Novidades no Amor

“Novidades no Amor” é na verdade um filme sem muitas novidades em sua fórmula. Uma mulher na casa dos 40 anos que redescobre a vida ao se apaixonar por um homem mais novo. Algo semelhante a “Terapia do Amor” e, até mesmo ao recente, “A Proposta”. Acrescentado à receita uma traição seguida de divórcio, duas crianças espertas e divertidas e um mocinho romântico com coração partido, aí está a premissa básica do filme.

Mas há algumas peculiaridades no roteiro de Bart Freundlich que fazem do longa uma comédia romântica leve e divertida. A começar pela composição da protagonista, Sandy, que caiu como uma luva para Catherine Zeta-Jones. A atriz encarna com muita naturalidade a mãe de família e “coroa gostosa” (apelido que recebe do personagem mais clichê do filme – o amigo bobão do protagonista que só pensa em sexo).



Freundlich, que também é responsável pela direção, não exagera ao tentar demonstrar as discrepâncias causadas pela diferença de idade entre o casal. Elas são retratadas, mas sem forçar a barra, evitando esbarrar no lugar-comum. Cuidado que o diretor não tem com outras questões, como a relação do protagonista, Aram, com os pais.

Já Justin Bartha convence como o rapaz romântico e maduro que se apaixona por Sandy. Mas, embora o ator não se saia mal, sua atuação fica apagada na sombra de Catherine e do garotinho Andrew Cherry, que interpreta o filho da “mocinha” na maior parte do longa. A empatia criada entre o personagem de Justin e os filhos de sua namorada também é um ponto alto de “Novidades no Amor”, funciona bem e rende algumas cenas engraçadas.

A maior parte do filme flui naturalmente com roteiro simples, mas bem emendado e um humor com grandes dosagens de inocência e romantismo. Mas nos últimos 30 minutos de projeção a história começa a desandar. Algumas atitudes da personagem de Catherine acontecem sem justificativas plausíveis e deixam um clima vago no ar. Bart Freundlich acelera o tempo e preenche o espaço com imagens bonitas, mas pouco esclarecedoras. Essa jogada cria uma ruptura na constância, até então bem construída, do filme e acaba por prejudicar o final previsível, como quase toda comédia romântica, mas bem de acordo com aquilo a que o longa se propõe.

nota: 7/10 — vale o ingresso

Novidades no Amor (The Rebound, 2009, EUA)
direção: Bart Freundlich; roteiro: Bart Freundlich; fotografia: Jonathan Freeman; produção: Bart Freundlich, Mark Gill, Robert Katz, Tim Perell; com: Catherine Zeta-Jones, Justin Bartha, Eliza Callahan, Andrew Cherry, Jake Cherry, Kelly Gould; estúdio: A&F Productions; distribuição: Imagem Filmes. 97 min
%d blogueiros gostam disto: