"Como respirar fora d’água" (2021), de Júlia Fávero e Victoria Negreiros - Divulgação
"Como respirar fora d’água" (2021), de Júlia Fávero e Victoria Negreiros - Divulgação

Nicho Novembro 2021 questiona para qual normal voltaremos

De 5 a 14 de novembro, o NICHO 54, instituto que trabalha pela promoção e valorização dos negros brasileiros no audiovisual, promove o NICHO NOVEMBRO 2021. Contemplando integralmente os três eixos do instituto — Curadoria, Formação e Mercado –, o evento segue gratuito e reúne mostra de filmes, com os destaques nacionais e internacionais da safra anual de obras focadas nas vivências negras; atividades de formação, que buscam o compartilhamento de conhecimento e experiências cinematográficas; e participação no mercado audiovisual, por meio de painéis de discussão sobre temas relevantes do setor e rodada de negócios com players do mercado.

As atividades de Formação serão realizadas via Zoom, mediante inscrição, e as de Mercado  poderão ser acessadas pelo Facebook e YouTube do NICHO 54. Já os filmes serão exibidos pela plataforma de streaming exclusiva SALA 54, que abriga todas as mostras online de filmes do instituto.

O tema escolhido para esta edição é “Para qual normal voltaremos?”, que está em consonância com os anseios e questionamentos da sociedade surgidos a partir da pandemia da Covid-19, como explica Fernanda Lomba, codiretora do NICHO 54: “Estamos atravessando um momento de extrema complexidade para o audiovisual e para a sociedade como um todo. Por isso, a nossa proposta durante esses 10 dias de NICHO NOVEMBRO é a de criar um espaço físico e simbólico que possibilite visionarmos novas posições e pertencimento, num exercício coletivo de prospecção para a construção e entendimento deste normal que queremos.”

Eixo Mercado

Marcando a abertura do NICHO NOVEMBRO 2021 no dia 5 de novembro, às 19h, o painel “Conversa com o Instituto” traz Fernanda Lomba e Heitor Augusto, diretores do NICHO 54, para um bate-papo com o público. Na ocasião, serão apresentados oficialmente os conselheiros nacionais e internacionais do instituto.

Os painéis prosseguem entre os dias 8 e 10 de novembro com discussões voltadas ao eixo mercado e temático do evento e conduzidas por renomados profissionais do setor audiovisual. Todos os encontros serão transmitidos pelo YouTube e Facebook do NICHO 54.

A edição deste ano contemplará Rodada de Negócios para projetos de longa-metragem de ficção e de documentário, mediante inscrição prévia. A atividade conta com players do mercado e parceiros da rede do NICHO 54, entre eles o Projeto Paradiso, que oferecerá um Prêmio Paradiso de R$ 5 mil em desenvolvimento a um projeto brasileiro de ficção, que também terá seu realizador integrado à Rede Paradiso de Talentos.

Eixo Curadoria

A mostra de filmes do NICHO NOVEMBRO 2021 traz 16 produções nacionais e internacionais, entre curtas e longas-metragens, vindas de nove países. Cada título ficará disponível para acesso por um período de 42 horas a partir da data de estreia no site, que será sempre às 19 horas.

“Em sua dimensão festival de filmes, o NICHO NOVEMBRO 2021 se torna cada vez mais um espaço para celebração das vidas negras. Em 2021 não será diferente, apesar do esgotamento coletivo dos brasileiros. A pesquisa curatorial seguiu intensa, então mantemos o contínuo diálogo entre obras de diferentes territórios e com passagens bem sucedidas por festivais nacionais e internacionais”, afirma Augusto.

Entre os destaques da programação da mostra estão “Lagarto” (“Lizard”), de Akinola Davies Jr., curta-metragem ganhador do Prêmio de Júri do Festival de Sundance de 2021, e o cubano “Aquilombados” (“Los Cimarrones”), filme de Dami Sainz que traz uma parábola que relaciona a construção de quilombos durante a escravidão com a experiência contemporânea da homossexualidade naquele país.

"Lagarto" (Lizard, 2021), de Akinola Davies Jr. - Divulgação
“Lagarto” (Lizard, 2021), de Akinola Davies Jr. – Divulgação

Da Colômbia surge “Entre Fogo e Água” (“Entre Fuego y Agua”), de Viviana Gómez Echeverry e Anton Wenzel, documentário que investiga a jornada de um jovem negro adotado por uma família indígena do povo Quillasinga. Outra atração imperdível é “Apátrida”, que venceu o Prêmio do Júri no Blackstar Film Festival 2020. Dirigido por Michèle Stephenson, o longa-metragem convida o público a acompanhar as tensões raciais e o comportamento xenofóbico da República Dominicana frente ao Haiti.

A produção brasileira está representada com sete títulos nesta edição do evento. Destaque para o curta-metragem ficcional “Como respirar fora d’água”, de Júlia Fávero e Victoria Negreiros, que conta a história de Janaína, uma adolescente abordada violentamente pela polícia enquanto voltava do treino de natação. Já em casa e livre do perigo, ela enfrenta a relação com seu pai, Júlio, também policial militar, com outros olhos.

Além das exibições virtuais de filmes, a terceira edição do NICHO NOVEMBRO vai contar ainda com uma sessão de cinema ao ar livre e respeitando todos os protocolos de segurança preconizados pelos órgãos competentes. As informações sobre essa exibição serão divulgadas em breve.

Eixo Formação

Neste ano, o eixo Formação do NICHO NOVEMBRO 2021 contempla duas atividades abertas ao público mediante inscrição. A primeira delas é “Perspectivas Pretas: Oficina de Crítica Audiovisual”, que será ministrada pelo projeto Indeterminações a convite do NICHO 54. A formação tem a proposta de fomentar o pensamento crítico e reflexivo acerca do audiovisual. O curso será dividido em dois momentos:

— Fase 1 – cinco encontros virtuais, promovidos entre os dias 1º e 5 de novembro, sempre das 19h às 21h30, conduzidos por Gabriel Araújo e Lorenna Rocha, criadores do Indeterminações.

— Fase 2 – a partir dos conteúdos apresentados nos encontros, os participantes vão produzir, entre os dias 9 e 14 de novembro, críticas dos filmes exibidos no festival deste ano. Os textos serão publicados no site institucional do NICHO 54 durante o evento.

Serão oferecidas 15 vagas para esta oficina e os interessados em participar podem se inscrever entre os dias 18 e 26 de outubro pelo formulário disponível aqui. Os selecionados serão comunicados por e-mail a partir do dia 29 de outubro.

A segunda atividade do eixo Formação é a “Memórias Pretas em Movimento: Oficina de Preservação Audiovisual”, voltada a profissionais negros. Idealizada pelo Instituto Moreira Salles (IMS), a edição deste ano é realizada e programada em parceria com o NICHO 54.

Esta oficina será dividida em cinco encontros virtuais entre os dias 8 e 12 de novembro, das 19h às 21h30, que vão propor discussões que abrangem fundamentos de preservação, o papel da memória para a comunidade negra, experiências de construção de arquivos internacionais, entendimento técnico e subjetivo da preservação, cases brasileiros, preservação e internet etc.

Um dos objetivos da formação é aproximar o ofício da preservação das populações negras, particularmente os jovens, colocando ao centro a urgência do cuidado com as nossas memórias. Entre os professores e debatedores confirmados estão Terri Francis, diretora do Black Film Center/Archive (EUA), Laura Bezerra, professora da UFRB e coordenadora do projeto Filmografia Baiana, e Maurício Lima, criador do Museu dos Meninos.

As inscrições para esta atividade também ficarão abertas entre os dias 18 e 26 de outubro pelo formulário disponível aqui. Serão destinadas 30 vagas para esta oficina e os selecionados serão informados por e-mail até o dia 2 de novembro.

Com informações da assessoria de imprensa do NICHO 54.

%d blogueiros gostam disto: