"Titane" (2021), de Julia Ducournau - Divulgação
"Titane" (2021), de Julia Ducournau - Divulgação

Com “Titane”, INDIE celebra 20 anos e volta a BH com sessões presenciais

Comemorando 20 anos de sua criação, o INDIE 2021 vai acontecer em Belo Horizonte — e com sessões presenciais em um cinema de rua. De 9 a 15 de dezembro, o Cine Belas Artes voltará a sediar o festival e exibirá uma programação de 27 filmes, incluindo alguns dos títulos mais premiados do ano e outros que ficaram inéditos na cidade devido ao fechamento das salas de projeção durante a pandemia de Covid-19.

A sessão Première apresenta o vencedor da Palma de Ouro em Cannes: “Titane”, de Julia Ducournau. Um dos filmes mais aguardados e comentados do ano, “Titane” poderá ser visto na tela grande, em oportunidade única na capital mineira. O longa terá lançamento no streaming em janeiro de 2022 e o lançamento comercial nos cinemas ainda não está confirmado.

A programação do INDIE 2021 ainda traz a BH o ganhador do Leão de Ouro no Festival de Veneza este ano, “O Acontecimento”, de Audrey Diwan; o Urso de Prata – Grande Prêmio do Júri do Festival de Berlim 2021, “Roda do Destino”, de Ryûsuke Hamaguchi; o novo filme do italiano Michelangelo Frammartino, “Il Buco”, Prêmio Especial do Júri em Veneza 2021; o último filme de Dominik Graf, “Fabian – O Mundo Está Acabando”; e duas novas diretoras, as atrizes Noémie Merlant (de “Retrato de uma Jovem em Chamas”), com “Mi Iubita, Meu Amor”, e Hafsia Herzi com seu segundo filme, “A Boa Mãe”. Para completar o programa, um dos diretores mais adorados do INDIE, Apichatpong Weerasethakul, terá “Memoria” em cartaz, também em sessão imperdível.

"Memoria" (2021), de Apichatpong Weerasethakul - Divulgação
“Memoria” (2021), de Apichatpong Weerasethakul – Divulgação

“A realização do INDIE 2021 poderia ser apenas a celebração dos 20 anos do festival, mas é o retorno, após 21 meses do início da pandemia, às salas de cinema, ao único cinema comercial de rua de uma cidade, aquela cidade, onde surgiu um festival, em 2001”, afirmam os organizadores. “O INDIE 2021 foi exclusivamente pensado para Belo Horizonte, para as pessoas que amam cinema, que não sabem como voltar a frequentá-lo em tempos pandêmicos, que se acostumaram com as plataformas de streaming e fizeram sua parte, ficaram em casa. Foram 17 meses com todos os cinemas da cidade fechados, agora com quase 70% da população completamente vacinada, queremos dar um impulso consciente: #vaiterINDIE!”

O Cine Belas Artes fica localizado na Rua Gonçalves Dias, 1.581, no bairro de Lourdes, região Centro-Sul de BH, e funciona de terça-feira a domingo, ficando fechado às segundas-feiras (inclusive durante o INDIE). O uso de máscara é obrigatório dentro das salas e demais espaços do cinema.

Mostra Mundial e diretores asiáticos em foco

No INDIE 2021, a Mostra Mundial traz nove filmes que foram lançados comercialmente no país, mas não foram exibidos nos cinemas de Belo Horizonte por causa da pandemia. Chance única para ver nas telas: “Rodantes”, do mineiro Leandro Lara; “Eu Estava em Casa, Mas…”, da alemã Angela Schanelec; “Perfil de uma Mulher”, do japonês Koji Fukada; “Liberté”, do catalão polêmico Albert Serra; “Knives and Skin”, da americana Jennifer Reeder; o documentário com a PJ Harvey, “Um Cão Chamado Dinheiro, de Seamus Murphy; e o filme que ganhou o Prêmio do Júri da edição online do INDIE 2020, “Sanctorum”, do mexicano Joshua Gil. Fecha o programa, e ainda inédito no circuito, “Vitalina Varela”, do aclamado Pedro Costa.

"Encontros" (Introduction, 2021), de Hong Sang-soo - Foto: Zeta Filmes/Divulgação
“Encontros” (Introduction, 2021), de Hong Sang-soo – Foto: Zeta Filmes/Divulgação

Quem frequenta o INDIE, conhece esses dois diretores: Hong Sang-soo e Kiyoshi Kurosawa. O festival já fez retrospectivas das suas obras e exibiu filmes novos em várias edições. Para esta edição, o INDIE faz algo diferente. No “Hong Sang-Soo Day”, serão exibidos quatro filmes do diretor coreano em sequência, na mesma sala, e só serão exibidos neste dia. Dois dos títulos foram lançados recentemente: “Encontros”, seu filme exibido em Berlim 2021 (Urso de Prata de Melhor Roteiro) e “A Mulher que Fugiu” (Urso de Prata de Melhor Diretor em Berlim 2020). Completam a seleção, os elogiados “Certo Agora, Errado Antes” e “Na Praia à Noite Sozinha”.

Outra imersão que o INDIE 2021 promove é no universo do mestre japonês Kiyoshi Kurosawa. O dia dedicado ao diretor apresenta o seu último filme, “A Mulher de um Espião”, lançado em Veneza 2020, onde ele recebeu o Leão de Prata de Melhor Diretor. Completa a programação do dia: “O Fim da Viagem, o Começo de Tudo”, o catastrófico “Antes que Tudo Desapareça” e o terror de “Creepy”.

Nas Sessões Especiais, a intenção é chamar atenção para o diretor japonês Ryûsuke Hamaguchi, a sensação do ano que lançou dois dos melhores filmes de 2021, um deles, “Roda do Destino”, que integra a mostra Première. O INDIE 2021 traz ainda uma chance para ver o filme anterior do cineasta, “Asako I & II”, realizado em 2018. E para rever Apichatpong Weerasethakul, uma oportunidade de assistir a “Cemitério do Esplendor”, de 2015. Apichatpong demorou seis anos para lançar outro longa, “Memoria”, exibido na Première.

Mostra online

Se a edição anterior do INDIE foi totalmente online em razão da pandemia, em 2021 o site do festival vai trazer uma programação extra e especial. São onze curtas, de seis países. A pequena cidade da Calábria esvaziada pelos processos migratórios em “Burnt. Land of Fire”, do suíço Ben Donateo; a diretora Zhou Jiali observa o desaparecimento da cidade chinesa Guashan em “The Drifting-Away Surrounding”; e o indiano Yudhajit Basu registra em “Kalsubai” o povo Mahadeo Koli, a lenda da Deusa Kalsu e sua influência nos dias de hoje.

"Grand Canyon" (2020), de Pedro Estrada - Divulgação
“Grand Canyon” (2020), de Pedro Estrada – Divulgação

Entre os curtas brasileiros, o carioca Pedro Tavares com “Não Se Pode Abraçar uma Memória”; os mineiros Pedro Gonçalves Ribeiro, com “O Resto”, e Pedro Estrada, com “Grand Canyon”; o diretor amazonense Sérgio Andrade faz seu primeiro curta depois de décadas fazendo longas, em “Cercanias/Gatos”; o curta da atriz paulista Renata Jesion, “A Conta Gotas”, e dos paulistas Pedro Achilles e Guilherme Cenzi, “O Ciclope”.

A programação online encerra com o curta do português Duarte Netto, “Raquel”, e a video-dança “Impétueuse m.”, dos franceces Elsa Decaudin, Quentin Guichard e Clément Decaudin.

No site do INDIE 2021 é possível também assistir a um filme com recursos de acessibilidade com Libras, audiodescrição e legenda descritiva. É o longa francês “Jovem Mulher”, de Léonor Serraille.

O INDIE 2021 é realizado pela produtora e distribuidora Zeta Filmes com recursos da Lei Municipal de Incentivo à Cultura de Belo Horizonte.

Confira a seguir a seleção completa e as descrições de cada filme do festival:

PREMIÈRE

O ACONTECIMENTO
de Audrey Diwan, 100 min., 2021, França. CI: 16 anos

França, 1963: uma sociedade que censura os desejos das mulheres. Anne tem pouco tempo. Seus exames estão chegando, e sua barriga está crescendo. Mostra de Veneza 2021 – Leão de Ouro.

A BOA MÃE
de Hafsia Herzi, 99 min., 2021, França. CL: 14 anos

Nora trabalha como faxineira e cuida de sua pequena família em um conjunto habitacional no norte de Marselha. Ela está preocupada com seu neto Ellyes, que está preso e aguarda julgamento. Festival de Cannes 2021 – Un Certain Regard – Prêmio pelo Conjunto.

FABIAN – O MUNDO ESTÁ ACABANDO
de Dominik Graf, 176 min., 2021, Alemanha. CI: 16 anos

Fabian é vítima de uma grande onda de demissões, enquanto Cornelia faz carreira como atriz. Mas não é apenas o seu mundo que está desmoronando… Berlinale 2021 (Competição).

IL BUCO
de Michelangelo Frammartino, 93 min., 2021, França/ Itália/Alemanha. CI: 14 anos

O fundo do Abismo Bifurto é alcançado pela primeira vez. A vida do pastor do planalto de Pollino começa a se entrelaçar com a jornada dos jovens espeleólogos. Mostra de Veneza 2021 – Prêmio Especial do Júri.

MI IUBITA, MEU AMOR
de Noémie Merlant, 95 min., 2021, França. CI: 14 anos

Jeanne vai comemorar sua despedida de solteira na Romênia com alguns amigos. Lá, ela conhece Nino e sua família. Tudo os separa. Cannes 2021 (Special Screenings – First Film)

RODA DO DESTINO
de Ryûsuke Hamaguchi, 121 min., 2021, Japão. CI: 16 anos

Meiko se assusta quando percebe que sua melhor amiga começa a se apaixonar pelo seu ex-namorado. Sasaki planeja se vingar do seu professor e Natsuko encontra uma mulher que parece ser alguém de seu passado. Festival de Berlim 2021 – Urso de Prata – Grande Prêmio do Júri.

MEMORIA
de Apichatpong Weerasethakul, 136 min., 2021, Colômbia/Tailândia/França/Alemanha/México/Catar. CI: 14 anos

Jessica não consegue dormir desde que começou a ouvir um forte som. Em uma cidade próxima, ela conhece Hernan. Eles compartilham memórias à beira do rio. Festival de Cannes 2021 – Prêmio do Júri.

TITANE
de Julia Ducournau, 108 min, França/Bélgica, 2021. CI: 18 anos

Um jovem com o rosto ferido é descoberto em um aeroporto. Ele afirma se chamar Adrien Legrand —mesmo nome de uma criança que desapareceu há dez anos. Festival de Cannes 2021 – Palma de Ouro.

MOSTRA MUNDIAL

A BARQUEIRA
de Sabrina Blanco, 75 min., 2019, Argentina/Brasil. CI: 12 anos

A jovem Tati, forçada a crescer sozinha em um ambiente hostil, conturbado e violento, aprende então a navegar pelo rio.

EU ESTAVA EM CASA, MAS…
de Angela Schanelec, 105 min., 2019, Alemanha/Sérvia. CI: 12 anos

Um garoto de 13 anos desaparece, sem deixar vestígios. Após uma semana, ele reaparece no pátio da escola, sujo e diferente. Festival de Berlim 2019 – Urso de Prata de Melhor Direção.

LIBERTÉ
de Albert Serra, 132 min., 2019, França/Portugal/Espanha/Alemanha. CI:18 anos

Madame de Dumeval, Duque de Tesis e Duque de Wand, libertinos expulsos da puritana corte de Luís XVI, pedem apoio ao lendário e sedutor Duque de Walchen.

KNIVES AND SKIN
de Jennifer Reeder, 112 min., 2019, EUA. CI: 16 anos

O desaparecimento da jovem Carolyn traumatiza os moradores de uma pequena cidade. Os segredos começam a ser revelados.

PERFIL DE UMA MULHER
de Koji Fukada, 111 min., 2019, Japão/França. CI: 14 anos

Ichiko é enfermeira particular e há anos cuida da matriarca da família Oisho, sua vida começa a mudar quando acontece um desaparecimento na família.

PJ HARVEY: UM CÃO CHAMADO DINHEIRO
de Seamus Murphy, 92 min., 2019, Irlanda/Reino Unido. CI: 12 anos

PJ Harvey e Seamus Murphy foram juntos ao Afeganistão, ao Kosovo e a Washington. PJ coletou palavras e Murphy coletou imagens.

RODANTES
de Leandro Lara, 108 min., 2019, Brasil. CI: 16 anos

A vida de três personagens: Tatiane, Odair e Henry no caos de Rondônia. Vidas em ebulição, se esbarram pelo mundo sem envolvimento maior do que sua própria condição de ambulantes.

SANCTORUM
de Joshua Gil, 83 min., 2019, México/República Dominicana/ Qatar. CI: 14 anos

A vida cotidiana foi extirpada desde que a cidade foi pega no fogo cruzado da guerra entre militares e os cartéis.

VITALINA VARELA
de Pedro Costa, 124 min., 2019, Portugal. CI: 12 anos

Vitalina Varela, 55 anos, cabo-verdiana, chega a Portugal três dias depois do funeral do marido. Há mais de 25 anos que Vitalina esperava o seu bilhete de avião.

KIYOSHI KUROSAWA DAY

A MULHER DE UM ESPIÃO
de Kiyoshi Kurosawa, 115 min., 2020, Japão. CI: 14 anos.

Na noite anterior ao início da Segunda Guerra Mundial, o comerciante Yusaku Fukuhara sente que as coisas estão caminhando em uma direção perturbadora. Sua esposa Satoko fará tudo para garantir sua felicidade. Mostra de Veneza 2020 – Leão de Prata para Melhor Diretor.

O FIM DA VIAGEM, O COMEÇO DE TUDO
de Kiyoshi Kurosawa, 120 min., 2019, Japão/Uzbequistão/Qatar. CI: 12 anos.

A jovem japonesa Yoko está com sua pequena equipe de TV no Uzbequistão para filmar um novo episódio para o programa de variedades que apresenta.

ANTES QUE TUDO DESAPAREÇA
de Kiyoshi Kurosawa, 129 min., 2017, Japão. CI: 12 anos.

Três alienígenas viajam para a Terra em uma missão de reconhecimento para preparar uma invasão em massa. A essência psicológica e espiritual de toda a humanidade está em jogo.

CREEPY
por Kiyoshi Kurosawa, 130 min., 2016, Japão. CI: 14 anos

Um dia, Takakura é abordado pela filha do vizinho, que lhe diz: “Aquele homem na minha casa não é meu pai… Ele é um completo estranho”.

HONG SANG-SOO DAY

ENCONTROS
de Hong Sang-soo, 66 min., 2021, Coreia do Sul. CI: 14 anos.

Youngho vai almoçar com sua mãe, que quer apresentá-lo a um colega que, coincidentemente, é o mesmo ator famoso que ele conheceu na clínica do pai. Festival de Berlim 2021 – Urso de Prata de Melhor Roteiro.

A MULHER QUE FUGIU
de Hong Sang-soo, 77 min., 2020, Coreia do Sul. CI: 14 anos

Enquanto o marido de Gam-hee está fora da cidade numa viagem de negócios, ela aproveita para reencontrar antigas amigas. Festival de Berlim 2020 – Urso de Prata de Melhor Diretor.

NA PRAIA À NOITE SOZINHA
de Hong Sang-soo, 101 min., 2017, Coreia do Sul. CI: 14 anos

Após ter um relacionamento com um homem casado, a famosa atriz coreana Younghee se pergunta: qual é a importância do amor na vida de alguém? Ela quer saber…

CERTO AGORA, ERRADO ANTES
de Hong Sang-soo, 121 min., 2015, Coreia do Sul. CI: 12 anos

O diretor de cinema Ham Chunsu conhece a artista plástica Yoon Heejung. Dividido em duas partes, o filme os acompanha ao longo de um dia. Quando a artista lhe pergunta se ele é casado, o diretor não tem outra opção senão revelar a verdade.

SESSÕES ESPECIAIS

ASAKO I & II
de Ryusuke Hamaguchi, 119 min., 2018, Japão/França. CI:12 anos

Asako e Baku vivem um romance intenso e avassalador, porém, certo dia, Baku desaparece. Dois anos mais tarde, em Tóquio, Asako encontra o duplo perfeito de Baku.

CEMITÉRIO DO ESPLENDOR
Apichatpong Weerasethakul, 122 min., 2015, Tailândia/Reino Unido/Alemanha/França/Malásia. CI:12 anos

Soldados com uma misteriosa doença do sono são transferidos para um hospital provisório. Jenjira torna-se voluntária para tratar de Itt, um belo soldado que ninguém vem visitar.

CURTAS ONLINE

BURNT. LAND OF FIRE
por Ben Donateo, 14:09, 2020, Suíça

A vida em um pequeno vilarejo do sul da Itália, Filippa di Mesoraca. Atingido pela migração dos jovens para o norte, o filme conta o que sobrou do país.

CERCANIAS/GATOS
de Sérgio Andrade, 15:09, 2021, AM/Brasil

Entre os muros de um condomínio de classe média, três gatos de rua procuram abrigo, comida e alegria.

O CICLOPE
de Pedro Achilles e Guilherme Cenzi, 9min., 2021, SP/Brasil

Uma mulher lembra da última visita feita ao seu pai na prisão. Nesse encontro, ele conta para ela sobre a história do Ciclope.

A CONTA GOTAS
por Renata Jesion, 6:07, 2021, SP/Brasil

Dois irmãos presos em seu universo. Ele artista. Ela autista. Um segredo que se desvela ou uma história que se completa?

GRAND CANYON
de Pedro Estrada, 12:18, 2020, MG/Brasil

Aurélio: Em meio a suas andanças pela cidade sua história, pensamentos e desejos ficam evidentes a cada passo, da Avenida Afonso Penna ao espaço sideral.

IMPÉTUEUSE M.
por Elsa Decaudin, Quentin Guichard e Clément Decaudin, 16:43 min., 2019, França

No pântano, uma jovem caminha até o local onde pode esconder seus segredos e enfrentar seus fantasmas.

KALSUBAI
de Yudhajit Basu, 20 min, 2020, Índia.

A lenda de Kalsu, a Deusa do povo de Mahadeo Koli, cuja história e identidade permanecem ainda hoje na consciência das mulheres da tribo.

NÃO SE PODE ABRAÇAR UMA MEMÓRIA
de Pedro Tavares, 9:05, 2021, RJ/Brasil

Entre a chegada e a partida do trem.

THE DRIFTING-AWAY SURROUNDING
de Zhou Jiali, 40 min, 2021, China

Durante a mudança da comunidade, a aldeia de Guashan desaparece em silêncio. Quase sem diálogos, o filme observa a vida dos residentes em suas várias perspectivas.

RAQUEL
de Duarte Netto, 2021, 15´42, Portugal

Um dia na vida de Raquel, atriz, que tenta fixar-se em Portugal no início da pandemia, salta de trabalho em trabalho para conseguir trazer os seus filhos que ficaram no Brasil.

O RESTO
de Pedro Gonçalves Ribeiro, 21 min., 2021, MG/Brasil-Portugal

Declarada morta por engano, a senhora Iolanda Bambirra vive como um fantasma entre a vida e a morte em Belo Horizonte, uma cidade em ruínas e sem vestígios do tempo.

ACESSIBILIDADE

Um filme com recursos de Libras, Audiodescrição e Legenda descritiva, online, por 7 dias.

JOVEM MULHER
por Léonor Serraille, 97 min, 2017, França

Sem dinheiro, dona apenas de um gato e com todas as portas batendo na sua cara, Paula retorna à Paris após uma longa ausência.

Com informações da assessoria de imprensa do INDIE.

%d blogueiros gostam disto: