"Ato" (2021), de Bárbara Paz - Divulgação
"Ato" (2021), de Bárbara Paz - Divulgação

31º Festival Curta Cinema tem sessões presenciais e online

De 3 a 11 de novembro, o 31º Festival Internacional de Curtas-Metragens do Rio de Janeiro, o Curta Cinema, retorna para as salas do cinema no Estação Net Botafogo, com entrada franca. O evento também continua com exibições online gratuitas através da plataforma Festhome TV, como nas duas últimas edições em função da pandemia de Covid-19. O formato híbrido foi adotado por permitir um alcance nacional – e até internacional – do festival, levando cultura de uma forma democrática para um público muito maior.

Uma seleção de 130 curtas, sendo 50 inéditos no Brasil, fazem parte da programação: 29 na Competição Nacional, 34 na Competição Internacional, 18 no Panorama Carioca, 13 no Panorama Latino-Americano, 16 na Primeiros Quadros Nacional, seis na Primeiros Quadros Hispânicos, cinco na Realizadoras Francesas de Curta-metragem e seis na Short Export. Os filmes vencedores das competições Nacional e Internacional ganham qualificação para pleitearem uma indicação ao Oscar.

As produções que abrem o 31º Festival Curta Cinema no dia 3 de novembro são “Dajla – Cine Y Olvido”, de Arturo Dueñas Herrero (Espanha), “Por La Razón o La Fuerza”, de Giarella Araya Veja (Chile), “Inch”, de Laércio Ribeiro e Ricardo Vieira (Rio de Janeiro), “Entreaberta”, de Bruna Amorim (Rio de Janeiro) e “O Dendê do Mestre Didi”, de Beth Formaggini (Rio de Janeiro). A cerimônia acontecerá no Estação Net Botafogo. Todos os detalhes estão disponíveis no site do Curta Cinema.

Destaques das mostras

Um dos principais destaques da Competição Nacional é o curta-metragem “Ato”, primeiro filme de ficção da diretora e atriz Barbara Paz (“Babenco: Alguém Tem que Ouvir o Coração e Dizer: Parou”), que estreou no último Festival de Veneza. Estrelado por Alessandra Maestrini e Eduardo Moreira, a produção aborda as dores que ficaram muito evidentes durante a pandemia. Outros filmes aguardados são “Henriqueta”, de Anna Azevedo, que terá estreia mundial no evento, e a estreia nacional de dois curtas que se destacaram no Festival de Cannes 2021: “Cantareira”, de Rodrigo Rybeiro, vencedor do terceiro lugar no Cinéfondation, e “Sideral”, de Carlos Segundo.

Mais de 2 mil curtas foram inscritos na Competição Internacional e a maioria dos selecionados participaram da última edição de festivais como Cannes, Locarno, Berlim e Veneza. Entre os títulos, destacam-se “The Star”, de Nadav Lapid, que estreou em Cannes 2021; “Swallow The Universe”, de Nieto, e “Ronde de Nuit”, de Julien Regnard, duas animações do icônico estúdio francês Autor de Minuit. Já o Panorama Carioca mantém a sua tradição como uma das principais vitrines do cinema independente feito no Estado do Rio de Janeiro. “Atira-te ao Rio”, de Carla Böhler, e protagonizado por Leticia Spiller, Simone Spoladore e Maureen Miranda, é um dos principais filmes da mostra.

“Atira-te ao Rio” (2021), de Carla Böhler - Divulgação
“Atira-te ao Rio” (2021), de Carla Böhler – Divulgação

O Panorama Latino-Americano traz um importante recorte de alguns dos mais relevantes filmes latino-americanos da atualidade. Nessa edição, o festival retoma a mostra “Primeiros Quadros”, que fez grande sucesso quando lançada em 2019. Dedicada exclusivamente a filmes de estreia de jovens e promissores talentos, a grande novidade é que desta vez a mostra será competitiva. Um júri formado pela gerente de produção da Globo Filmes, Carolina Rapp, e a diretora Rosane Svartman, vai avaliar os filmes e vencedor levará para casa o troféu Curta Cinema e o prêmio Edina Fuji, com equipamentos para a nova produção do realizador premiado, oferecido pela NayMovie. Filmes estrangeiros também terão vez com o programa “Primeiros Quadros Hispânicos”, apresentando filmes de escolas de cinema da América Latina e da Espanha.

Dois novos programas farão parte do evento nesta edição: “Realizadoras Francesas de Curta Metragem”, apresentando novos filmes realizados por mulheres e com temas do universo feminino, idealizado em parceria com a distribuidora francesa “Manifest”; e “Short Export”, com curtas alemães que estrearam na última edição do Festival de Clermont-Ferrand. Este programa foi concebido pela AG Kurzfilm e German Films, em parceria com o Festival de Clermont-Ferrand.

O 31º Festival Curta Cinema é realizada com o apoio da RioFilme, Embaixada da França, Goethe Institut, Instituto Cervantes e Bureau de Québec em São Paulo.

"Cantareira" (2021), de Rodrigo Ribeyro - Divulgação
“Cantareira” (2021), de Rodrigo Ribeyro – Divulgação

Com informações da assessoria de imprensa do Curta Cinema.

%d blogueiros gostam disto: