Parabólica: Coiote Coió em "127 Horas". E mais: Aronofsky fora de "Wolverine 2"; morre Michael Gough; "Star Wars" versão Simon Pegg; e o caso MinC/Bethânia

Começamos com um curta (não-oficial) do Papa-Léguas: Coiote Coió em “127 Horas”:

Dica do amigo Renné França, do Pílula Pop.

Muita gente indignada (e com razão) com o caso MinC/Maria Bethânia, mas vejam só isso aqui no blog do Jorge Furtado: “A cobrança de 2,5% do bruto do ingresso dos cinemas para o ECAD é uma imoralidade, embora legal. Além de imoral, é ineficiente, nenhum centavo cobrado do espectador chega aos músicos (intérpretes e compositores) da trilha dos filmes.” O Brasil e suas leis.



Sobre o caso MinC/Bethânia, Pablo Villaça fez este ótimo post, com dados alarmantes.

Darren Aronofsky abandonou a direção de “Wolverine 2” alegando os mesmos problemas de Matthew Vaughn quando este iria dirigir “X-Men 3”: “Não vou me sentir bem ficando quase um ano longe da minha família”. Minha opinião é que ele usou a família para sair de uma enrascada. Ainda não há nomes para assumir a direção do filme, mas acredito que a Fox não deve demorar a fazer um anúncio.

Por falar em super-herói, depois de não vingar como “Superman”, olhem onde Brandon Routh foi parar. Não conheço os quadrinhos. São bons?

A notícia triste do dia: morreu Michael Gough, aos 94 anos. Ele foi astro de filmes da Hammer e, claro, interpretou o mordomo Alfred nos quatro filmes do Batman pré-Nolan. Último papel dele foi mais uma colaboração com Tim Burton, dublando o pássaro Dodo de “Alice no País das Maravilha”. Aqui, a filmografia completa.

E mais uma má notícia envolvendo adaptações de HQ: David Slade foi escolhido pela Fox para dirigir a continuação de “Demolidor”. É: continuação. Isso quer dizer que Ben Affleck volta? É provável que não. Próximo passo, Fox: contratar Shawn Levy ou John Chu para dirigir o reboot de “Quarteto Fantástico”.

Judd Apatow está formando o elenco de seu próximo filme, que terá como protagonistas os personagens de Paul Rudd e Leslie Mann em “Ligeiramente Grávidos”. Pois é. Albert Brooks deve interpretar o pai de Rudd, enquanto Megan Fox provavelmente interpretará ela mesma, independente do papel.

Mark Wahlberg quer fazer uma continuação para “O Vencedor”. Pelo visto, toda vez que o Walhberg for indicado ao Oscar, ele vai querer fazer continuações (lembram de “Os Infiltrados 2”?).

Demorou, mas finalmente Park Chan-wook fará sua estreia no cinema americano. E ele está reunindo um baita elenco, com Colin Firth, Nicole Kidman e Mia Wasikowska. Apesar do título, “Stoker”, não é um filme de vampiros, mas um drama sobre uma garota que reencontra um tio depois da morte do pai.

José Eduardo Belmonte começou esta semana a rodar “Billi Pig”, comédia de ação anárquica, inspirada na chanchada e na screwball comedy, com Selton Mello e Grazi Massafera. O elenco também tem Cássia Kiss, Milton Gonçalvez e Preta Gil. Esse eu quero MUITO ver.

Do Cracked.com, oito atores que parecem fazer exatamente a mesma cara em todo cartaz de cinema. A animação com o Tom Cruise no final é impagável.

E para fechar, link/vídeo “Star Wars” do dia: Simon Pegg e Nick Frost tentam recriar a saga de George Lucas, mas não passam da primeira cena.

%d blogueiros gostam disto: