Belas Artes ficará aberto por mais um mês

Os protestos de quem lamentou o fechamento do Belas Artes, um dos mais tradicionais cinemas de rua de São Paulo, funcionaram. Ou, pelo menos, prolongaram o inevitável. André Sturm, proprietário do cinema, anunciou hoje que o cinema continuará aberto por pelo menos mais um mês além do previsto, até 28 de fevereiro, tendo em vista a decisão de abertura do processo de tombamento do local.
Confira o release completo:
Belas Artes continua aberto até fevereiro
Desde o dia 06 de janeiro, quando foi anunciado que o Belas Artes, um dos cinemas de rua mais tradicionais de São Paulo, iria encerrar suas atividades em 27 de janeiro, uma mobilização espontânea da sociedade e imprensa se iniciou na cidade. O desdobramento foi positivo e nesta semana, dia 18 de janeiro, o Conpresp (Conselho Municipal de Preservação do Patrimônio Histórico, Cultural e Ambiental da Cidade de São Paulo) decidiu pela abertura do processo de tombamento do Cine Belas Artes, que deve ser decidido nos próximos três meses.
“Tendo em vista a decisão de abertura do processo de tombamento, decidimos manter o Belas Artes em funcionamento até o vencimento do contrato de permanência, que expira em 28 de fevereiro, para podermos ter tempo de negociar com o proprietário a renovação do contrato de locação. Com toda essa mobilização e com a decisão do Conpresp não abriremos mão de nenhum dia”, afirma André Sturm, proprietário do cinema.
Com isso, os fãs do Belas Artes ainda têm mais de um mês para conferir a programação do cinema. Os destaques são o Noitão Edição Extra, que acontece nesta sexta-feira e exibirá cinco filmes, mesclando três sucessos de edições anteriores com duas pré-estreias. Os inéditos serão O Amor e Outras Drogas, comédia romântica estrelada por Jake Gyllenhaal e Anne Hathaway, e o independente Inverno da Alma, duplamente premiado no Festival de Sundance, como melhor filme e melhor roteiro. A programação será completada pelas reprises de Labirinto de Paixões (1982), de Pedro Almodóvar; O Hotel de Um Milhão de Dólares (2000), de Wim Wenders; mais um filme-surpresa.
Até o dia 27 de janeiro, o público poderá conferir ainda uma retrospectiva com os maiores títulos exibidos no Belas Artes ao longo dos 68 anos de sua rica história, e também uma seleção especial com outros grandes clássicos do cinema mundial. Diariamente, os Sucessos do Belas Artes serão exibidos às 18h30, e os Clássicos Cult às 21hs.

Foto: R7.com

%d blogueiros gostam disto: