CINEMATÓRIO AWARDS 2007: Melhores Filmes – Versão Estendida

Ao todo, foram 472 filmes vistos ao longo de 2006. Destes, 161 assisti no cinema, enquanto mais outros tantos lançamentos do ano só pude ver em DVD. Abaixo, relaciono, além dos 20 melhores filmes, outras dezenas de destaques com cotações entre 7 e 10 na minha escala pessoal.

Melhores filmes

1º. “Os Infiltrados”, de Martin Scorsese
2º. “Filhos da Esperança”, de Alfonso Cuarón
3º. “Vôo United 93”, de Paul Greengrass
4º. “Pequena Miss Sunshine”, de Jonathan Dayton e Valerie Faris
5º. “Munique”, de Steven Spielberg
6º. “A Criança”, de Jean-Pierre Dardenne, Luc Dardenne
7º. “O Novo Mundo”, de Terrence Malick
8º. “O Segredo de Brokeback Mountain”, de Ang Lee
9º. “Ponto Final – Match Point”, de Woody Allen
10º. “O Homem Urso”, de Werner Herzog
11º. “V de Vingança”, de James McTeigue
12º. “O Céu de Suely”, de Karim Aïnouz
13º. “O Plano Perfeito”, de Spike Lee
14º. “O Grande Truque”, de Christopher Nolan
15º. “Dália Negra”, de Brian De Palma
16º. “Caché”, de Michael Haneke
17º. “O Sol de Cada Manhã”, de Gore Verbinski
18º. “Separados Pelo Casamento”, de Peyton Reed
19º. “Happy Feet: O Pingüim”, de George Miller
20º. “A Lula e a Baleia”, de Noah Baumbach



Menções Honrosas:

“007 – Cassino Royale”, de Martin Campbell; “O Ano em que Meus Pais Saíram de Férias”, de Cao Hamburger; “Bonecas Russas”, de Cédric Klapisch; “Caminho Para Guantánamo”, de Michael Winterbottom e Mat Whitecross; “Carros”, de John Lasseter; “A Casa Monstro”, de Gil Kenan; “Crime Delicado”, de Beto Brant; “Depois Daquele Baile”, de Roberto Bomtempo; “Eleição – Submundo do Poder”, de Johnny To; “Factotum – Sem Destino”, de Bent Hamer; “Fonte da Vida”, de Darren Aronofsky; “Impulsividade”, de Mike Mills; “O Labirinto do Fauno”, de Guillermo del Toro; “Meu Encontro com Drew”, de Jon Gunn, Brian Herzlinger e Brett Winn; “Miami Vice”, de Michael Mann; “Murderball – Paixão e Glória”, de Henry Alex Rubin e Dana Adam Shapiro; “Por Água Abaixo”, de David Bowers e Sam Fell; “Ritmo de um Sonho”, de Craig Brewer; “Serpentes a Bordo”, de David R. Ellis; “O Samurai do Entardecer”, de Yôji Yamada; “Terror em Silent Hill”, de Christophe Gans; “Volver”, de Pedro Almodóvar; “Wolf Creek – Viagem ao Inferno”, de Greg McLean

Outros filmes que valeram a pena:

“16 Quadras”, de Richard Donner; “ABC do Amor”, de Mark Levin; “Achados e Perdidos”, de José Joffily; “Adrenalina”, de Mark Neveldine e Brian Taylor; “Árido Movie”, de Lírio Ferreira; “Assombração”, de Danny Pang e Oxide Pang Chun; “Boa Noite e Boa Sorte”, de George Clooney; “Bubble”, de Steven Soderbergh; “Capote”, de Benett Miller; “Clube da Lua”, de Juan José Campanella; “A Concepção”, de José Eduardo Belmonte; “Crime Ferpeito”, de Álex de la Iglesia; “Estamira”, de Marcos Prado; “Meninas”, de Sandra Werneck; “Missão: Impossível 3”, de J.J. Abrams; “Uma Mulher Contra Hitler”, de Marc Rothemund; “O Que Você Faria?”, de Marcelo Piñeyro; “Obrigado Por Fumar”, de Jason Reitman; “Piratas do Caribe: O Baú da Morte”, de Gore Verbinski; “Retratos de Família”, de Phil Morrison; “Os Sem-Floresta”, de Tim Johnson e Karey Kirkpatrick; “Soldado Anônimo”, de Sam Mendes; “Superman – O Retorno”, de Bryan Singer; “Syriana – A Indústria do Petróleo”, de Stephen Gaghan; “Três Enterros”, de Tommy Lee Jones; “Tudo em Família”, de Thomas Bezucha; “Viagem Maldita”, de Alexandre Aja; “X-Men – O Confronto Final”, de Brett Ratner; “Xeque-Mate”, de Paul McGuigan; “Zuzu Angel”, de Sérgio Resende

%d blogueiros gostam disto: