"Tuã Ingugu"/Divulgação

Mostra Ecofalante de Cinema realiza edição online e gratuita

Em junho deste ano, a Mostra Ecofalante de Cinema, considerado o mais importante evento audiovisual sul-americano dedicado às temáticas socioambientais, apresentou o Especial Semana do Meio Ambiente, em parceria com a plataforma Videocamp, exibindo cinco filmes e seis debates no Facebook e no YouTube.  Agora chegou o momento da programação completa da 9ª edição da Mostra, que acontece de hoje, 12 de agosto, a 20 de setembro, de forma totalmente online e gratuita. As exibições e entrevistas podem ser acessadas neste site e os debates serão transmitidos pelo Facebook e canal do YouTube. Os filmes também podem ser acessados pela Videocamp e pela Spcine Play.

A cerimônia de abertura será hoje, dia 12 de agosto, às 19h, nas páginas do Facebook e YouTube, com os convidados Chico Guariba, diretor da Mostra; Laís Bodanzky, cineasta e presidente da Spcine; Francisco Cesar Filho, apresentador e curador; Laura Motta, que coordena a estratégia de sustentabilidade do Mercado Livre no Brasil; e os cineastas Estêvão Ciavatta, Petrus Cariry, Lírio Ferreira, Wolney Oliveira, Aude Chevalier-Beaumel, Marcelo Barbosa e Firmino Holanda.

“Tuã Ingugu” – Divulgação

Programação



A Mostra Ecofalante reúne, nesta edição, 98 títulos de 24 países, muitos deles inéditos no Brasil. A grade de programação prevê novidades diárias, com até 11 diferentes sessões por dia. Ao longo das seis semanas, os filmes ficam disponíveis sempre às 15h por períodos de 24 horas, com até cinco dias de exibições cada um.

Os programas estão organizados em: Panorama Internacional Contemporâneo, que é dividido em sete temáticas e reúne obras inéditas e com carreira em importantes eventos internacionais; Competição Latino-Americana, que premia os melhores filmes com temática socioambiental da América Latina; Competição Curta Ecofalante, com curtas-metragens produzidos por estudantes e cujos temas dialogam com os Objetivos de Desenvolvimento Sustentável (ODS) propostos pela ONU na Agenda 2030; e Clássicos e Premiados, que estreia este ano e traz destaques da cinematografia brasileira voltada à temática socioambiental, reunindo documentários e longas-metragens de ficção produzidos entre 1974 e 2018, dirigidos por Jorge Bodanzky, Silvio Tendler, Vincent Carelli, Hermano Penna, Aurélio Michiles, Marcelo Pedroso e Ricardo Dias.

Competição Latino-Americana

A Competição Latino-Americana reúne sete obras inéditas no Brasil e outras três nunca exibidas em festivais. Os longas são: “Acqua Movie”, novo filme do pernambucano Lírio Ferreira, que tem no elenco Alessandra Negrini e Marcélia Cartaxo; “Amazônia Sociedade Anônima”, de Estêvão Ciavatta; “Estou Me Guardando para Quando o Carnaval Chegar”, de Marcelo Gomes; “A Jangada de Welles”, de Firmino Holanda e Petrus Cariry; “Soldados da Borracha”, de Wolney Oliveira; “Indianara”, de Aude Chevalier-Beaumel e Marcelo Barbosa; “Suspensão” (Colômbia) de Simón Uribe; e “Deus” (Chile), de Christopher Murray, Josefina Buschmann e Israel Pimentel. Este último aborda a visita do Papa ao Chile, em 2018, onde o país vivia a maior crise religiosa de sua história.

Entre os médias e curtas-metragens, destacam-se “Ruivaldo, o Homem que Salvou a Terra” de Jorge Bodanzky ; “Tuã Ingugu”, de Daniela Thomas; o colombiano “O Deputado”, de Samuel Moreno Alvarez; os argentinos “C.I.T.A. (Cooperativa Industrial Têxtil Argentina)” de Lucas Molina, Tadeo Suarez e Marcos Pretti e “Suquía” de Ezequiel Salinas, entre outros.

“Acqua Movie” – Divulgação

Filmes contemporâneos internacionais

O Panorama Internacional Contemporâneo reúne obras de 16 países. E entre elas estão:  “Patrimônio” (México/EUA), dirigido pela vencedora do Emmy, Lisa H. Jackson; “Dolores” (EUA), de Peter Bratt, produção executiva do músico Carlos Santana; “Tomates, Molho e Wagner”, de Marianna Economou, indicado da Grécia ao Oscar de Melhor Filme Estrangeiro; “Jawline: Ascensão e Queda de Austyn Tester” (EUA), de Liza Mandelup; “Beleza Tóxica” (Canadá) de Phyllis Ellis; e “Botando pra Quebrar” (França), de Lech Kowalski, selecionado para a Quinzena dos Realizadores do Festival de Cannes.

“Tomates, molho e wagner” – Divulgação

Outras atividades

A Mostra Ecofalante de Cinema ainda traz uma série de dez entrevistas com diretores internacionais, conduzidas pela jornalista Flávia Guerra e realizará debates virtuais, sempre às quartas-feiras e sábados, reunindo ativistas, cientistas e especialistas que discutem, entre outros temas, ativismo, consumo, economia, emergência climática, povos e lugares, tecnologia e trabalho.

A programação inclui também uma masterclass com Cristina Amaral, que acontece no mês de setembro, em data e horário a serem anunciados. E uma atividade de formação é ministrada pelo cineasta, curador e organizador de diversos eventos Francisco Cesar Filho (“Augustas”; “Futuro do Pretérito – Tropicalismo Now!”) . As datas, assim como o processo de inscrição dos interessados, serão divulgados futuramente.

SERVIÇO
9ª Mostra Ecofalante de Cinema Ambiental
De 12 de agosto a 20 de setembro de 2020
Online e gratuito
Programação completa e mais informações aqui.

Com informações da assessoria de imprensa do festival.

%d blogueiros gostam disto: