CINEMATÓRIO AWARDS 2007: Mais Sammies!

Prosseguimos com a entrega dos troféus, agora revelando os vencedores das categorias individuais. E o Sammie vai para…

Diálogo do Ano



Alguma dúvida?

Enough is enough! I have had it with these motherfucking snakes on this motherfucking plane!

– Samuel L. Jackson, em “Serpentes a Bordo”

Melhor Final

“Os Infiltrados”, de Martin Scorsese

A partir do momento em que Leonardo DiCaprio e Matt Damon se encontram no terraço, o filme, que já estava sensacional até então, toma rumos surpreendentes, também para quem viu o original, “Conflitos Internos”. É impossível ficar indiferente quanto à cena do elevador e o que se segue – e ela não só atinge você em cheio, como também é possível sentir a reação de quem está sentado na poltrona ao lado. E a metáfora no plano final é apenas o toque final do mestre. Foda, foda, foda.

Cena Mais Hilária

“Os Sem Floresta”, de Tim Johnson e Karey Kirkpatrick

Para salvar seus amigos, o esquilo Remy bebe um energético. Ele, que já é elétrico por natureza, fica tão hiperativo que tudo ao seu redor parece ter ficado paralizado. Exemplo perfeito do humor espirituoso presente na melhor animação da DreamWorks desde “Shrek 2”.

O Cara Mais Engraçado

Johnny Depp, em “Piratas do Caribe: O Baú da Morte”

O ano foi fraco em termos de comédias. O Borat de Sacha Baron Cohen seria a escolha de Tooms para este troféu, mas como o filme não chegou ao Brasil, Johnny Depp acabou levando.

Melhor Referência

“Clerks II”, de Kevin Smith

Randal tira um sarro com fãs de “O Senhor dos Anéis” (essa merece a transcrição do diálogo):

– Randal Graves: Tudo bem, escutem, só existe um retorno, OK, é não é “do Rei”, é “do Jedi”.
– Hobbit Lover: Ah, nerd fã de Star Wars.
– Randal Graves: Ah, eu sou o nerd? Olhe só pra vocês dois esfregando seus preciosos.
– Elias: Você tem que perdoá-lo, ele não “entendeu” a trilogia.
– Randal Graves: O que diabos aconteceu com este mundo? Só existe uma trilogia, seus idiotas retardados.
– Hobbit Lover: Quer saber? Talvez nós devêssemos começar a chamar seu amigo de Padmé, porque ele adora tanto o Manakin Skywalker, certo? [fazendo voz de robô] “Perigo, perigo! Meu nome é Anakin. Minha atuação de merda está arruinando a saga.”
– Elias: [rindo] É, você é um Jar-Jar maluco.
– Randal Graves: Ah, eu sou maluco? Aquelas bostas de filmes de hobbit foram tediosas pra diabo. Tudo que foram, foram um monte de gente andando. Três filmes de gente andando para um maldito vulcão. E qual é a daquele visual gay? Eu achei que o Sam ia pular em cima do Frodo e chupar o pau dele. Isso sim seria um final digno de um Oscar.
– Hobbit Lover: Ei, seu viado! Sam e Frodo não são gays! Eles são hobbits!

Filme Que Mais Incomodou e/ou Chocou

“Vôo United 93”, de Paul Greengrass

Duas cenas: os operadores de vôo vendo o segundo avião se chocar contra o World Trade Center; e o ataque dos passageiros do vôo 93 contra os terroristas. Os sentimentos provocados por essas imagens variam de comoção a desespero, de compaixão a fúria. Mas talvez o que prevaleça seja a sensação de impotência por não se poder fazer nada que mude a história. Pelo menos, Greengrass fez algo para que não a esqueçamos.

Melhor Dublagem

Steve Carell, como o esquilo hiperativo Remy em “Os Sem-Floresta”

Melhor DVD

“Superman Ultimate Collector’s Edition”: a Warner brasileira não receberá o troféu por simplesmente ter lançado em nosso mercado uma versão pobre, sem vários discos e, pior ainda, sem a versão Richard Donner de “Superman II”. Shame on you, Warner!

Melhor Trilha Sonora

“Os Infiltrados”: Nem poderia ser diferente com uma seleção dessas. Stones, Van Morrison, Beach Boys, John Lennon. E ainda a faixa “I’m Shipping Up to Boston”, dos Dropkick Murphys, que possui o mesmo espírito agressivo do filme, além de ser ideal para um mosh. Disco recomendadíssimo.

%d blogueiros gostam disto: