"Pirámide Erosionada", do Coletivo Los Ingrávidos, integra a mostra paralela "A Vida das Coisas", no 22º FestCurtas BH
"Pirámide Erosionada", do Coletivo Los Ingrávidos, integra a mostra paralela "A Vida das Coisas", no 22º FestCurtas BH

22º FestCurtasBH tem edição totalmente online e gratuita

Uma edição totalmente online não é o único desafio da edição 2020 do FestCurtasBH — Festival Internacional de Curtas de Belo Horizonte. A programação virtual e totalmente gratuita pretende instigar o público a refletir sobre a dimensão política dos corpos em tempos pandêmicos.

O festival, um dos mais reconhecidos no calendário do audiovisual no país, chega à 22ª edição e acontece de 23 de outubro ao dia 1º de novembro no cineHumbertoMauroMAIS, uma plataforma exclusiva criada para abrigar as ações virtuais do Cine Humberto Mauro, tradicional cinema do Palácio das Artes, na capital mineira. O evento é realizado pela Fundação Clóvis Salgado e correalizado pela APPA – Arte e Cultura.

Em 2020, o FestCurtasBH apresenta uma seleção de 102 filmes, organizados em nove mostras voltadas para os mais diversos públicos. Na programação estão representados 34 países e 12 estados brasileiros, garantindo um lugar de destaque para 19 produções realizadas em Minas Gerais.



Fruto do trabalho realizado por uma equipe de curadores marcada pela diversidade e representatividade, a programação do 22º FestCurtasBH é composta por mostras competitivas, paralelas e especial, que a cada ano são reimaginadas a partir das linhas de forças que atravessam e tensionam o cinema produzido no tempo presente, ao passo que retoma e interroga a história das artes fílmicas. O conjunto de mostras que integram o FestCurtasBH reflete ainda sobre o cinema e as estruturas que o sustentam, voltando-se para uma produção inquieta e potente realizada em grande parte por sujeitos historicamente relegados a objetos de olhar.

Ao longo dos 10 dias de evento, cada sessão ficará disponível online para o público por um período de 48 horas. Debates, conferências e performances virtuais completam a programação do festival, conhecido por investir em ações de formação de público,  ampliando a cada ano o diálogo entre espectadores, realizadores e crítica.

“Tivemos que adequar radicalmente a programação ao momento atual, mas isso trouxe também algumas boas surpresas. Esta edição online é significativa porque conseguimos trazer pessoas que dificilmente conseguiriam estar aqui, de outros estados e países. Se a falta dos encontros presenciais é inevitável, nossa programação poderá ao mesmo tempo alcançar um público para além de Minas, possibilitando outros encontros”, destaca a curadora  Ana Siqueira.

Os debates das mostras competitivas Brasil e Minas serão realizadas ao vivo, através do canal do YouTube do festival e retransmitidas também pela plataforma cineHumbertoMauroMAIS.

Mostra especial Carole Roussopoulos: câmera na mão, corpo na luta

Este ano, a programação do FestCurtasBH traz a mostra especial dedicada à realizadora franco-suíça Carole Roussopoulos (1945-2009), cujo trabalho é marcado pelo engajamento em diversas frentes, como o ativismo em favor dos direitos LGBT+, a lutas operárias e anti-imperialistas e, em particular, à militância feminista. Intitulada “Carole Roussopoulos: câmera na mão, corpo na luta”, a mostra é uma oportunidade rara de conhecer o trabalho da cineasta, cada vez mais reconhecida pelo vigor político e estético de uma obra dedicada a intervir no curso da história.

"Munich", de Carole Roussopoulos e Paul Roussopoulos - Divulgação
“Munich”, de Carole Roussopoulos e Paul Roussopoulos – Divulgação

Uma conferência com a curadora e pesquisadora francesa Hélène Fleckinger (falada em francês e disponibilizada com legendas em inglês e português) complementa esta mostra. Além disso, estão previstos mais dois debates ao vivo com pesquisadoras brasileiras sobre a obra da cineasta.

Mostra competitiva 

As mostras competitivas nas categorias Internacional, Brasil e Minas, já tradicionais do FestCurtasBH, concorrem cada uma à premiação no valor de 5 mil reais. Os filmes são apreciados por um júri composto por três profissionais de reconhecida atuação na área para cada uma das três mostras competitivas. Os vencedores receberão ainda o icônico Troféu Capivara.

As competitivas Brasil e Minas terão debates ao vivo, sempre no dia seguinte à sessão, realizados ao vivo com representantes de cada filme e mediados por um membro da comissão de seleção. As entrevistas dos realizadores internacionais ficarão disponíveis no site do festival.

Mostras Paralelas

As mostras paralelas do FestCurtasBH representam olhares específicos da comissão de seleção para o conjunto de filmes inscritos no festival. Elas abrangem um esforço de organização temática e conceitual das obras, de forma a contemplar diferentes debates, urgências e linguagens cinematográficas.

A mostra “A Vida das Coisas”, grande novidade dentre as mostras paralelas nesta edição, apresenta nove filmes que evidenciam “como o cinema é capaz de revelar as agências de fora, de um extracampo da modernidade que hoje, mais do que nunca, sabemos estar no centro das discussões. São seres, vidas e sistemas outros que rompem a invisibilidade para reaparecer nas imagens com suas inúmeras estratégias de persistência”, como escrevem os curadores Fabio Rodrigues Filho e Felipe Carnevalli. Resultado do trabalho das duas comissões de seleção (nacional e internacional), a mostra combina filmes brasileiros e internacionais num conjunto do qual emergiram algumas tendências, como apontam os autores: “especulações distópicas, humanidades ampliadas, colapsos no/do capitalismo e interações microbiológicas.”

"Swinguerra", de Bárbara Wagner e Benjamin de Burca - Divulgação
“Swinguerra”, de Bárbara Wagner e Benjamin de Burca, integra a mostra Corpo Político – Divulgação

Já a mostra “Corpo Político” retorna ao FestCurtasBH numa temporalidade pandêmica que “tornou ainda mais evidente a dimensão política dos corpos”, como escrevem Alessandra Brito e Letícia Bispo no texto de apresentação da mostra. As autoras pensam como somos, no entanto, provocados pelos filmes a pensar além da dimensão trágica: “Diante de um presente que parece tão delimitado, marcado pelo isolamento e falta de ar, os filmes que centram corporeidades oferecem a possibilidade viva de movimento e intervenção. Podemos vislumbrar, então, aparições que provocam os sentidos a tomar caminhos contrários ao esquecimento, à inação e à conformidade.” A Corpo Político também resulta do trabalho das comissões de seleção nacional e internacional, combinando filmes em que o corpo é pensado em sua implicação a elementos como os espaços, afetos e fronteiras.

Parte importante do calendário do festival, as mostras Juventudes, Animação e Infantil também estão de volta à programação. A novidade deste ano é que a exibição dos três programas contará com a mediação da atriz, contadora de histórias e professora, especialista em conteúdos para o público infanto-juvenil, Fabiana Brasil.

Júri Popular

A 22ª edição do FestCurtasBH contará ainda com a tradicional premiação do Júri Popular, através da qual o público do festival é convidado a votar em suas obras favoritas. A novidade desta é edição é que o filme vencedor receberá um prêmio em dinheiro, no valor de 3 mil reais e o Troféu Capivara. Concorrem nesta categoria os filmes que integram as mostras competitivas e paralelas.

Oficina Corpo Crítico

A oficina Corpo Crítico (aberta ao público mediante inscrições que se encerraram em 7 de outubro) é ministrada pela pesquisadora e crítica Kênia Freitas. Ela retorna ao festival pelo segundo ano com seu vigoroso trabalho teórico-prático na oficina Corpo Crítico 2020 – Experimentações Críticas por um Cinema Implicado. A atividade é formativa e gratuita.

Com informações da assessoria de imprensa do FestCurtasBH.

%d blogueiros gostam disto: