"Ganga Bruta" (1933), de Humberto Mauro - Reprodução

Bicentenário da Independência é discutido em mostra com 200 filmes nacionais

Até 30 de junho, acontece em São Paulo a mostra inédita “200 anos da Independência em 200 Filmes”, que comemora o bicentenário da Independência do Brasil. Formada por 100 curtas e 100 longas-metragens nacionais, a programação busca estimular a reflexão sobre o que esse marco histórico significa para os brasileiros.

Além das exibições presenciais no Cine Belas Artes em São Paulo, a mostra terá uma versão online, com 30 filmes, exibidos na plataforma de streaming #CulturaEmCasa, entre 15 e 29 de junho.

A seleção conta com obras de diversos períodos e movimentos cinematográficos, incluindo as produções dos estúdios Cinédia, Vera Cruz e Atlântida, a ruptura com os padrões no Cinema Novo e no Cinema Marginal, a independência da Boca do Lixo, a popularidade das Pornochanchadas, o financiamento por meio da Embrafilme e a volta por cima com o Cinema da Retomada.



“Como um país independente precisa ter uma cultura própria, decidimos propor a realização de uma grande mostra com 200 filmes feitos no país para mostrar a incrível variedade da produção nacional ao longo de mais de 120 anos”, diz André Sturm, presidente do Belas Artes Grupo. “Um país não é verdadeiramente independente se não for capaz de se ver nas telas do cinema. Vamos resgatar esta história com uma seleção de grandes momentos. Grandes filmes, diretores, artistas e técnicos que contribuíram para esta história serão lembrados”, completa.

Entre os filmes que serão exibidos estão clássicos como “A Filha do Advogado”, de 1926, dirigido por Jota Soares, e “Ganga Bruta”, de 1933, de Humberto Mauro. Outros filmes marcantes da história do cinema brasileiro, como “Rio, 40 Graus”, de Nelson Pereira dos Santos, “O Assalto ao Trem Pagador”, de Roberto Farias”, “À Meia-Noite Levarei Sua Alma”, de José Mojica Marins, e “Cabra Marcado Para Morrer”, de Eduardo Coutinho, também estão na seleção. Outros destaques incluem “Noite Vazia”, de Walter Hugo Khouri, “A Margem”, de Ozualdo Ribeiro, e “Anjos do Arrabalde”, de Carlos Reichenbach.

A produção atual também está representada na mostra que tem acesso inteiramente gratuito pelo site culturaemcasa.com.br. Para quem estiver em São Paulo, o ingresso das sessões presenciais custa apenas 4 reais.

 

SERVIÇO
Mostra 200 anos da Independência em 200 Filmes
Até 30 de junho de 2022
Horários: Sessões diárias
Ingresso: R$ 4 e R$ 2 (meia entrada)
Onde: Cine Petra Belas Artes (Rua da Consolação, 2423)
Mais informações aqui.

Programação Online – 30 filmes
De 15 a 29 de junho de 2022
Ingresso: Gratuito
Onde: #CulturaEmCasa (www.culturaemcasa.com.br)

%d blogueiros gostam disto: