A Família do Futuro

Esta animação insanamente divertida usa e abusa de metalinguagem, sendo capaz de divertir tanto adultos quanto crianças – meta que parece ter virado regra de mercado.

Apesar de ter um furo colossal no roteiro, “A Família do Futuro” apresenta uma história bem narrada que faz bom uso da viagem no tempo, um conceito que parece nunca ficar fora de moda. E se personagens carismáticos são o forte da Disney, aqui você encontrará vários deles.



Há várias homenagens e referências espalhadas pelo filme, numa estranha, mas surpreendentemente agradável mistura de antigos desenhos animados (os carros voadores dos Jetsons, o vilão que lembra muito o Dick Vigarista) com Tarantino (a tomada do porta-malas, a citação aos filmes de kung fu dos anos 70). Até Tom Selleck faz uma ponta.

O ponto negativo fica para a animação, ainda inferior ao nível técnico alcançado pela Pixar, mas com claros avanços em relação ao que vimos em “O Galinho Chiken Little”. O final feliz, outra marca registrada da Disney, é forçado, mas a viagem vale a pena.

nota 7/10 — vale o ingresso

A Família do Futuro (Meet the Robinsons, 2007, EUA), dir.: Stephen J. Anderson – em cartaz nos cinemas

%d blogueiros gostam disto: