Os Normais 2 – A Noite Mais Maluca de Todas

“Os Normais 2 – A Noite Mais Maluca de Todas” tem tudo para ser um baita sucesso. É a sequência de um filme bem-sucedido nas bilheterias. Tem uma protagonista normalmente ligada em projetos bacanas (Fernanda Torres) e um comediante que, se não é unânime, é respeitado (Luíz Fernando Guimarães). Estão, no longa, uma penca de atores bem conhecidos das novelas. O filme está sendo lançado em um ano em que o público anda de braços abertos às comédias nacionais. Uma campanha de marketing bem feita, com direito a vídeos bombando no YouTube. E, claro, o ingrediente mais importante de todos: tem em sua origem um seriado de televisão que conseguiu a façanha de ser elogiado pela crítica e amado pelo público. Só faltava ser realmente engraçado para dar certo.

Bom, engraçado é. Um grande filme, não chega a ser.



O que, para mim, sempre foi a garantia de atração de “Os Normais”, a série, era a química entre seus protagonistas. Torres e Guimarães parecem ter nascido para interpretarem Vani e Rui – e as discussões do casal, que por ora beiravam o nonsense, proporcionaram momentos hilariantes nas noites de sexta-feira (e devem proporcionar novamente pois, segundo o Estadão, é certo o retorno do seriado em 2010). Isso pode ser comprovado na própria divulgação do longa. Os teasers de “Os Normais 2” (assista-os aqui e aqui ) funcionam melhor do que o trailer oficial (assista aqui).

Os teasers mostram o que acabo de me referir como a grande sacada de “Os Normais”: as conversas do casal. Em um, eles discutem sobre como atrair o público para assistir ao filme e, no outro, Rui e Vani tentam convencer que não é preciso fazer uso de palavrões para realizar uma comédia nacional. Os dois são bem engraçados e fazem um bom papel de divulgação da continuação.

Já o trailer da produção é o exemplo de tudo que há de errado em “Os Normais 2 – A Noite Mais Maluca de Todas”. Nele, são exibidas algumas das cenas que parecem ter sido colocadas no filme à força, com o objetivo de tirar algumas gargalhadas do público, mas que, por fim, só servem para estragar a fluidez da comédia. Em alguns momentos, os roteiristas Fernanda Young e Alexandre Machado deixam a dinâmica Rui/Vani de lado e enfiam sequências com piadas antigas, algumas sem muita graça e outras que a gente se pergunta o que estão fazendo ali. Um exemplo é a antiga chacota do exame de próstata, que continua datada e sem muito efeito cômico. Outro é a cena da dança de Claudia Raia (que está no trailer, portanto, não estou estragando nada), que em teoria pode ter parecido engraçada, mas no filme ficou totalmente fora de lugar.

A impressão que dá é que os roteiristas não estavam conseguindo fazer um filme com mais de uma hora de duração explorando a bem-sucedida fórmula do seriado e tiveram a necessidade de jogar algumas cenas avulsas no meio. Não que todas elas sejam ruins. Existem boas sacadas e alguns momentos provocam risadas. Mas as partes abaixo da média são sentidas no contexto geral.

No fim das contas, entretanto, como havia dito anteriormente, “Os Normais 2” é um filme engraçado. E, ao que parece, isso é o que conta. Falar que é um episódio estendido chega a ser um clichê, pois, na verdade, isso era o esperado. Certamente, aliás, o objetivo dos produtores, diretor e roteiristas não era fazer um filme para ganhar prêmios (se bem que se Xuxa ganhou um Kikito, sabe-se lá se o que está por vir) e, sim, aproveitar da boa aceitação geral do seriado, entreter o público e, de quebra, ganhar uma graninha.

Não estamos falando da adaptação de uma série antiga para um novo público, o que daria aos responsáveis pela produção uma certa liberdade. Ao contrário, as pessoas que assistiram a Rui e Vani na TV serão, em sua maioria, as mesmas que irão assisti-los no cinema. E muitas mudanças em nome de um cinema com C maiúsculo poderiam espantar o público que se espera de uma produção que foi lançada com 400 cópias em todo o Brasil. Para alguns cinéfilos isso será um problema, mas não vai incomodar boa parte dos espectadores. E para a Globo Filmes será uma solução, pois, provavelmente, “Os Normais 2” será o exemplar mais desbocado das muito bem-sucedidas (financeiramente) “globochanchadas”, como conceituou o cineasta Guilherme de Almeida Prado.

Mas, ratificando, “Os Normais 2” é um filme que provoca risadas. E era isso o que faltava.

nota: 5/10 — veja sem pressa

Os Normais 2 – A Noite Mais Maluca de Todas (2009, Brasil)
direção: José Alvarenga Jr.; roteiro: Alexandre Machado, Fernanda Young; fotografia: Tuca Moraes; montagem: Anibal Veiga; música: Márcio Lomiranda; produção: Guel Arraes; com: Fernanda Torres, Luiz Fernando Guimarães, Claudia Raia, Daniel Dantas, Alinne Moraes, Danielle Winits, Daniele Suzuki, Drica Moraes, Mayana Neiva; estúdio: Globo Filmes; distribuição: Imagem Filmes. 75 min
%d blogueiros gostam disto: