"Luz nos Trópicos", de Paula Gaitán - Divulgação

Confira os filmes vencedores do 9º Olhar de Cinema

Hoje, dia 16 de outubro,  encerrou-se o 9º Olhar de Cinema – Festival Internacional de Curitiba, que nesta edição aconteceu totalmente online, devido às medidas de segurança contra o coronavírus. O filme ganhador do Prêmio de Melhor Filme foi “Luz nos Trópicos”, passeio poético e experimental pela história das Américas dirigido por Paula Gaitán. A cerimônia de premiação contou com a participação dos realizadores premiados por meio de vídeos que cada um enviou à produção, além do anúncio dos prêmios ter sido feito pelos respectivos júris com suas tradicionais justificativas. E para a despedida, uma surpresa: um vídeo divertido e afetuoso com imagens de celular e das redes sociais revelando algumas cenas de bastidores  da equipe do Olhar e também de várias pessoas que acompanharam o festival, cada uma em sua casa. Inclusive, nossa página do Instagram marcou presença e você pode conferir tudo isso no canal do YouTube do festival.

O também poético longa-metragem português “A Metamorfose dos Pássaros”, foi o escolhido pelo público como o melhor filme da edição. Sua diretora, Catarina Vasconcelos, também recebeu do júri oficial o Prêmio de Contribuição Artística. Formado pela curadora e pesquisadora Tatiana Carvalho Costa, pelo crítico e programador Nicolas Feodoroff e pela jornalista e programadora Cynthia García Calvo, o júri também concedeu o Prêmio Especial à produção belga “Victoria”, do trio Sofie Benoot, Liesbeth De Ceulaer e Isabelle Tollenaere. Na competição de curtas-metragens, o grande vencedor foi o francês “Telas de Shanzhai”, de Paul Heintz.

Entre os premiados das outras mostras estão “Pajeú”, de Pedro Diógenes, eleito como melhor longa-metragem brasileiro pelo júri, e “Memby”, de Rafael Castanheira Parrode, melhor curta. Os programadores James Lattimer, Haruka Hama e Gerwin Tamsma premiaram também como melhor filme da mostra Novos Olhares o longa “O Ano do Descobrimento”, de Luis López Carrasco. O grande destaque da mostra Outros Olhares foi o chileno “Visão Noturna”, de Carolina Moscoso Briceño, escolhido como melhor filme pelo júri formado pelos cineastas Shai Heredia, Maíra Bühler e Gil Baroni.

O Prêmio da Crítica, concedido pela Abraccine – Associação Brasileiras de Críticos de Cinema, foi para o filme “Los Lobos”, de Samuel Kishi. Os prêmios AVEC-PR, voltados para a produção paranaense, foram para os curtas “Meia Lua Falciforme”, de Dê Kelm, Débora Evellyn Olimpio (Destaque do Júri), e “A Mulher Que Sou”, de Nathália Tereza, (Prêmio Berenice Mendes).

Todos estes filmes ganharão sessões extras. A partir das 19 horas de amanhã (16) até às 18h59 de sábado, será possível comprar o ingresso por R$5 e assistir ao filme que quiser.

Também receberam menções honrosas os filmes “O Índio Cor de Rosa Contra a Fera Invisível: A Peleja de Noel Nutels”, dirigido por Tiago Carvalho e selecionado para a Mostra Outros Olhares, e “Agora”, de Dea Ferraz, da Mostra Novos Olhares.

Confira a lista completa de premiados:

LONGA-METRAGEM

Prêmio Olhar de Melhor Filme:

Luz nos Trópicos (Brasil, 2020, 260 min.) de Paula Gaitan

Prêmio Especial do Júri:

Victoria (Bélgica, 2020, 72 min.) de Sofie Benoot, Liesbeth De Ceulaer e Isabelle Tollenaere

Prêmio Contribuição Artística:

Catarina de Vasconcelos, por A Metamorfose dos Pássaros (Portugal, 2020, 101 min.)

Prêmio do Público:

A Metamorfose dos Pássaros (Portugal, 2020, 101 min.), de Catarina Vasconcelos

Prêmio de Melhor Longa-Metragem Brasileiro:

Pajeú (Brasil, 2020, 74 min.), de Pedro Diógenes

Menção honrosa: Agora (Brasil, 2020, 70 min.), de Dea Ferraz

Prêmio de Melhor Filme da Mostra Novos Olhares:

O Ano do Descobrimento (El año del descubrimiento, Espanha/Suíça, 2020, 200 min.), de Luis López Carrasco

Prêmio de Melhor Filme da Mostra Outros Olhares:

Visão Noturna (Visión nocturna, Chile, 80 min.), de Carolina Moscoso Briceño

Menção honrosa: O Índio Cor de Rosa Contra a Fera Invisível: A Peleja de Noel Nutels (Brasil, 71 min.), de Tiago de Almeida

CURTA-METRAGEM

Prêmio Olhar de Melhor Filme:

Telas de Shanzhai (Shānzhài Screens, 2020, França, 23 min.) de Paul Heintz

Prêmio de Melhor Curta-Metragem Brasileiro:

Memby (Brasil, 15 min.) de Rafael Castanheira Parrode;

OUTROS PRÊMIOS

Prêmio da Crítica – Abraccine:
Los Lobos (México, 2019, 95 min.), de Samuel Kishi

Prêmio AVEC-PR:
Prêmio Destaque do Júri: Meia Lua Falciforme (Brasil, 2019, 22 min.), de Dê Kelm, Débora Evellyn OlimpioPrêmio AVEC – Berenice Mendes: A Mulher que Sou (Brasil, 2019, 15 min.), de Nathália Tereza

Com informações da assessoria de imprensa do Olhar de Cinema.

 

 

%d blogueiros gostam disto: