostam disto: