"Cadê Edson?" (2020) - Foto: Divulgação
"Cadê Edson", de Dácia Ibiapina, é um dos filmes na programação

Mostra “Eu digo ‘não’ ao não” exibe filmes brasileiros desobedientes

Mostrar o cinema como agente de desobediência em face do autoritarismo e da naturalização da violência. Esta é a proposta da mostra “Eu digo ‘não’ ao não: Filmes brasileiros desobedientes”, que acontece de 25 a 28 de outubro, online e gratuitamente, com exibições de filmes seguidas por debates ao vivo.

Promovida pela Escola Pública de Audiovisual da Vila das Artes, em Fortaleza, a programação consiste em quatro sessões cineclubistas, sempre a partir das 17h, transmitidas por meio do canal da Vila das Artes no YouTube.

A curadoria dos filmes e a mediação dos debates da mostra “Eu digo ‘não’ ao não” são de Adriano Garrett, jornalista, crítico e pesquisador de cinema e editor do site Cine Festivais. Os debates contam com a participação de realizadores dos filmes de cada sessão e convidados. Confira mais abaixo os dias e horários.

“Vivemos numa época em que a naturalização dos mais variados tipos de violência é parte de nosso cotidiano”, explica Garrett. “Médias móveis de mortes na casa dos milhares geram, quando muito, uma indignação contida, incapaz de abalar as estruturas de poder político e econômico. Diante desse estado de coisas, como o cinema pode servir como agente de desobediência, a partir não só da abordagem temática, mas também de suas escolhas formais?”, indaga o curador.

Entre os filmes da sessão de estreia, encontra-se “Meio-Dia”, curta-metragem de Helena Solberg, realizado em 1970. Sobre a mostra, Garrett acrescenta: “A programação busca estabelecer um elo com o passado mal resolvido da ditadura civil-militar brasileira para, a partir daí, adentrar nas proposições de filmes brasileiros contemporâneos de curta, média e longa-metragem”, descreve.

Programação da mostra “Eu digo ‘não’ ao não: Filmes brasileiros desobedientes”:

Sessão 1 – Bandeiras

— Filmes: “Meio-Dia” (1970 / 10min / 12 anos), de Helena Solberg; “Retrato n.1 Povo acordado e suas 1000 bandeiras” (2013 / 4min / Livre), de Edu Ioschpe; “Conte Isso Àqueles que Dizem que Fomos Derrotados” (2018 / 22min / 12 anos), de Camila Bastos, Pedro Maia de Brito, Aiano Bemfica, Cristiano Araújo; “Primeiro de Maio com Mia” (2016 / 8min / Livre), de Ernesto de Carvalho

— Após os filmes, debate com o diretor Edu Ioschpe, o realizador Cristiano Araújo e a personagem Mia Aragão. A mediação é do curador Adriano Garrett

Data: Segunda-feira (25/10)

Hora: 17h

Local: Canal da Vila das Artes no YouTube

Sessão 2 – Cadeiras Empilhadas

— Filmes: “Kyoto” (2014 / 8min / Livre), de Deborah Viegas; “Impermeável Pavio Curto” (2018 / 21min / 12 anos), de Higor Gomes; “Aulas que Matei” (2018 / 23min / 14 anos) de Amanda Devulsky e Pedro B. Garcia; “Ilhas de Calor” (2019 / 19min / 12 anos), de Ulisses Arthur; “Nada” (2017 / 27min / 12 anos), de Gabriel Martins

— Após os filmes, debate com os diretores Higor Gomes e Pedro B. Garcia. A mediação é do curador Adriano Garrett

Data: Terça-feira (26/10)

Hora: 17h

Local: Canal da Vila das Artes no YouTube

Sessão 3 – Espigões

— Filmes: “Vista Mar” (2008 / 12min / Livre), de Pedro Diógenes, Rodrigo Capistrano, Claugeane Costa, Henrique Leão, Rúbia Mércia e Victor Furtado; “Nova Dubai” (2014 / 50min / 18 anos), de Gustavo Vinagre

— Após os filmes, debate com o pesquisador Henrique Rodrigues Marques e representantes dos filmes. A mediação é do curador Adriano Garrett

Data: Quarta-feira (27/10)

Hora: 17h

Local: Canal da Vila das Artes no YouTube

Sessão 4 – (Re)produção de Imagens

— Filmes: “Videomemoria” (2020 / 24min / 12 anos), de Aiano Bemfica e Pedro Maia de Brito; “Cadê Edson?” (2019 / 73min / 12 anos), de Dácia Ibiapina

— Após os filmes, debate com a pesquisadora Patricia Machado e com os diretores Aiano Bemfica e Dácia Ibiapina. A mediação é do curador Adriano Garrett

Data: Quinta-feira (28/10)

Hora: 17h

Local: Canal da Vila das Artes no YouTube

Com informações da assessoria de imprensa da Vila das Artes.

%d blogueiros gostam disto: