"Agente Oculto" (The Gray Man, 2022), de Anthony e Joe Russo - Foto: Netflix/Divulgação
Foto: Netflix/Divulgação

“Agente Oculto”: Mais do mesmo só que mais caro

Em “Agente Oculto”, os diretores Anthony e Joe Russo (de “Vingadores: Ultimato”) colocam Ryan Gosling e Chris Evans um contra o outro em um filme de ação que conta com um dos maiores orçamentos da Netflix: 200 milhões de dólares. Porém, o alto investimento não se traduz em alta qualidade. Apesar do bom elenco e de cenas grandiosas de perseguição, tiroteios e explosões, o filme é pouco criativo, não constrói um bom protagonista e repete clichês do gênero à exaustão.

Crítica do filme por Renato Silveira e Kel Gomes, editores do cinematório. Veja ou escute:



Clique para reproduzir em uma nova janela | Download
Assine o nosso feed de podcasts: RSS | Apple | Google
Castbox | Spotify | Deezer | TuneIn | Stitcher | Player FM

Junte-se ao Cineclube Cinematório e tenha acesso a conteúdo exclusivo de cinema

AGENTE OCULTO (The Gray Man, 2022, EUA)

Sinopse: Arrancado de uma penitenciária federal, o agente conhecido como Sierra Seis já foi um mercenário altamente qualificado e sancionado pela CIA. Mas agora a situação virou e ele é o alvo, caçado em todo o mundo por Lloyd, um ex-membro da Agência que não vai parar por nada até derrubá-lo.

Elenco: Ryan Gosling, Chris Evans, Ana de Armas, Jessica Henwick, Wagner Moura, Dhanush, Billy Bob Thornton, Alfre Woodard, Regé-Jean Page, Julia Butters, Eme Ikwuakor e Scott Haze

Direção: Anthony Russo e Joe Russo

Roteiro: Joe Russo, Christopher Markus e Stephen McFeely (baseado no livro de Mark Greaney)

Produção: Joe Roth, Jeffrey Kirschenbaum, Anthony Russo, Joe Russo, Mike Larocca e Chris Castaldi

Direção de fotografia: Stephen F. Windon

Montagem: Jeff Groth e Pietro Scalia

Trilha sonora: Henry Jackman

Duração: 2 h 2 min

Distribuição: Netflix

Nota:

Quer mandar um e-mail? Escreva para contato@cinematorio.com.br

Em “Agente Oculto”, os diretores Anthony e Joe Russo (de “Vingadores: Ultimato”) colocam Ryan Gosling e Chris Evans um contra o outro em um filme de ação que conta com um dos maiores orçamentos da Netflix: 200 milhões de dólares. Porém, o alto investimento não se traduz em alta qualidade. Apesar do bom elenco e de cenas grandiosas de perseguição, tiroteios e explosões, o filme é pouco criativo, não constrói um bom protagonista e repete clichês do gênero à exaustão.

%d blogueiros gostam disto: