"O Homem do Norte" (The Northman, 2022), de Robert Eggers - Foto: Universal Pictures/Divulgação
"O Homem do Norte" (The Northman, 2022), de Robert Eggers - Foto: Universal Pictures/Divulgação

“O Homem do Norte”: Vingança e violência em releitura do mito nórdico

“O Homem do Norte” é um filme de visual robusto e riqueza de detalhes na ambientação realista da jornada sangrenta do Príncipe Amleth. O diretor Robert Eggers (de “A Bruxa” e “O Farol”) parte de uma história que já vimos ser contada várias vezes para propor uma releitura do mito nórdico e da virilidade inerente ao personagem, sem abrir mão dos elementos fantásticos que envolvem o universo viking.

Crítica do filme por Renato Silveira e Kel Gomes, editores do cinematório. Veja ou escute:



Clique para reproduzir em uma nova janela | Download
Assine o nosso feed de podcasts: RSS | Apple | Google
Castbox | Spotify | Deezer | TuneIn | Stitcher | Player FM

Junte-se ao Cineclube Cinematório e tenha acesso a conteúdo exclusivo de cinema

O HOMEM DO NORTE (The Northman, 2022, Estados Unidos)

Sinopse: Depois de testemunhar o assassinato do pai pelas mãos do seu tio Fjölnir, e ver sua mãe e reino tomados pelo assassino, o jovem Príncipe Amleth foge para retornar anos depois, já adulto, determinado a fazer justiça.

Elenco: Alexander Skarsgård, Nicole Kidman, Claes Bang, Ethan Hawke, Anya Taylor-Joy, Willem Dafoe, Björk

Direção: Robert Eggers

Roteiro: Robert Eggers, Sjón

Produção: Robert Eggers, Alexander Skarsgård, Mark Huffam, Lars Knudsen, Arnon Milchan

Direção de fotografia: Jarin Blaschke

Montagem: Louise Ford

Trilha sonora: Robin Carolan, Sebastian Gainsborough

Duração: 2 h 17 min

Distribuição: Universal Pictures

Nota:

Quer mandar um e-mail? Escreva para contato@cinematorio.com.br

“O Homem do Norte” é um filme de visual robusto e riqueza de detalhes na ambientação realista da jornada sangrenta do Príncipe Amleth. O diretor Robert Eggers (de “A Bruxa” e “O Farol”) parte de uma história que já vimos ser contada várias vezes para propor uma releitura do mito nórdico e da virilidade inerente ao personagem, sem abrir mão dos elementos fantásticos que envolvem o universo viking.

%d blogueiros gostam disto: