Julia Katharine estreia filme com atriz mineira como protagonista

A diretora, roteirista e atriz Julia Katharine lançou, no canal do Sesc Brasil no YouTube, “Won´t You Come Out To Play”, seu terceiro filme. O curta-metragem está disponível gratuitamente dentro do Projeto Sesc ConVida (veja aqui), edital que premiou diversos roteiristas pelo país como forma de movimentar a cena audiovisual brasileira, afetada pela pandemia.

Em decorrência do isolamento, o filme foi realizado totalmente de forma remota. Na narrativa, uma família disfuncional vivencia questões sensíveis durante o período de quarentena. Claudia Campolina, atriz mineira radicada em São Paulo, interpreta Virgínia, a personagem principal. A experiente Tuna Dwek é Celina, mãe de Virgínia, e os atores Carlos Eduardo Valente e Bruno Perillo também estão em cena. Além de roteirizar e dirigir, Julia Katharine vive Vanessa, personagem elementar na trama.

Julia é colecionadora de bonecas Barbie e conta que a ideia do filme surgiu a partir de suas brincadeiras com as bonecas, que ganham vida e se tornam personagens de narrativas da artista. “A brincadeira foi tomando forma por conta de um desejo meu antigo de falar sobre uma família disfuncional, então eu coloquei essa família em uma realidade pandêmica e imaginei como é difícil lidar com a distância entre eles ao mesmo tempo que essa distância sempre existiu nessa família”, conta.

Outro filme da diretora também foi produzido durante o período de isolamento: o curta “This Is Not Dancin Days”, protagonizado por Gilda Nomacce. A realização aconteceu após um convite do Instituto Moreira Salles para o projeto IMS Convida, que também foi criado como resposta aos danos causados na produção das artes pela pandemia.

Claudia Campolina em “Won´t You Come Out To Play”, de Julia Katharine – Divulgação

Em sua estreia na direção, Julia realizou o curta “Tea For Two” (2018), em que também assina o roteiro e atua. Antes, ela trabalhou como atriz em “Estamos Todos na Sarjeta, Mas Alguns de Nós Olham as Estrelas” (2020), de Sergio Silva e João Marcos de Almeida, e em três filmes do diretor Gustavo Vinagre: “Filme Catástrofe” (2017), “Os Cuidados que se Tem com o Cuidado que os Outros Devem Ter Consigo Mesmos” (2017) e “Lembro Mais dos Corvos” (2018). Neste último, Julia também foi corroteirista, e seu belíssimo trabalho na escrita e à frente das câmeras lhe rendeu o Prêmio Helena Ignez, na Mostra de Cinema de Tiradentes.

No momento, a cineasta trabalha em seu primeiro roteiro de longa-metragem, o filme intitulado “Naked Cake”, que deve ser rodado do próximo ano e será seu primeiro longa na direção.

Ouça nosso podcast com a entrevista que fizemos com Julia Katharine na Mostra de Tiradentes de 2019.

%d blogueiros gostam disto: