"Acaso" (2021), de Luis Jungmann Girafa - Divulgação
"Acaso" (2021), de Luis Jungmann Girafa - Divulgação

54º Festival de Brasília acontece na TV e no streaming

Até 14 de dezembro, a 54ª edição do Festival de Brasília acontece de forma virtual, pelo segundo ano consecutivo, devido às restrições provocadas pela pandemia de Covid-19. Os filmes selecionados podem ser vistos de duas formas: pela plataforma de streaming InnSaei.TV e pelo Canal Brasil.

Festival de cinema mais longevo do país, o Festival de Brasília tem como filme de abertura este ano o documentário “Ninguém Me Tira Para Dançar”, realizado pela diretora Ana Maria Magalhães em homenagem à atriz Leila Diniz, que foi sua amiga pessoal.

“Ninguém Me Tira Para Dançar” fica disponível para ser visto online até o fim do festival, assim como os nove títulos exibidos pela Mostra Sessentinha, que celebra o melhor da filmografia brasiliense. O documentário “Catadores de História” e os dois programas de curtas para crianças e adolescentes também ficam à disposição do público até 14 de dezembro.



Já os filmes da Mostra Competitiva devem ser vistos em um espaço de tempo menor. As estreias acontecem às 22h30, no Canal Brasil, em sessões formadas por dois curtas e um longa. Logo depois, os títulos do dia ficam disponíveis na plataforma InnSaei.TV até o início da sessão do dia seguinte. O acesso à plataforma é gratuito.

Com curadoria geral assinada por Sílvio Tendler e Tania Montoro, a programação completa do Festival de Brasília pode ser encontrada no site festcinebrasilia.com.br. Por lá, você consegue salvar os eventos em sua agenda pessoal e acessar diretamente os filmes na InnSaei.

MOSTRA COMPETITIVA NACIONAL – LONGAS (por ordem de exibição)

ALICE DOS ANJOS (BA) – Direção: Daniel Leite Almeida

LAVRA (MG) – Direção: Lucas Bambozzi

ACASO (DF) – Direção: Luis Jungmann Girafa

ELA E EU (SP) – Direção: Gustavo Rosa de Moura

DE ONDE VIEMOS, PARA ONDE VAMOS (GO) – Direção: Rochane Torres

SAUDADE DO FUTURO (RJ) – Direção: Anna Azevedo

MOSTRA COMPETITIVA NACIONAL – CURTAS (por ordem de exibição)

OCUPAGEM (SP) – Direção: Joel Pizzini

TERRA NOVA (AM) – Direção: Diego Bauer

FILHOS DA PERIFERIA (DF) – Direção: Arthur Gonzaga

CHÃO DE FÁBRICA (SP) – Direção: Nina Kopko

DEUS ME LIVRE (PR) – Direção: Carlos Henrique de Oliveira e Luis Ansorena

ADÃO, EVA E O FRUTO PROIBIDO (PB) – Direção: R.B. Lima

COMO RESPIRAR FORA D’ÁGUA (SP) – Direção: Júlia Fávero e Victoria Negreiros

CANTAREIRA (SP) – Direção: Rodrigo Ribeyro

SAYONARA (SP) – Direção: Chris Tex

N.F. TRADE (DF) – Direção: Thiago Foresti

ERA UMA VEZ… UMA PRINCESA (RS) – Direção: Lisiane Cohen

DA BOCA DA NOITE À BARRA DO DIA (PE) – Direção: Tiago Delácio

MOSTRA BRASÍLIA (por ordem de exibição)

FILME DE ABERTURA
CATADORES DE HISTÓRIA – Direção: Tânia Quaresma

LONGAS
O MESTRE DA CENA (DF) – Direção: João Inácio
ACASO (DF) – Direção: Luis Jungmann Girafa
NOCTILUZES (DF) – Direção: Jimi Figueiredo e Sérgio Sartório
ADVENTO DE MARIA (DF) – Direção: Vinícius Machado

CURTAS
TEMPO DE DERRUBA (DF) – Direção: Gabriela Daldegan
TINHOSA (DF) – Direção: Rafael Cardim Bernardes
FILHOS DA PERIFERIA (DF) – Direção: Arthur Gonzaga
CAVALO MARINHO (DF) – Direção: Gustavo Serrate
BENEVOLENTES (DF) – Direção: Thiago Nunes
ELE TEM SAUDADE (DF) – Direção: João Campos
A CASA DO CAMINHO (DF) – Direção: Renan Montenegro
VÍRUS (DF) – Direção: Larissa Mauro e Joy Ballard

Com informações da assessoria de imprensa do Festival de Brasília.

%d blogueiros gostam disto: