"Tau" (2018), de Federico D'Alessandro - Foto: Sanja Bucko/Divulgação
"Tau" (2018), de Federico D'Alessandro - Foto: Sanja Bucko/Divulgação

Dicas de filmes de terror para ver no streaming

Quinzenalmente, nós enviamos aos nossos apoiadores uma newsletter com indicações de filmes para ver no streaming, tanto na Netflix quanto em serviços de locação VoD (Video on Demand), como iTunes, Google Play, NOW, Looke, entre outros.

No clima de Dia das Bruxas, confira abaixo as dicas de filmes de horror e suspense que demos em nossa newsletter nos últimos meses. São títulos em sua maioria inéditos nos cinemas brasileiros e que podem ter passado batido para você. Afinal, são tantos lançamentos!

Mas não se preocupe: a nossa curadoria está aqui para te ajudar a escolher. Quer receber recomendações como essas no seu e-mail também? Conheça nossa campanha de financiamento coletivo e apoie o cinematório.

NETFLIX

A MALDIÇÃO DA RESIDÊNCIA HILL (The Haunting of Hill House, EUA, 2018)

No que pode ser encarado como uma mistura de “Horror em Amityville” e “Terror em Silent Hill”, a nova série da Netflix acompanha uma família assombrada por memórias assustadoras que habitam a mansão onde vivem. A direção é de Mike Flanagan (de “O Espelho”, “Jogo Perigoso” e “Hush: A Morte Ouve”, esses dois últimos também da Netflix) e o elenco traz Carla Gugino, Timothy Hutton e Henry Thomas.

Mais info: IMDb | Rotten Tomatoes | Letterboxd

 

APÓSTOLO (Apostle, Reino Unido/EUA, 2018)

De Gareth Evans (“Operação Invasão”), horror de época que se passa em 1905, em uma ilha remota, comandada por um culto religioso. Um homem que teve sua irmã sequestrada viaja até o tenebroso local para tentar resgatá-la. Tem um ar de “O Homem de Palha”, mas recheado com gore. No elenco, Dan Stevens, Richard Elfyn e Kristine Froseth. Selecionado para o Festival de Sitges.

Mais info: IMDb | Rotten Tomatoes | Letterboxd

 

LUCIFERINA (idem, Argentina, 2018)

Forças ocultas movem o destino de uma noviça que viaja a contragosto de volta à sua cidade natal para se despedir do pai, que está morrendo. Mas, uma vez lá, ela ingere uma substância alucinógena e verdades perturbadoras vem à tona. Produção argentina dirigida por Gonzalo Calzada (“Resurrección”), selecionada para o Fantaspoa 2018.

Mais info: IMDb | Rotten Tomatoes | Letterboxd

 

NOITE DE LOBOS (Hold the Dark, EUA, 2018)

Após pré-estreia no Festival de Toronto, chega direto na Netflix esta mistura de suspense psicológico e aventura sobre um especialista em lobos contratado para investigar o desaparecimento de uma criança em meio à selva remota do Alasca. Do diretor de “Sala Verde”, Jeremy Saulnier, o filme é estrelado por Jeffrey Wright, Alexander Skarsgård e Riley Keough.

Mais info: IMDb | Rotten Tomatoes | Letterboxd

 

GHOUL: TRAMA DEMONÍACA (Ghoul, Índia, 2018)

Muitas produções vindas da Índia entram no catálogo da Netflix toda semana. Esta chama a atenção por ser uma minissérie de horror que acompanha uma jovem interrogadora (Radhika Apte) em uma prisão militar, onde ela se depara com o bizarro comportamento de um novo detento e os segredos obscuros de seus colegas. A direção é do estreante Patrick Graham, britânico radicado em Mumbai.

Mais info: IMDb | Rotten Tomatoes 

 

O CONVITE (The Invitation, EUA, 2015)

Mais recente longa de Karyn Kusama – que dirigiu “Garota Infernal”, com Megan Fox e Amanda Seyfried -, “O Convite” é sobre um grupo de amigos reunidos em um jantar organizado por um casal do qual eles não tinham notícia há um bom tempo e que traz na bagagem um passado trágico. Essa situação, permeada por desconfianças, acaba tomando rumos inesperados. As muitas críticas positivas elogiam, principalmente, a forma como o suspense é conduzido, num clima de tensão constante, prendendo o espectador do início ao fim. O filme foi vencedor na categoria de Melhor Roteiro no Fangoria Chainsaw Awards 2017, premiação específica para filmes de terror e suspense, que acontece em Los Angeles, California.

Mais info: IMDb | Rotten Tomatoes | Letterboxd

 

O BABADOOK (The Babadook, Austrália/Canadá, 2014)

Escrito e dirigido por Jennifer Kent, O Babadook é aquele tipo de filme marcante, tanto pela estética diferenciada quanto por possibilitar interpretações diversas de suas simbologias e metáforas. Além disso, seu terror é provocativo, mexe de fato com o espectador, que se revira na cadeira não por conta de sustos fáceis, mas devido a uma construção narrativa bastante atmosférica. Destaque também para o trabalho de som, que não apela para o óbvio e é essencial para o clima gótico e amedrontador. A história é sobre uma mãe atormentada pela morte violenta de seu marido e pelo filho problemático que afirma ver um monstro na casa. Foi vencedor em muitos festivais menos conhecidos, incluindo quatro prêmios do Fangoria Chainsaw Awards 2015.

Mais info: IMDb | Rotten Tomatoes | Letterboxd

 

MAGGIE: A TRANSFORMAÇÃO (Maggie, EUA, 2015)

Arnold Schwarzenegger, na fase pós-governator, em uma rara atuação dramática, vive o pai de uma adolescente infectada por um vírus que transforma as pessoas em zumbis canibais. A garota é interpretada por Abigail Breslin. O filme oscila entre o horror e o drama, pendendo mais para o segundo, na tentativa de renovar um gênero que cai em clichês com bastante frequência. É o primeiro e único filme do diretor Henry Jobson até o momento.

Mais info: IMDb | Rotten Tomatoes | Letterboxd

 

O DIABO E O PADRE AMORTH (The Devil and Father Amorth, EUA, 2017)

Documentário em que o cineasta William Friedkin revisita seu grande sucesso “O Exorcista” (1973), mas agora para acompanhar e filmar de perto um ritual de exorcismo real: o caso de uma mulher italiana que vem passando por mudanças radicais de comportamento e que pioram no Natal. O filme foi exibido no Festival de Veneza ano passado e lançado nos serviços de VoD brasileiros em abril.

Mais info: IMDb | Rotten Tomatoes | Letterboxd

 

MAUS (The Maus, Espanha, 2017)

Horror espanhol premiado no Fantastic Fest e exibido na Mostra de São Paulo em 2017. A trama se passa durante a viagem romântica de um casal a uma reserva florestal na Bósnia, quando violentas memórias da guerra no país provocam o surgimento de uma força misteriosa. Dirigido pelo estreante Yayo Herrero.

Mais info: IMDb | Rotten Tomatoes | Letterboxd

 

TAU (idem, EUA, 2018)

Thriller sci-fi estrelado por Maika Monroe (“Corrente do Mal”), que interpreta uma mulher mantida em cativeiro em uma casa equipada com alta tecnologia. Para escapar, ela tentará hackear o sofisticado sistema de inteligência artificial que controla o lugar. A direção é de Federico D’Alessandro, em seu primeiro longa. Antes, ele trabalhou no departamento de arte de vários filmes da Marvel, além de “Onde Vivem os Monstros”, “Eu Sou a Lenda”, entre outros.

Mais info: IMDb | Rotten Tomatoes | Letterboxd

 

CARGO (idem, Austrália, 2017)

Thriller que se passa durante um apocalipse zumbi, com Martin Freeman no papel de um homem que bola um plano improvável para proteger sua filha pequena. Exibido no Festival de Tribeca este ano, é o primeiro longa da dupla Ben Howling e Yolanda Ramke, que “treinaram” dirigindo antes um curta de mesmo nome e fazendo assistência de direção para Greg McLean em “Na Selva” (outro thriller, com Daniel Radcliffe, que aliás também fica como dica de streaming).

Mais info: IMDb | Rotten Tomatoes | Letterboxd

 

AJJI (idem, Índia, 2017)

Um filme de vingança indiano protagonizado por uma avó que quer fazer justiça com as próprias mãos contra os homens que violentaram sua neta? É claro que vamos indicar! Segundo longa de Devashish Makhija, foi selecionado para o Festival de Rotterdam este ano e é descrito no trailer como “uma versão macabra de ‘Chapeuzinho Vermelho’”. E que pôster!

Mais info: IMDb | Rotten Tomatoes | Letterboxd

 

FAMILY BLOOD (idem, EUA, 2018)

Horror independente com Vinessa Shaw (“Amantes”), que interpreta uma ex-dependente química que tenta recomeçar a vida ao lado da família em uma nova cidade. Porém, após ela conhecer um homem que tem um outro tipo de vício, as dificuldades da recuperação tomam proporções inesperadas. É o segundo longa de Sonny Mallhi, que antes produziu filmes como “Os Estranhos” e “Imagens do Além”.

Mais info: IMDb | Rotten Tomatoes | Letterboxd

Outras plataformas

O ANIMAL CORDIAL (idem, Brasil, 2018)

Primeiro longa de Gabriela Amaral Almeida (dos premiados curtas “A Mão que Afaga” e “Estátua!”), é um slasher situado dentro de um restaurante de classe média alta em São Paulo, onde uma noite que parecia ser como qualquer outra se transforma em um pandemônio, colocando em confronto patrão, funcionários e clientes. Com Murilo Benício (Melhor Ator no Festival do Rio), Luciana Paes, Irandhir Santos, Camila Morgado e Humberto Carrão. Um dos melhores filmes brasileiros do ano. Ouça nosso podcast em que entrevistamos a diretora.

Disponível: iTunes, Google Play, NOW, Looke e similares

Mais info: IMDb | Rotten Tomatoes | Letterboxd

 

CORREDOR ASSOMBRADO (Down a Dark Hall, Espanha/EUA, 2018)

Horror adolescente protagonizado por AnnaSophia Robb, que interpreta uma jovem enviada a um internato sombrio, comandado por uma misteriosa diretora, vivida por ninguém menos que Uma Thurman. A direção é do espanhol Rodrigo Cortés, de “Enterrado Vivo” e “Poder Paranormal”. Inédito nos cinemas.

Disponível: iTunes, Google Play, NOW, Looke e similares

Mais info: IMDb | Rotten Tomatoes | Letterboxd

 

ENQUANTO O LOBO NÃO VEM (Mientras El Lobo No Está, México, 2017)

Premiada produção mexicana que acompanha a aventura em que embarcam um menino e seus colegas de escola enquanto tentam fugir do reformatório em que estudam: um lugar que esconde perigosos segredos. Dirigido pelo estreante Joseph Hemsani, tem clara influência de Guillermo del Toro e é uma boa alternativa aos blockbusters hollywoodianos do gênero.

Disponível: Amazon Prime Video, iTunes, Google Play, NOW, Looke e similares

Mais info: IMDb | Rotten Tomatoes | Letterboxd

 

A NOITE DEVOROU O MUNDO (La nuit a dévoré le monde, França, 2018)

Filme de zumbi francês que transita entre o horror e o drama psicológico. Se passa em uma Paris dominada por mortos-vivos, onde um homem introspectivo precisa se proteger e tentar encontrar outros sobreviventes. É o primeiro longa do diretor Dominique Rocher e foi selecionado para os festivais de Roterdã, Tribeca e Varilux.

Disponível: iTunes, Google Play, NOW, Looke e similares

Mais info: IMDb | Rotten Tomatoes | Letterboxd

 

HEREDITÁRIO (Hereditary, EUA, 2018)

Um dos filmes de horror mais comentados do ano, marca a estreia em longa-metragem de Ari Aster e traz Toni Collette no papel de uma mulher perturbada pela morte da mãe e a relação problemática com os filhos. Como se não bastasse, eventos macabros começam a assombrar a família e segredos obscuros do passado vêm à tona. Leia a crítica no site.

Disponível: iTunes, Google Play, NOW, Looke e similares

Mais info: IMDb | Rotten Tomatoes | Letterboxd

 

O DEMÔNIO DA RUA WILLOW (From a House on Willow Street, África do Sul, 2016)

Nesta produção sul-africana que mergulha de cabeça no gore, sequestradores capturam a filha de um rico distribuidor de diamantes na Cidade do Cabo. Durante o planejamento do resgate no cativeiro, eles descobrem muito tarde que a jovem está possuída por um poderoso espírito maligno. A direção é de Alastair Orr (“O Chupa-Cabra”).

Disponível: iTunes, Google Play, NOW, Looke e similares

Mais info: IMDb | Rotten Tomatoes | Letterboxd

 

AS GAROTAS DA TRAGÉDIA (Tragedy Girls, EUA, 2017)

Misturando horror e comédia, esse slasher acompanha duas adolescentes que decidem criar um programa na internet sobre assassinatos. Autointituladas “Garotas da Tragédia”, elas se tornam as próprias causadoras dos eventos violentos que retratam nos vídeos. Vencedor de vários prêmios em festivais de horror, como o Macabro, no México, o longa é estrelado por Brianna Hildebrand (a Míssil de “Deadpool”) e Alexandra Shipp (a Tempestade de “X-Men: Apocalipse”). A direção é de Tyler MacIntyre (“Patchwork”).

Disponível: iTunes, Google Play, NOW, Looke e similares

Mais info: IMDb | Rotten Tomatoes | Letterboxd

 

FANTASMAS DO PASSADO (Ég man þig, Islândia, 2017)

Baseado no livro “Queen of Icelandic Crime”, filme de mistério sobre um jovem casal que se muda para uma pequena cidade abandonada na Islândia e inicia reformas em uma casa antiga. A partir daí, eles descobrem a história sombria da comunidade local e vivem situações suspeitas e eventos sobrenaturais. Inédito nos cinemas brasileiros, é o segundo longa do diretor Óskar Thór Axelsson.

Disponível: iTunes, Google Play, Looke e similares.

Mais info: IMDb | Rotten Tomatoes | Letterboxd

 

OS ESCRAVOS DE SATANÁS (Pengabdi Setan, Indonésia, 2017)

Com esse título maravilhoso, é o primeiro filme do diretor indonésio Joko Anwar lançado comercialmente no Brasil. Multipremiado em seu país e selecionado para o Festival de Roterdã este ano, o longa tem uma trama que remete ao recém-lançado “Hereditário”: a morte prematura de uma matriarca desencadeia uma série de eventos sobrenaturais, culminando em uma noite de horror caótico, onde segredos serão revelados e quatro irmãos terão que defender-se de um espírito maligno que os persegue.

Disponível: iTunes, Google Play e similares.

Mais info: IMDb | Rotten Tomatoes | Letterboxd

 

PERIGO NA ESCURIDÃO (Inside, Espanha/EUA, 2016)

Do diretor espanhol Miguel Ángel Vivas (“Horas de Medo”), com roteiro coescrito por Jaume Balagueró (“[REC]”), é um remake do premiado thriller “A Invasora” (2007), da dupla Alexandre Bustillo e Julien Maury. Sozinha e grávida, Sarah (Rachel Nichols) encara uma mulher misteriosa (Laura Harring) que fará o impossível para roubar o bebê de seu ventre. Presa e desorientada, mal conseguindo ouvir o mal que a persegue, Sarah precisa sobreviver a uma noite de puro pavor.

Disponível: iTunes, Google Play e similares.

Mais info: IMDb | Rotten Tomatoes | Letterboxd

 

PLANTA MÃE (Planta Madre, Argentina/Peru, 2014)

O horror latino do diretor Gianfranco Quattrini traz a história de um famoso cantor de rock argentino que chega a Iquitos, no Peru, em busca do xamã que seu irmão planejava visitar antes de morrer. É o começo de uma viagem pela selva amazônica, rumo a uma cerimônia psicodélica que o fará confrontar os fantasmas do passado. Selecionado para o BAFICI e inédito no Brasil.

Disponível: iTunes, Google Play e similares.

Mais info: IMDb | Letterboxd

 

OS CURADOS (The Cured, Irlanda, 2017)

Um “filme de ex-zumbis”, este drama com elementos de horror e sci-fi é situado após uma epidemia, quando mortos-vivos foram curados e reintegrados à sociedade, mas sofrem discriminação até mesmo dentro de suas próprias famílias. A ideia interessante é do estreante David Freyne, que assina o roteiro e a direção. No elenco, Ellen Page, Sam Keeley e Tom Vaughan-Lawlor. Inédito nos cinemas brasileiros.

Disponível: iTunes, Google Play e similares.

Mais info: IMDb | Rotten Tomatoes | Letterboxd

 

SOMBRAS DA VIDA (A Ghost Story, EUA, 2017)

Infelizmente sem chance nos cinemas brasileiros, este elogiado e premiado filme do diretor David Lowery (“Amor Fora da Lei”) acompanha um homem recém-falecido que retorna como fantasma para sua casa no subúrbio, com a intenção de consolar sua esposa. Invisível para os mortais, ele percebe ser um mero espectador e inicia uma jornada pelas memórias e histórias da vida que antes lhe pertencia. Mais drama do que horror propriamente, tem no elenco Casey Affleck e Rooney Mara.

Disponível: iTunes, Google Play e similares.

Mais info: IMDb | Rotten Tomatoes | Letterboxd

%d blogueiros gostam disto: