"Dinheiro" (2021), de Sávio Leite e Arthur B. Senra - Divulgação
"Dinheiro" (2021), de Sávio Leite e Arthur B. Senra - Divulgação

Mostra Instante Suspenso exibe curtas de baixo orçamento feitos na pandemia

Até 14 de março, acontece online a mostra Instante Suspenso, com 24 filmes que participaram do edital de curta-metragem de baixo orçamento do BDMG Cultural e da Fundação Clóvis Salgado. A programação também conta com debates e um curso gratuito.

Serão exibidos os 20 filmes contemplados com o 6º Prêmio BDMG Cultural/FCS e quatro suplentes que receberam Menção Honrosa. Os curtas permanecem disponíveis durante todo o período da mostra, em sessões especiais na plataforma CineHumbertoMauroMAIS. As exibições possuem versões em Libras, Legendas para Surdos e Ensurdecidos (LSE) e Audiodescrição.

Esta edição do Prêmio foi adaptada para uma nova modalidade de execução diante da pandemia de Covid-19, propondo a temática norteadora “Instante Suspenso: narrativas de um tempo de isolamento”. O intuito era o de buscar novas reflexões sobre os desafios do tempo presente e retratos históricos deste momento.

Além de estimular a cadeia produtiva voltada para profissionais independentes do cenário audiovisual mineiro, o edital integrou o Projeto #ARteSalva, iniciativa do Governo de Minas Gerais que reuniu uma série de ações de apoio às cadeias produtivas da Cultura e Turismo durante a pandemia.

"Método" (2021), de Inês Peixoto - Divulgação
“Método” (2021), de Inês Peixoto – Divulgação

A Comissão de Seleção do Prêmio foi composta por André Novais (cineasta e roteirista), Luís Fernando Moura (curador e programador) e Ursula Rösele (doutora e pesquisadora). “Encontramos uma série de recorrências cênicas, temáticas ou estruturantes: o isolamento social, a comunicação remota, o diário e o retrato domésticos, o comentário ou o conclame político, a recuperação e a ressignificação de arquivos e documentos, pessoais ou coletivos, a saudade ou a melancolia, a observação, a espiritualidade, o reencontro ou a convivência, a manifestação do corpo, do desejo ou da sexualidade, entre visões mais sóbrias ou delirantes do cotidiano, da história e do cinema”, destaca a comissão.

Os curtas selecionados passam por vertentes criativas em documentário, ficção, ensaio, filme de arquivo, performance, artes visuais, teatro filmado, filme militante e animação. As obras estão divididas em cinco sessões, nas quais podem ser vistas em sequência:

Sessão 1: “Olhos de Erê”, de Luan Manzo e Bruno Augusto Alves Vasconcelos; “O Elixir”, de Marina Sandim e Lucas Campolina; “Eu acho que eu não quero voltar pra casa”, de Marcela Sílvia dos Santos; “Colhia o tempo que nem laranja no pé”, de Layla Caroline Braz; e “Instantes”, de Denise Flores;

Sessão 2: “Dois”, de Guilherme Moreira Jardim e Vinicius Fockiss; “Até Depois do Fim do Mundo”, de Bruna Maynart Fernandes; “Determino Coragem, Coragem”, de Cristiano Araujo e André Victor; “Método”, de Inês Peixoto; e “Buraco de Afundar”, de TARDA (Sara Alves Braga, Julia Baumfeld, Victor Galvão, Paola Rodrigues e Randolpho Lamonier;

Sessão 3: “Carta”, de Ralph Antunes Silva; “Revide”, de Victor Guimarães; “Dinheiro”, de Sávio Leite e Arthur B. Senra; “Ser”, de Denise Patricia dos Santos; e “É Isso!”, de Rúbia Bernardes Nascimento;

Sessão 4: “Temos muito tempo para envelhecer”, de Bruna Schelb Corrêa; “Órbita”, de Catapreta e Daniel Nunes Coelho; “Eu vi nos seus olhos, da janela, eu vi, que era o fim”, de Larissa de Freitas Muniz; “Silêncio”, de Maria Leite Fontes; e “Drama Queen”, de Gabriela Luiza;

Sessão 5: “Que Deus é Esse?”, de Leonardo Good God; “Último Gás”, de Duda Gambogi; “AM PM”, de Jean de Jesus; “Noite que Não Finda”, de Pedro Aspahan.

"É Isso!" (2021), de Rúbia Bernardes Nascimento - Divulgação
“É Isso!” (2021), de Rúbia Bernardes Nascimento – Divulgação

Curso gratuito on-line

O curso “Elaboração e formatação de projetos para realização audiovisual” tem duração de três horas e será ministrado por Bruno Hilário, produtor executivo e Gerente do Cine Humberto Mauro, e Marco Antônio Pereira, realizador audiovisual, diretor de curtas premiados como “A Retirada para um Coração Bruto” e “4 Bilhões de Infinitos”.

A transmissão será feita ao vivo pelo Canal da FCS no YouTube e pela plataforma CineHumbertoMauroMAIS, simultaneamente, no dia 11 de março, às 19h, com tradução em Libras. Os participantes poderão interagir com os ministrantes durante a aula, enviando suas perguntas através do chat. A participação é gratuita e não é necessária inscrição prévia.

O curso é destinado a alunos e professores de ensino de qualquer nível, profissionais do setor audiovisual do interior do estado de Minas Gerais, e interessados em geral. A ementa abrange um panorama metodológico para elaboração de projetos de realização audiovisual, com enfoque nos processos de criação e planejamento para curtas-metragens, partindo da ideia original até um contexto mais amplo de financiamento e fomento.

O curso será dividido em dois momentos, sendo o primeiro voltado para a construção de uma metodologia de escrita, pensando na formação de empreendedores descentralizados e iniciantes. Em seguida, o cineasta Marco Antônio Pereira trará seus processos de criação e estratégias de realização em um contexto de produção e estudos de casos, que tem como objetivo amplificar a experiência de agentes do setor audiovisual do interior de Minas.

Com informações das assessorias de imprensa da Fundação Clóvis Salgado.

%d blogueiros gostam disto: