Foto: Jake Hill/Unsplash
Foto: Jake Hill/Unsplash

12 filmes icônicos no mundo do cinema

Todos nós temos nossos filmes favoritos, aqueles que gostamos de rever inúmeras vezes. Pensando nisso, fizemos uma lista com 12 obras que devem estar em qualquer lista de melhores longas, quer pelos seus valores puramente artísticos, quer pela sua influência ou até mesmo pelo impacto na história do cinema. Confira abaixo:

Foto: Corina Rainer/Unsplash
Foto: Corina Rainer/Unsplash

Luzes da Cidade (1931)

Um filme atemporal que se dedica a mostrar os acontecimentos ao espectador, permitindo que ele faça suas próprias avaliações. Uma crítica severa de quem realmente somos e do que nos faz trazer à tona o que há de pior em nós mesmos.

Embora tenha sido lançado na época do cinema falado, Chaplin resistiu em se submeter às leis da indústria e fez um filme sem diálogos, cheio de música e poesia do gesto. Uma comédia dolorosa em suas reflexões sobre a doação do amor e da gratidão.

O Mágico de Oz (1939)

Muito mais do que um conto de fadas para crianças, “O Mágico de Oz” é um dos filmes mais apreciados pela crítica e pelo público. A jornada de Dorothy para algum lugar acima do arco-íris sempre esteve aberta a múltiplas interpretações, como é o caso nas melhores obras de ficção.

Cidadão Kane (1941)

Sempre no topo deste tipo de lista, “Cidadão Kane” surgiu como uma das obras mais importantes e influentes da história do cinema.

Dirigido, coescrito, estrelado e coproduzido por Orson Welles, foi um caso incomum de total liberdade criativa, representando uma revolução na estética cinematográfica.

Casablanca (1942)

Um dos maiores clássicos das telas, Casablanca é, ao mesmo tempo, uma verdadeira história de amor, como também um filme de época, no caso da Segunda Guerra Mundial.

A maior parte da obra se passa no Rick Café Américain, que possui como proprietário Rick, interpretado por Humphrey Bogart.

Uma das mais icônicas cenas do longa é quando Rick aposta no número 22 da roleta para obter um prêmio que ajudaria um casal a escapar. Por incrível que pareça, eles conseguem e alcançam o seu objetivo.

Um Corpo que Cai (1958)

Um filme que, para muitos, está à frente de seu tempo e que apenas anos após sua estreia foi reivindicado como a obra-prima que é.

Seu poder de fascinação continua a perturbar espectadores e cineastas, e seu equilíbrio perfeito entre ética e estética é ideal para contar esta história surreal que mistura magistralmente mistério com romantismo.

Provavelmente, um dos melhores filmes de Alfred Hitchcock.

Lawrence da Arábia (1962)

O cinema como espetáculo definitivo. Uma experiência sensorial e psicológica única, obra de um gênio como David Lean.

Filme íntimo, excessivo, exaustivo, épico, bonito e terrível ao mesmo tempo. Uma história de como um líder é explorado e retratado como um ícone.

2001: Uma Odisseia no Espaço (1968)

Ninguém contesta seu título de obra-prima do gênero ficção científica, no entanto, sempre dividiu o público, que o ama ou o odeia.

O deliberado estado emocional dos personagens e a estética garantem que o único protagonista verdadeiramente comovente não seja um humano, mas sim um computador, o muito lembrado HAL 9000, inteligência artificial que se torna o herói do show.

O Exorcista (1973)

A maior força deste longa está nos medos que surgem de dentro de nós, bem como na luta eterna entre o bem e o mal. Possui uma encenação magnífica, uma atmosfera tensa, opressora e uma direção que foge de efeitos gratuitos e se aprofunda na psicologia dos personagens.

Possivelmente o filme de terror mais influente da história do cinema.

Um Estranho no Ninho (1975)

Baseado no romance de Ken Kesey, o filme se destaca especialmente pelo que pode ser a melhor performance de Jack Nicholson.

Uma denúncia de asilos e instituições psiquiátricas e uma ode ao despertar para a liberdade das pessoas. “Um Estranho no Ninho” mostra uma história de superação e crença no poder da mente humana.

Crimes e Pecados (1989)

Uma tragicomédia adulta e complexa que conta duas histórias paralelas (e aparentemente opostas) que convergem para um final sincero e devastador.

O filme levanta questões sobre vida, morte, verdade, moralidade e Deus, com um tom mais pessimista do que o habitual.

Pulp Fiction (1994)

Tarantino se firmou como cineasta cult com este filme (o segundo de sua filmografia), repleto de humor negro, linguagem estranha e ação, no mínimo exuberante, que escandalizou a crítica mais ortodoxa.

Propondo uma história não linear cheia de diálogos espirituosos e situações do cotidiano transformadas em momentos míticos, Pulp Fiction revolucionou o cinema dos anos 90.

Batman – O Cavaleiro das Trevas (2008)

Este filme está em nossa lista exatamente pelo trabalho de Heath Ledger como Coringa (que rendeu ao ator um Oscar póstumo).

Nolan conseguiu transformar uma história em quadrinhos em um filme adulto cheio de ação, tornando crível a existência desses dois antagonistas, que são basicamente as duas faces da mesma moeda.

Um trabalho magnífico que mudou para sempre a abordagem das adaptações cinematográficas de personagens de quadrinhos.

Ainda que possamos retirar (ou adicionar) algumas obras dessa lista, todos esses filmes marcaram a história do cinema. E se você procura por mais dicas, fique de olho em nossos podcasts que revisitam toda a arte cinéfila.

%d blogueiros gostam disto: