Extermínio 2

Certos filmes merecem uma continuação.

“Extermínio”, de Danny Boyle, tratava da história de Jim (Cillian Murphy), que despertava de um coma e encontrava Londres totalmente devastada após o contágio da população por um vírus que, em questão de segundos, transformava os infectados em seres raivosos, dispostos a matar todos em seu caminho. Isso tudo ocorria 28 dias depois do início da epidemia (tanto é que “28 Days Later”, ou “28 Dias Depois”, é o título original do filme). O longa terminava deixando o espectador com vontade de seguir a história. O que aconteceria com aquela sociedade no futuro?



Isto é respondido em parte pela continuação “Extermínio 2” (“28 Weeks Later”, ou “28 Semanas Depois”, o tempo em que começa a seqüência). Londres está sendo repopulada pelos sobreviventes do contágio inicial sob a supervisão do Exército Norte-Americano (quem mais seria?). Parece que tudo está indo bem, pois não há sinais de infecção na área em quarentena e aqueles que haviam sido contaminados há muito morreram por inanição. Famílias estão sendo reunidas, como a do personagem de Robert Carlyle, que se reúne com os filhos, salvos por estarem de férias ns Espanha quando a tragédia ocorreu na cidade. Tudo corre bem e todos parecem estar aliviados.

Por que as pessoas nunca se lembram da Lei de Murphy?

Com a direção precisa do espanhol Juan Carlos Fresnadillo, “Extermínio 2” mantém a tensão por quase toda a duração do filme. Utilizando-se do estilo de terror europeu, bem diferente do americano (que ultimamente parece prezar só a tortura das vítimas) e do japonês (que valoriza o fantasmagórico, dando a impressão de que todos os filmes são semelhantes), Fresnadillo estabelece o susto através dos cortes rápidos e do uso não exagerado do gore e da violência, seguindo o exemplo de cineastas que realmente sabem fazer terror, como Alexandre Aja (“Alta Tensão”, “Viagem Maldita”), Neil Marshall (“Abismo do Medo”) e o seu precursor, Danny Boyle.

Este é um filme que pode se gabar de pertencer verdadeiramente ao gênero, além de ser um ótimo exemplo de seqüência que consegue ser melhor ou tão boa quanto o original. Ainda há esperança para o terror, além do bom velhinho George Romero.

nota: 8/10 — veja no cinema e compre o DVD

Extermínio 2 (28 Weeks Later, Reino Unido/Espanha, 2007), dir.: Juan Carlos Fresnadillo – em cartaz nos cinemas
%d blogueiros gostam disto: