“Meu Nome é Bagdá” (2020), de de Caru Alves de Souza - Divulgação/Manjericão Filmes
“Meu Nome é Bagdá” (2020), de de Caru Alves de Souza - Divulgação/Manjericão Filmes

Première Brasil do Festival do Rio acontece online pela 1ª vez

Até 15 de agosto, acontece a Première Brasil do Festival do Rio, pela primeira vez em formato híbrido, com sessões presenciais, no cinema Estação Botafogo, no Rio de Janeiro, e online na plataforma InnSaei.TV.

A Première Brasil é a principal mostra competitiva do Festival do Rio e não foi realizada no ano passado devido à pandemia. Agora, o público poderá ver uma seleção de 45 filmes dentre os inscritos em 2020.

A programação conta com 20 longas, sendo 12 ficções e oito documentários, além de 25 curtas. Os longas serão exibidos online no dia seguinte à sessão presencial e ficam disponíveis por, no máximo, 48 horas, dentro do limite de exibições de cada título. Já as sessões online dos curtas estreiam no mesmo dia da sessão presencial e também ficam disponíveis por 48 horas.

A relação de filmes selecionados está logo abaixo. Já a programação completa está no site do festival e na plataforma Innsaei.TV. O acesso é gratuito.

Em novembro, o Festival do Rio pretende voltar com sua edição completa, no formato que o público está acostumado. A previsão é que o evento também seja híbrido e tenha parte da programação exibida online, para todo o Brasil.

Première Brasil – Os 45 filmes selecionados

Longas de ficção:
A Morte Habita à Noite, de Eduardo Moroto – 94 minutos
Um Animal Amarelo, de Felipe Bragança – 115 minutos
Casa de Antiguidades, de João Paulo Miranda Maria – 93 minutos
Curral, de Marcelo Brennand – 86 minutos
Desterro, de Maria Clara Escobar – 123 minutos
Doutor Gama, de Jefferson De – 80 minutos
King Kong En Asunción, de Camilo Cavalcante – 90 minutos
Longe do Paraíso, de Orlando Senna – 106 minutos
Meu Nome é Bagdá, de Caru Alves de Souza – 99 minutos
O Silêncio da Chuva, de Daniel Filho – 96 minutos
Pajeú, de Pedro Diógenes – 74 minutos
Valentina, de Cássio Pereira dos Santos – 95 minutos

Longas Documentários:
#eagoraoque, de Jean-Claude Bernardet e Rubens Rewald – 71 minutos
Chico Rei Entre Nós, de Joyce Prado – 94 minutos
Depois da Primavera, de Isabel Joffily e Pedro Rossi – 86 minutos
Limiar, de Coraci Ruiz – 75 minutos
Luz Acesa, de Guilherme Coelho – 69 minutos
Para Onde Voam as Feiticeiras, de Eliane Caffé, Carla Caffé e Beto Amaral – 90 minutos
Quadro Negro, de Bruno F. Duarte e Silvana Bahia – 62 minutos
Vil Má, de Gustavo Vinagre – 90 minutos

Curtas-metragem:
4 Bilhões de Infinitos, de Marco Antônio Pereira – 14 minutos
A Morte Branca do Feiticeiro Negro, de Rodrigo Ribeiro – 10 minutos
Amanhã, de Aline Flores e Alexandre Cristófaro – 18 minutos
Atordoado, Eu Permaneço Atento, de Henrique Amud e Lucas H. Rossi dos Santos – 15 minutos
Blackout, de Rossandra Leone – 19 minutos
Célio’s Circle, de Diego Lisboa – 10 minutos
Ela que Mora no Andar de Cima, de Amarildo Martins – 14 minutos
Enraizadas, de Gabriele Roza e Juliana Nascimento – 14 minutos
Fotos Privadas, de Marcelo Grabowsky – 12 minutos
Gilson, de Vitória Di Bonesso – 5 minutos
Lacrimosa, de Matheus Heinz – 11 minutos
Mãtãnãg, A Encantada, de Shawara Maxakali e Charles Bicalho – 14 minutos
O Barco e o Rio, de Bernardo Ale Abinader – 17 minutos
O Ciclope, de Guilherme Cenzi e Pedro Achilles – 9 minutos
O Prazer de Matar Insetos, de Leonardo Martinelli – 10 minutos
Portugal Pequeno, de Victor Quintanilha – 19 minutos
Rafameia, de Mariah Teixeira e Nanda Félix – 24 minutos
Rasga Mortalha, de Thiago Martins de Melo – 14 minutos
República, de Grace Passô – 15 minutos
Rosário, de Igor Travassos e Juliana Soares – 18 minutos
Terra Dormente, de Antônio Farias – 21 minutos
Um Filme de Quarentena, de Miguel Chaves e Jessica Linhares – 11 minutos
Vitória, de Ricardo Alves Jr. – 14 minutos
Você Tem Olhos Tristes, de Diogo Leite – 19 minutos
Yaõkwa – Imagem e Memória, de Vincent Carelli e Rita Carelli – 21 minutos

Com informações da assessoria de imprensa do Festival do Rio.

%d blogueiros gostam disto: