Vozes do Além: "A Conquista da Honra"

O próximo Oscar tem grandes chances trazer o segundo round do confronto Martin Scorsese vs. Clint Eastwood.

Vocês se lembram que, em 2005, os dois competiram com “O Aviador” e “Menina de Ouro”, respectivamente, sendo Eastwood o grande vencedor. Agora, os dois mais talentosos diretores do alto escalão do cinema americano atualmente devem se enfrentar de novo. E a vantagem parece estar com Scorsese.

Nas últimas semanas, o cineasta surpreendeu a todos (eu inclusive) que não esperavam que “Os Infiltrados” fosse um filme com calibre para Oscar. Mas é. Já Eastwood, que desde o anúncio de “A Conquista da Honra” vinha sendo considerado um dos principais concorrentes à estatueta, parece não estar agradando tanto quanto em seus filmes anteriores, “Sobre Meninos e Lobos” e “Menina de Ouro”.



Selecionei abaixo seis críticos americanos que já assistiram ao filme: três gostaram, os outros, nem tanto. Do lado positivo, chegam elogios sobre a desconstrução do mito do “herói de guerra”, enquanto as pedras atiradas trazem, com freqüência, comentários sobre a semelhança visual com “O Resgate do Soldado Ryan” (o que já ficava claro pelo trailer) e a carência de personagens fortes.

Uma penetrante exploração do heroísmo, o filme solda uma poderosa descrição da batalha de Iwo Jima, a missão mais sangrenta que os Estados Unidos lutaram na Segunda Guerra Mundial, com um olhar irônico e, por fim, triste sobre suas conseqüências para três sobreviventes principais.” – Todd McCarthy, Variety

Se você está procurando por um filme de guerra, você ficará tristemente desapontado. Aqui há um monte de chegada na praia em tom sépia/tiros de armas/metralhadoras/ granadas/chamas/corpos se partindo. Essas seqüências de batalha são episódicas e pouco inspiradoras. É quase como se eles tivessem ido até os livros e encontrado todas as formas legais como as pessoas morreram e as colocado do início ao fim. Por cerca de 20 minutos, parece que nós estamos assistindo a um ‘Resgate do Soldado Ryan’ pobre.” – David Poland, Movie City News

Tematicamente, ‘A Conquista da Honra’ estabelece uma ligação direta com ‘Os Imperdoáveis’, já que ambos desconstroem mitos predominantes na história americana. Se o western de 1992 contesta e revisa o mito do pistoleiro e da violência no velho oeste, ‘A Conquista da Honra’ faz o mesmo com os mitos dos heróis de guerra e da história americana, especificamente, como heróis e imagens são criados, fabricados e vendidos à população.” – Emanuel Levy, EmanuelLevy.com

Um filme patriótico naquilo que honra aqueles que lutaram no Pacífico, mas também é patriótico porque questiona a versão oficial da verdade e nos lembra que super-heróis existem apenas em revistas em quadrinhos e em filmes caricaturais.” – Richard Roeper, Ebert & Roeper (áudio)

‘A Conquista da Honra’ está carregado de importância. É o drama do Oscar que declara abertamente suas grandes ambições. E, assim, ele se transforma no aspirante ao Oscar que de alguma forma desaponta e falha em corresponder às expectativas.” – Anne Thompson, The Hollywood Reporter

O filme estréia nos EUA na sexta-feira que vem, dia 20, portanto, mais opiniões surgirão nos próximos dias. Links para acompanhar as cotações:

Rotten Tomatoes
IMDB

No Brasil, só chega em 1º de dezembro.

%d blogueiros gostam disto: