Desejo e Perigo

 

Um tema recorrente na filmografia de Ang Lee é a repressão – seja ela da sexualidade, em “O Segredo de Brokeback Mountain”, de emoções básicas do ser humano, como a raiva, tratada em “Hulk”, ou do mero descontentamento com a vida familiar, como visto em “Tempestade de Gelo”. Em “Desejo e Perigo”, a repressão surge na política.Não apenas por o filme ser situado durante a Segunda Guerra Mundial, na Xangai ocupada pelos japoneses, onde o Sr. Yee, oficial vivido por Tony Leung, age com autoritarismo, torturando e executando aqueles que se opõem ao regime instalado. Na verdade, a política está principalmente no jogo que se estabelece entre o militar e a jovem Mak (Tang Wei), representante de um grupo da resistência (o que cria um interessante paralelo com o ótimo “A Espiã”, de Paul Verhoeven).

O que mais chama a atenção é a relação de poder entre eles: o oficial exerce a dominação pela violência, enquanto a moça utiliza a sedução para se impor. É admirável a maneira como Ang Lee propõe a inversão de forças, quando observamos, primeiro, o gosto que Mak toma pelo poder que descobre ser capaz de exercer e, segundo, o ciclo que se fecha do primeiro ao último contato íntimo do casal.



As cenas tórridas de sexo não são gratuitas, já que historicamente Lee é um cineasta que jamais é explícito sem motivo. Em “Desejo e Perigo”, não apenas o sexo é usado como elemento narrativo (notável como a câmera mostra a nudez de Tang Wei pela primeira vez, do teto do quarto, e mais adiante, quase colada ao corpo da atriz), mas também uma cena de extrema violência.

Até tal cena acontecer, o filme corre de maneira muito contida, sem excessos. Quando a sequência de assassinato surge, o efeito é dramático (num filme de Quentin Tarantino, o impacto não seria o mesmo). E ela também representa uma forma de libertação – dramatúrgica e narrativa. Já mais adiante no filme, quando mostrar a morte não é necessário, Lee opta com inteligência por desviar a lente da câmera para cima.

É nessa forma que “Desejo e Perigo” se desenvolve, prendendo a atenção e surpreendendo o espectador em uma história de espionagem que se converte em um thriller erótico elegante, onde a luxúria indubitavelmente leva ao risco, como o título do filme preconiza.

nota: 8/10 — veja no cinema e compre o DVD
Desejo e Perigo (Se, jie ou Lust, Caution, 2007, Taiwan/China/Hong Kong/EUA)
direção: Ang Lee; roteiro: James Schamus, Hui-Ling Wang; fotografia: Rodrigo Prieto; montagem: Tim Squyres; música: Alexandre Desplat; produção: Ang Lee, William Kong; com: Tony Leung, Tang Wei, Joan Chen, Wang Lee-Hom, Tou Chung Hua, Chu Chih-ying, Kao Ying-hsien, Ko Yue-Lin, Yuen Johnson; estúdio: Haishang Films, Focus Features, River Road Entertainment; distribuição: Europa Filmes. 157 min
%d blogueiros gostam disto: