3ª Mostra Sesc de Cinema
3ª Mostra Sesc de Cinema

3ª Mostra Sesc de Cinema: de Paraty para todo o país

A 3ª Mostra Sesc de Cinema, que acontece em Paraty (RJ), começou hoje, dia 2 de novembro, e vai até sábado, dia 9, com programação inteiramente gratuita. A seleção de filmes conta com 42 títulos brasileiros, entre curtas, médias e longas-metragens. Além das exibições, há oficinas e mesas de debate sobre as produções e temas relacionados ao atual cenário do audiovisual. Nesta edição, a grande homenageada é Adélia Sampaio, primeira mulher negra a dirigir um longa metragem no Brasil, “Amor Maldito”, de 1984. Após esta temporada na cidade fluminense, as obras selecionadas serão exibidas em todo país até 15 de dezembro de 2019.

A Mostra Sesc de Cinema tem como objetivo promover a difusão do circuito cinematográfico brasileiro, sendo uma iniciativa de valorização da nossa produção audiovisual. Lançada em 2017, conta com representantes de todas as regiões, procurando ampliar o acesso da população a uma filmografia que expresse a diversidade do cinema nacional contemporâneo. “Com a Mostra, o Sesc cumpre uma missão importante da sua atuação na área cultural, que é democratizar o acesso ao cinema, além de permitir que artistas e cineastas das várias regiões do Brasil mostrem seus trabalhos ao grande público”, afirma Marco Aurélio Fialho, analista de Cultura do Departamento Nacional do Sesc.

Há sessões especiais com produções reconhecidas, como “Bacurau”, dirigido por Kleber Mendonça Filho e Juliano Dornelles, “A Rainha Nzinga Chegou”, de Junia Torres e Isabel Casimira, e “Mata Negra”, de Rodrigo Aragão. Também duas pré-estreias: “Rua Guaicurus”, de João Borges, e “Nois por nois”, de Aly Muritiba. A programação também inclui os longas “Estrangeiro” (PB), escrito e dirigido por Edson Lemos Akatoy, que mostra uma viagem sensorial e poética nas memórias de Elisabete; e “Abrindo as Janelas do Tempo” (SC), dirigido por Santiago José Asef, que traduz uma história de amor, de perda, espera e aceitação.

Entre os médias e curtas estão “Catadora de Gente” (RS), um tocante depoimento dos preconceitos e da dura trajetória de Maria Tugira Cardoso, uma mulher como tantas outras catadoras no Brasil, e o documentário “O céu dos índios Desâna e Tuiuca” (AM), que tenta desvendar a astronomia indígena produzida por estas etnias amazônicas.; “Aurora” (SE), um ensaio cinematográfico sobre as angústias que sofre uma mulher em três diferentes fases da vida; “Chamando os Ventos: por uma cartografia dos assobios” (PA), documentário sobre a ação imaginária de chamar os ventos por meio de assobios.

Além de “A Rainha Nzinga Chegou”, Minas Gerais marca presença com “Navios de Terra” (2017), de Simone Cortezão, com Rômulo Braga no elenco; “Plano Controle” (2018), de Juliana Antunes; e, dentro do Panorama Infanto-Juvenil, com “Poética de Barro (2019)”, animação stop motion de Giuliana Danza.

SERVIÇO
3ª Mostra Sesc de Cinema
De 2 a 9 de novembro de 2019
Paraty – RJ
Entrada gratuita
Programação e mais informações aqui

 

%d blogueiros gostam disto: