"Sangue do Meu Sangue" (Sangue del mio sangue, 2015), de Marco Bellocchio
"Medo e Desejo" (Fear and Desire, 1953), de Stanley Kubrick - Divulgação

Belas Artes À La Carte: os filmes que estreiam em fevereiro no cardápio

Com novas adições a cada semana, o Belas Artes À La Carte é uma das plataformas de streaming mais interessantes do mercado pela curadoria de filmes clássicos, de vários países e épocas, e obras contemporâneas diferenciadas.

Entre os destaques de fevereiro: “Medo e Desejo” (1953), primeiro longa-metragem dirigido por Stanley Kubrick; “O Pai” (2019), drama búlgaro de Kristina Grozeva e Petar Valchanov; “A Inglesa e o Duque” (2001), de Eric Rohmer; “A Rainha Margot” (1994), versão restaurada do clássico de Patrice Chereau; “Operação Camanducaia” (2020), documentário de Tiago Rezende de Toledo sobre a história de 93 meninos que foram presos em São Paulo e levados para Minas Gerais durante a Ditadura Militar; “O Escafandro e a Borboleta” (2007), premiado filme de Julian Schnabel estrelado por Mathieu Almaric e Emmanuelle Seigner.

Confira o calendário com todas as estreias:



4 de fevereiro

Germinal (Germinal)

França, Bélgica e Itália, 1993, 160min, Drama

Direção: Claude Berri

Elenco: Gérard Depardieu, Miou-Miou; Renaud, Laurent Terzieff, Bernard Fresson, Annie Duperey, Jean-Roger Milo, Jean Carmet

Sinopse: No norte da França de meados do século XIX, os trabalhadores de uma cidade de mineração de carvão são explorados pelo proprietário da mina. Um dia, eles decidem entrar em greve e as autoridades os reprimem

Curiosidades: O filme custou 165 milhões de francos, o que o tornou o filme francês mais caro já feito, até a época do seu lançamento. No romance de Emile Zola, a personagem Catherine Maheu teria 15 anos, enquanto no filme ela foi interpretada por Judith Henry, que tinha 25 anos na época da filmagem. A maioria dos figurantes foi escolhida entre ex-mineiros ou seus filhos e netos.

Nahid – Amor e Liberdade (Nahid)

Irã, 2016, 104min, Drama

Direção: Ida Panahandeh

Elenco: Sareh Bayat, Pejman Bazeghi, Navid Mohammadzadeh

Sinopse: Na cidade de Teerã dos dias atuais, Nahid consegue obter o divórcio do marido. De acordo com as leis religiosas iranianas, o pai obtém automaticamente a guarda do filho, mas Nahid consegue ficar com o filho de 10 anos de idade, em troca de dinheiro e contanto que nunca mais se case. Um dia, porém, Nahid se apaixona, e teme quebrar as regras do acordo.

Curiosidades: Filme vencedor do prêmio Un Certain Regard, no Festival de Cannes 2015. A protagonista, Sareh Bayat, venceu o prêmio de Melhor Atriz no Festival de Berlim 2011, pelo filme “A Separação”, de Asghar Farhadi, prêmio compartilhado com Leila Hatami, atriz do mesmo filme. A diretora iraniana Ida Panahandeh nasceu em Teerã, e é formada em Direção de Fotografia para Cinema.

Empresta-me a tua mulher (Prestami tua moglie)

Itália, 1980, 99min, Comédia

Direção: Giuliano Carnimeo

Elenco: Lando Buzzanca, Janet Agren, Daniela Poggi

Sinopse: Um sulista de Milão vive atrás de sua amante, dona de uma agência de publicidade. Sua esposa, que havia partido cinco anos antes, reaparece e o pobre homem, temendo que vá pedir o divórcio e a pensão alimentícia, involuntariamente se mete em muitos problemas.

Curiosidades: O elenco conta com a participação de Claudine Auger (1941–2019), primeira atriz francesa a interpretar a personagem principal em um filme de 007, “James Bond em 007 Contra a Chantagem Atômica” (1965). Filme produzido por Ugo Tucci, o mesmo do clássico “A Classe Operária Vai para o Paraíso” (1971), de Elio Petri, vencedor da Palma de Ouro no Festival de Cannes. A atriz Janet Agren, uma ex-modelo sueca, ganhou papel de grande destaque neste filme, após participações menores em filmes de diretores renomados, como “Avanti! Amantes à Italiana” (1972), de Billy Wilder, e “A Mais Bela Noite da Minha Vida” (1972), de Ettore Scola.

Medo e desejo (Fear and Desire)

EUA, 1953, 62min, Drama

Direção: Stanley Kubrick

Elenco: Frank Silvera, Kenneth Harp, Paul Mazursky

Sinopse: Quatro soldados sofrem uma queda de avião em terras inimigas e precisam voltar à base, mas os planos mudam quando uma camponesa cruza seus caminhos.

Curiosidades: Primeiro longa de Stanley Kubrick. O diretor não gostou do resultado e tentou banir todas as cópias existentes do filme, mas, a Kodak, ao reproduzir cópias de filmes para o lançamento, sempre imprimia uma a mais para os seus arquivos, e, graças a essa cópia extra, hoje conhecemos “Medo e Desejo”. Segundo relatos, o orçamento do filme era tão apertado que Stanley Kubrick não tinha atores suficientes para todos os personagens e alguns tiveram papéis duplos.

Vidas (in)visíveis: Um arsenal de esperança

Brasil, 2020, 65min, Documentário

Direção: Erica Bernardini

Sinopse: Acolher. Essa é a palavra que resume perfeitamente o Arsenal da Esperança, casa de acolhimento fundada em 1996 por Ernesto Olivero e Dom Luciano Pedro Mendes de Almeida. Localizado nas instalações da antiga Hospedaria de Imigrantes, em São Paulo, o Arsenal recebe diariamente uma média de 1.200 homens que se encontram em estado de vulnerabilidade. “Vidas (in)visíveis – um arsenal de esperança” apresenta não somente o trabalho realizado pelo Arsenal, mas nos convida a refletir sobre acolhida, fraternidade e ajuda mútua.

11 de fevereiro

O Pai (Bashtata)

Bulgária, 2019, 87min, Drama

Direção: Kristina Grozeva e Petar Valchanov

Elenco: Ivan Barnev, Ivan Savov, Tanya Shahova

Sinopse: Vasil acaba de perder sua grande parceira de vida, a esposa Ivanka. Quando, após o funeral, uma parente afirma ter recebido chamadas da falecida no celular, Vasil decide viajar até um famoso médium, com a esperança de entrar em contato com ela. Seu filho, Pavel, tenta dissuadi-lo da ideia, mas Vasil insiste em seguir em frente. Os dois, então, partem numa louca jornada que os fará enfrentar a culpa que sentem acerca da perda, enquanto uma série de absurdos colocam à prova a relação entre eles.

Curiosidades: O filme é baseado em um fato ocorrido na família dos diretores, quando um vizinho, três horas depois do funeral de uma parente, apareceu mostrando uma chamada perdida da falecida, que ele acabara de receber em seu celular. “O Pai” é um projeto paralelo a uma trilogia inspirada em notícias de jornal, da qual fazem parte “A Lição”(2014) e “Glory”(2016). “A Lição” e “Glory” ganharam vários prêmios em festivais renomados, como os de San Sebastian, Tóquio, Locarno, Gotemburgo, Varsóvia, Edimburgo, Les Arcs, Gijon e muitos outros, ficando assim entre os filmes búlgaros de maior sucesso do século XXI.

Filhos do Tibete (Dreaming Lhasa)

Índia | Reino Unido, 2005, 90min, Drama

Direção: Ritu Sarin, Tenzing Sonam

Elenco: Tenzin Chokyi Gyatso, Tenzin Jigme, Jampa Kalsang

Sinopse: Uma jovem cineasta tibetana viaja à Índia para fazer um documentário sobre exilados políticos. Com a viagem, ela busca se reconectar com suas origens, mas acaba conhecendo um ex-monge que tenta realizar um desejo da mãe.

Curiosidades: Jeremy Thomas, o aclamado produtor britânico de “O Último Imperador” e outros filmes dirigidos por Bernardo Bertolucci, foi o principal produtor executivo de “Dreaming Lhasa”. O ator Richard Gere, notório apoiador do Tibete, também foi um dos produtores executivos do filme. Andy Spence, o compositor da trilha musical, é membro fundador do grupo pop britânico New Young Pony Club.

Amante extra conjugal (Sissignore)

Itália, 1968, 105min, Comédia

Direção: Ugo Tognazzi

Elenco: Ugo Tognazzi, Maria Grazia Buccella, Gastone Moschi

Sinopse: Oscar é um motorista que para ficar nas boas graças de seu mestre, um conhecido empresário conhecido como o “Advogado” (Gastone Moschin), assume a responsabilidade de um grave acidente automobilístico, com 15 mortes, causado por O advogado”. Após três anos de prisão, Oscar sai, mas é prontamente levado à igreja para se casar com uma bela jovem (Maria Grazia Buccella) que ele nunca tinha visto antes e que na verdade é amante do “Advogado”.

Curiosidades: O ator Franco Fabrizi (1916–1995) participou de diversos filmes de Federico Fellini, entre eles “Os Boas Vidas” (1955), “A Trapaça” (1955), “Satyricon” (1969) e “Ginger e Fred” (1986), e também interpretou o barbeiro que muda o visual de Dirk Bogarde no clássico “Morte em Veneza” (1971), de Luchino Visconti. A atriz Maria Grazia Buccella foi um grande símbolo sexual na Itália, na época deste filme.

Minha mulher é uma atriz (Ma Femme Est Une Actrice)

França, 2001, 95min, Comédia

Direção: Yvan Attal

Elenco: Yvan Attal, Charlotte Gainsbourg

Sinopse: Um cara “normal” que é casado com uma linda atriz fica preocupado que ela esteja envolvida com seu co-ator. Essa preocupação se transforma em ciúme e causa problemas no relacionamento. Esta é uma história sobre confiança e uma comédia sobre as ações entre homens e mulheres.

Curiosidades: Primeiro longa dirigido pelo ator Yvan Attal, diretor do sucesso “O Orgulho”, também disponível no À La Carte. A atriz principal, Charlotte Gainsbourg, era casada com o diretor na época em que o filme foi realizado. Noémie Lvovsky, presente no À La Carte nos filmes “Um Belo Verão” e “Os Dois Filhos de Joseph”, foi indicada ao prêmio César de Melhor Atriz Coadjuvante por “Minha Mulher é Uma Atriz”.

18 de fevereiro

A inglesa e o duque (L’Anglaise At Le Duc)

França | Alemanha, 2001, 129min, Drama

Direção: Eric Rohmer

Elenco: Jean-Claude Dreyfus, Lucy Russell

Sinopse: Durante a Revolução Francesa, uma aristocrata escocesa e seu ex-amante, o duque de Orleans, se encontram em lados opostos do conflito.

Curiosidades: Filme baseado em parte na autobiografia de Grace Elliott (1754-1754), uma cortesã inglesa que residiu na França durante os eventos da Revolução Francesa, e foi amante de Luís Filipe II, Duque de Orleans, que era primo do rei Luís XVI. Eleito pela conceituada revista francesa “Les Cahiers du cinéma” como um dos 10 melhores filmes de 2001. Antepenúltimo longa do grande diretor francês Éric Rohmer (1920–2010).

Os filhos de Fierro (Los Hijos de fierro)

Argentina, 1972, 134min, Drama

Direção: Fernando E. Solanas

Elenco: Julio Troxler, Antonio Ameijeiras, Juan Carlos Gené

Sinopse: Visão peronista de sua história entre o outono de 1955 e o triunfo eleitoral de 1973 usando uma metáfora do poema Martin Fierro.

Curiosidades: O diretor argentino Fernando E. Solanas, nascido em 1936, chamou a atenção logo com o seu primeiro longa-metragem “La Hora de los Hornos” (1968), codirigido com Octavio Getino. O roteiro teve como base o poema “Martín Fierro”, de José Hernández, escrito em 1872, com história situada no período que vai do golpe que derrubou Perón, em 1955, até sua retomada ao poder, em 1973. O filme teve como locações fábricas, sindicatos, bares, ruas e residências, sendo interpretado por pessoas comuns e alguns atores profissionais.

A rainha Margot (La reine Margot)

França | Itália ! Alemanha, 1994, 159min, Drama

Direção: Patrice Chereau

Elenco: Isabelle Adjani, Jean-Hugues Anglade, Daniel Auteuil, Virna Lisi, Vincent Perez

Sinopse: A jovem rainha Margot se vê presa em um casamento arranjado em meio a uma guerra religiosa entre católicos e protestantes. Ela espera escapar com um novo amante, mas se encontra presa por sua família poderosa e implacável.

Curiosidades: Adaptação de “La Reine Margot”, romance histórico escrito por Alexandre Dumas, publicado em 1845. O roteiro foi adaptado pelo diretor Patrice Chéreau (1944–2013), e por Danièle Thompson, diretora de “Um Lugar na Plateia”, filme disponível no À La Carte. Indicado ao Oscar 1995, na categoria de Melhor Figurino, o filme ganhou diversos prêmios, entre eles o de Melhor Atriz, para Virna Lisi, e o Prêmio do Júri.

O segredo do bosque velho (Il secreto del bosco vecchio)

Itália, 1993, 144min, Fantasia

Direção: Ermanno Olmi

Elenco: Paolo Villaggio, Giulio Brogi, Riccardo Zannantonio

Sinopse: A história de um general que está prestes a derrubar uma velha floresta para obter ganhos financeiros, mas descobre que a floresta é habitada por espíritos invisíveis.

Curiosidades:  Baseado no romance homônimo de Dino Buzzati. Do mesmo diretor do clássico “A Árvore dos Tamancos” (1978), vencedor da Palma de Ouro no Festival de Cannes. O estilo do diretor Ermanno Olmi (1931–2018) foi fortemente influenciado pela obra de Roberto Rosselini.

Operação Camanducaia

Brasil, 2020, 75min, Documentário

Direção: Tiago Rezende de Toledo

Sinopse: A história de 93 meninos que foram presos em São Paulo e levados para Minas Gerais durante a Ditadura Militar.

Curiosidades: A ideia de realizar este documentário surgiu após o diretor e produtor mineiro Tiago Rezende de Toledo ler o livro “Infância dos Mortos”, de José Louzeiro. Segundo o diretor, o período de pesquisa e produção do documentário levou 10 anos. Mais de 50 pessoas foram entrevistadas para a realização do filme.

25 de fevereiro

O escafandro e a borboleta (Le Scaphandre Et Le Papillon)

França | EUA, 2007, 112min, Drama

Direção: Julian Schnabel

Elenco: Mathieu Almaric, Marie-Jose Croze, Anne Consigny, Emmanuelle Seigner

Sinopse: A verdadeira história do editor da Elle, Jean-Dominique Bauby, que sofre um derrame e tem de viver com o corpo quase totalmente paralisado; apenas seu olho esquerdo não está paralisado.

Curiosidades: Indicado ao Oscar em 4 categorias: Melhor Direção, Melhor Roteiro Adaptado, Melhor Fotografia e Melhor Montagem. O filme conta a história real do francês Jean-Dominique Bauby (1952–1997), um conhecido jornalista e escritor francês, editor da revista de moda Elle durante vários anos, que sofreu um grave acidente vascular cerebral e entrou em coma, acordando 20 dias depois, sem a capacidade de falar e se movimentar, conseguindo apenas piscar o olho esquerdo, recurso que ele usava pra se comunicar com sua fonoaudióloga, responsável por transcrever a história dele, que acabou virando livro e filme. Para dar mais realismo à história, o diretor Julian Schnabel filmou no mesmo hospital onde o personagem real foi tratado, encontrando muitos dos enfermeiros que o atenderam, e também filmou cenas na varanda onde ele relaxava, e na praia para onde sua família o levou.

Didier, meu melhor amigo (Didier)

França | Bélgica, 1997, 105min, Comédia

Direção: Alain Chabat

Elenco: Alain Chabat, Jean-Pierre Bacri

Sinopse: Didier, o Golden Retriever de Annabelle, fica sob os cuidados de seu amigo Costa, um técnico que passa por uma má fase com sua equipe. Mas, quando a magia transforma o peludo Didier em humano, Costa vê uma chance de salvar sua carreira.

Curiosidades: Vencedor do Prêmio César de Melhor Filme de Diretor Estreante. Filme escrito e dirigido pelo ator e comediante francês Alain Chabat, presente nos filmes “O Gosto dos Outros” e “A Espuma dos Dias”, ambos disponíveis no À La Carte. Jean-Pierre Bacri, um dos atores principais, atuou com o diretor Alain Chabat em “O Gosto dos Outros”.

O pequeno diabo (Il piccolo diavolo)

Itália, 1988, 101min, Comédia

Direção: Roberto Benigni

Elenco: Roberto Benigni, Walter Matthau, Stefania Sandrelli

Sinopse: Durante um exorcismo, o padre Maurice conhece um diabinho chamado Giuditta, que se recusa a voltar para o inferno e decide descobrir o mundo.

Curiosidades: Comédia dirigida e protagonizada por Roberto Benigni, realizador de “A Vida é Bela” (1997), vencedor do Oscar em 3 categorias: Melhor Filme, Melhor Ator (Roberto Benigni) e Melhor Música Original. O filme é dedicado a Donato Sannini e Andrea Pazienza, dois amigos do diretor e ator Roberto Benigni, que morreram durante a realização do filme. O ator americano Walter Matthau ganhou o Oscar de Melhor Ator Coadjuvante por “Uma Loura por um Milhão” (1966), comédia de Billy Wilder.

O homem ao lado (El hombre de al lado)

Argentina, 2009, 110min, Thriller

Direção: Mariano Cohn, Gastón Duprat

Elenco: Rafael Spregelburd, Daniel Aráoz, Eugenia Alonso

Sinopse: Um pequeno incidente na parede comum de dois vizinhos desencadeia um conflito que afeta a intimidade da vista sobre a chaminé; o protagonista desencadeia um conflito e com a obsessão paranoica destrói a vida cotidiana.

Curiosidades: Este filme marca a quarta parceria entre os diretores argentinos Mariano Cohn e Gastón Duprat. Vencedor de 14 prêmios internacionais, entre eles os de Melhor Filme Argentino no Festival de Mar del Plata e Melhor Fotografia no Festival de Sundance. A única casa assinada pelo arquiteto suíço Le Corbusier na América, fica no número 320 do Boulevard 53, na cidade de La Plata, sudeste de Buenos Aires, e serve de cenário desta comédia, que soa indiretamente como uma homenagem ao mestre do modernismo.

Com informações da assessoria de imprensa do Belas Artes Grupo.

%d blogueiros gostam disto: