Marcélia Cartaxo em "Pacarrete" (2019) - Foto: Luiz Alves/Vitrine Filmes
Marcélia Cartaxo em "Pacarrete" (2019) - Foto: Luiz Alves/Vitrine Filmes

47º Festival Sesc Melhores Filmes exibe online produções mais votadas por público e crítica

De 14 de abril a 5 de maio, o 47º Festival Sesc Melhores Filmes oferece ao público a oportunidade de ver ou rever o que passou de mais significativo pelas telas em 2020. Tudo online e com acesso gratuito.

Entre os títulos selecionados estão o documentário da Macedônia do Norte “Honeyland”, de Tamara Kotevska e Ljubomir Stefanov, o drama francês “Retrato de uma Jovem em Chamas”, de Céline Sciamma, o britânico “Você Não Estava Aqui”, de Ken Loach, e o franco-belga “O Jovem Ahmed”, de Jean-Pierre Dardenne e Luc Dardenne, além dos nacionais “Três Verões”, de Sandra Kogut, “Sertânia”, de Geraldo Sarno, “Fim de Festa”, de Hilton Lacerda, “Pacarrete”, de Allan Deberton, e o documentário “Babenco – Alguém Tem que Ouvir o Coração e Dizer: Parou”, de Bárbara Paz.

Os filmes estarão disponíveis on demand por 24h, uma semana ou até o término do festival, a depender do título. As sessões acontecem na plataforma Sesc Digital. Parte dos filmes exibidos possui recursos de acessibilidade, com legendas open/close caption, libras e audiodescrição, disponíveis via app MovieReading.

A programação foi montada a partir dos votos do público e de críticos de cinema de todo o país. Os editores do cinematório, Renato Silveira e Kel Gomes, participaram da votação da crítica.

Além das produções nacionais e estrangeiras mais votadas de 2020, o festival terá sessões especiais de clássicos premiados em edições passadas, como o alemão “A Vida dos Outros” (2006), de Florian Henckel von Donnersmarck, o inglês “Segredos e Mentiras” (1996), de Mike Leigh, e o francês “Meu Tio da América” (1980), de Alain Resnais.

47º Festival Sesc Melhores Filmes - Divulgação
Divulgação

O festival também conta com homenagem à atriz Marcélia Cartaxo, protagonista de “Pacarrete”, com exibições de outros dois filmes que marcaram a carreira da artista: “A História da Eternidade” (2015), de Camilo Cavalcante, e “A Hora da Estrela” (1985), de Suzana Amaral. E o público poderá ver ainda o especial Abril Indígena, com sessões online de “Serras da Desordem” (2006), de Andrea Tonacci, e “Martírio”, (2017), de Vincent Carelli, Tatiana Almeida e Ernesto de Carvalho, ambos também premiados no Festival Sesc Melhores Filmes.

Completa a programação, uma série de atividades paralelas com pensadores e profissionais do cinema que se reúnem para debater temas importantes e atuais na sociedade e no audiovisual, nos encontros online: Cinema Negro em Várias Telas; Histórias Indígenas e o Brasil em Ruínas; Cinema Nordestino Contemporâneo: Uma Só Identidade?; e A Fotografia no Cinema: Sertânia e Pacarrete.

O anúncio dos premiados do 47º Festival Sesc Melhores Filmes será feito no canal do CineSesc no YouTube, no dia 14 de abril, a partir das 19h30, com apresentação do ator Silvero Pereira, intérprete do personagem Lunga, de “Bacurau”.

Logo após a cerimônia, será exibido o filme “Valentina”, inédito no circuito comercial, que traz a história de uma menina trans e sua mãe que se mudam para uma pequena cidade no interior de Minas Gerais, mas rapidamente enfrentam dilemas quando a escola local exige a assinatura da mãe e do pai para a jovem se matricular. O longa tem direção do mineiro Cássio Pereira dos Santos e tem no papel principal a atriz e youtuber Thiessa Woinbackk. “Valentina” será apresentado em sessão única, às 22h, na plataforma Sesc Digital.

PREMIAÇÃO

VOTO POPULAR

Melhor Filme Nacional: Pacarrete
Melhor Direção Nacional: Jeferson De (M8 – Quando a morte socorre a vida)
Melhor Atriz Nacional: Marcélia Cartaxo (Pacarrete)
Melhor Ator Nacional: Juan Paiva (M8 – Quando a morte socorre a vida)
Melhor Documentário: Babenco – Alguém tem que ouvir o coração e dizer: Parou
Melhor Roteiro: Pacarrete (Allan Deberton, André Araújo, Natália Maia e Samuel Brasileiro)
Melhor Fotografia: Beto Martins (Pacarrete)
Melhor Filme Estrangeiro: Retrato de uma jovem em chamas
Melhor Direção Estrangeira: Céline Sciamma (Retrato de uma jovem em chamas)
Melhor Atriz Estrangeira: Scarlett Johansson (Jojo Rabbit)
Melhor Ator Estrangeiro: Willem Dafoe (O farol)

VOTO DA CRÍTICA

Melhor Filme Nacional: Pacarrete
Melhor Direção Nacional: Geraldo Sarno (Sertânia)
Melhor Atriz Nacional: Marcélia Cartaxo (Pacarrete)
Melhor Ator Nacional: Irandhir Santos (Fim de festa)
Melhor Documentário: Babenco – Alguém tem que ouvir o coração e dizer: Parou
Melhor Roteiro: Pacarrete (Allan Deberton, André Araújo, Natália Maia e Samuel Brasileiro)
Melhor Fotografia: Miguel Vassy (Sertânia)
Melhor Filme Estrangeiro: Retrato de uma jovem em chamas
Melhor Direção Estrangeira: Céline Sciamma (Retrato de uma jovem em chamas)
Melhor Atriz Estrangeira: Adèle Haenel (Retrato de uma jovem em chamas)
Melhor Ator Estrangeiro: Willem Dafoe (O farol)

Com informações da assessoria de imprensa do CineSesc.