"Temporada" (2018) - Foto: Vitrine Filmes/Divulgação
"Temporada" (2018) - Foto: Vitrine Filmes/Divulgação

“Temporada” consolida força do cinema mineiro no Festival de Brasília

O 51º Festival de Brasília do Cinema Brasileiro realizou sua cerimônia de premiação nesse domingo, 23 de setembro, no icônico Cine Brasília, na capital federal. O longa-metragem “Temporada”, de André Novais Oliveira, levou cinco prêmios na noite, inclusive o de Melhor Filme da Mostra Competitiva. A produção ganhou também os Troféus Candangos de Melhor Direção de Arte, Fotografia, Ator Coadjuvante (Russão) e Atriz (Grace Passô). O longa teve sua première mundial no Festival de Locarno, em agosto, e será distribuído no circuito comercial pela Vitrine Filmes, no primeiro semestre de 2019 (veja o trailer).

A vitória de “Temporada” marca o terceiro ano consecutivo em que filmes mineiros vencem o Festival de Brasília. “Arábia”, de Affonso Uchoa e João Dumans, ganhou em 2017 (ouça nosso podcast sobre o filme), enquanto “A Cidade Onde Envelheço”, de Marília Rocha, levou o Candango principal em 2016.

A produtora de “Temporada”, Filmes de Plástico, tem uma trajetória particularmente vitoriosa em Brasília, tendo ganhado prêmios importantes em edições anteriores, como melhores Ator e Atriz coadjuvantes para Renato Novais e Elida Silpe por “Ela Volta na Quinta” (2014), e Melhor Curta para “Quintal” (2015) — este também dirigido por André Novais Oliveira, que na ocasião levou ainda Melhor Roteiro para Curta, e Dona Zezé, mãe de André, ganhou como Melhor Atriz de Curta. Já “Rapsódia para um Homem Negro” (2015), de Gabriel Martins, ganhou Melhor Trilha de Curta e o Prêmio Canal Brasil.

"Temporada" (2018) - Foto: Vitrine Filmes/Divulgação
Grace Passô em cena de “Temporada” (2018) – Foto: Vitrine Filmes/Divulgação

Na premiação de ontem, entre os curtas da Mostra Competitiva, “Conte Isso Àqueles que Dizem que Fomos Derrotados” ficou com o troféu principal. O filme de Aiano Bemfica, Camila Bastos, Cristiano Araújo e Pedro Maia de Brito também foi premiado pelo Melhor Som com o trabalho de Nicolau Domingues.

O júri popular votou e escolheu como melhor longa o filme “Bixa Travesty”, de Claudia Priscilla e Kiko Goifman, que também foi reconhecido como Melhor Trilha Sonora, com o Prêmio Saruê e uma menção honrosa. O melhor curta para o público foi “Eu, Minha Mãe e Wallace”, dos Irmãos Carvalho, que também ganhou Melhor Atriz Coadjuvante (Noemia Oliveira) e o Prêmio Zózimo Bulbul de Melhor Curta.

Outros destaques da noite foram as premiações de Melhor Direção em curta e longa, entregues respectivamente a Nara Normande (“Guaxuma”) e Beatriz Seigner (“Los Silencios”). O júri oficial da Mostra Brasília premiou como Melhor curta o filme “Entre Parentes”, de Tiago Aragão; e como Melhor Longa a ficção “New life S.A.”, de André  Carvalheira. 

O júri da crítica, formado pela Abraccine (Associação Brasileira de Críticos de Cinema), elegeu “Mesmo com Tanta Agonia” como Melhor Curta e “Los Silencios”, o Melhor Longa.

Confira a lista completa de vencedores deste ano:

Mostra Competitiva

Longa-metragem

Melhor filme (Prêmio Técnico Dot Cine): Temporada

Melhor direção: Beatriz Seigner (Los Silencios)

Melhor ator: Aldri Anunciação (Ilha)

Melhor atriz: Grace Passô (Temporada)

Melhor ator coadjuvante: Russão (Temporada)

Melhor atriz coadjuvante: Luciana Paes (A Sombra do Pai)

Melhor roteiro: Ilha, Ary Rosa e Glenda Nicácio

Melhor fotografia: Temporada, Wilsa Esser

Melhor direção de arte: Temporada, Diogo Hayashi

Melhor trilha sonora: Bixa Travesty

Melhor som: A Sombra do Pai, Gabriela Cunha

Melhor montagem: A Sombra do Pai, Karen Akerman

Júri Popular

Melhor longa-metragem (Prêmio Petrobras de Cinema e Prêmio Técnico Canal Curta!): Bixa Travesty

Prêmio Especial do Júri

Longa-metragem: Torre das Donzelas

Menção honrosa do Júri

Bixa Travesty, pelo posicionamento e impactante apresentação da dupla Linn da Quebrada e Jup do Bairro

Curta-metragem

Melhor filme (Prêmio Técnico Dot Cine): Conte isso àqueles que dizem que fomos derrotados

Melhor direção: Nara Normande (Guaxuma)

Melhor ator: Fábio Leal (Reforma)

Melhor atriz: Maria Leite (Mesmo com tanta agonia)

Melhor ator coadjuvante: Uirá dos Reis (Plano Controle)

Melhor atriz coadjuvante: Noemia Oliveira (Eu, minha mãe e Wallace)

Melhor roteiro: Reforma, Fábio Leal

Melhor fotografia: Mesmo com tanta agonia, Anna Santos

Melhor direção de arte: Guaxuma, Nara Normande

Melhor trilha sonora: Guaxuma, Normand Roger

Melhor som: Conte isso àqueles que dizem que fomos derrotados, Nicolau Domingues

Melhor montagem: Plano Controle, Gabriel Martins e Luisa Lana

Menção honrosa de atriz coadjuvante: Mesmo com tanta agonia, Rillary Rihanna Guedes

Júri Popular

Melhor curta-metragem (Prêmio Técnico CiaRio/Naymar): Eu, minha mãe e Wallace

Prêmio Especial do Júri

Curta-metragem: Liberdade

Prêmio Abraccine

Melhor Filme Curta Metragem: Mesmo com tanta agonia

Melhor Filme Longa Metragem: Los Silencios

Prêmio Conterrâneos

O outro lado da memória, de André Luiz Oliveira

Prêmio Técnico DOT Cine – Longa-Metragem

Temporada

Prêmio Marco Antônio Guimarães

O outro lado da memória, de André Luiz Oliveira

Prêmio Saruê

Linn da Quebrada e Jup do Bairro, por Bixa Travesty

Prêmio Técnico Canal Curta!

Bixa Travesty

Prêmio Aquisição Canal Brasil – Melhor Filme Curta Metragem

Mesmo com tanta agonia

Prêmio Técnico CiaRio/Neymar

Eu, minha mãe e Wallace

Prêmio Técnico DOT Cine – Curta-Metragem

Conte isso àqueles que dizem que fomos derrotados

Prêmio Zózimo Bulbul

Prêmio Zózimo Bulbul – Fest Filme Fest Uni

Impermeável Pavio Curto

Prêmio Zózimo Bulbul – Melhor Filme Curta Metragem

Eu, Minha Mãe E Wallace

Prêmio Zózimo Bulbul – Melhor Filme Longa Metragem

Ilha

Mostra Brasília

Prêmios do Júri Oficial

Melhor longa-metragem (Prêmio CiaRio/Naymar): New Life S/A

Melhor curta-metragem (Prêmio Aquisição Prime Box Brasil): Entre Parentes

Melhor direção: André Luiz Oliveira (O outro lado da memória)

Melhor ator: Murilo Grossi (New Life S/A)

Melhor atriz: As presidiárias do filme Presos que Menstruam, representadas por Naiara Lira

Melhor roteiro: Para minha gata Mieze, Wesley Gondim

Melhor fotografia: Entre Parentes, Alan Schvarsberg

Melhor montagem: A Praga do Cinema Brasileiro, Zefel Coff

Melhor direção de arte: O Outro Lado da Memória, Moacyr Gramacho

Melhor edição de som: Riscados pela Memória, Olívia Hernandez

Melhor trilha sonora: O Outro Lado da Memória, Vinícius Jibhajan

Júri Popular

Melhor longa-metragem (Prêmio Petrobras de Cinema e Prêmio Estúdio Plug In): O outro lado da memória

Melhor curta-metragem (Prêmio Técnico CiaRio/Naymar): Terras Brasileiras

Prêmio Petrobras de Cinema

O outro lado da memória

Prêmio Técnico Estúdio Plug.in

O outro lado da memória

Prêmio Técnico CiaRio/Naymar

Curta-metragem: Terras Brasileiras

Longa-metragem: New Life S/A

Prêmio Aquisição Prime Box Brazil

Entre Parentes

Mostra Caleidoscópio

Prêmios Caleidoscópio, Técnico VOD Tamanduá e Aquisição Prime Box Brazil

Os Sonâmbulos

Fest Uni

Melhor Direção Fest Uni

Flores, de Vado Vergara e Henrique Bruch (PUC/RS)

Melhor Filme Júri Popular Fest Uni

A casa de Ana, de Clara Ferrer e Marcella C. De Finis, da Universidade Federal Fluminense

Melhor Filme Fest Uni

Capitais, de Kamilla Medeiros e Arthur Gadelha, da escola Porto Iracema das Artes, do Ceará

Menção Honrosa Fest Uni

Um lugar ao sul, de Gianluca Cozza (Universidade Federal de Pelotas) e De vez em quando, quando eu morro, eu choro, de R.B. Lima (Universidade Federal da Paraíba)

Futuro Brasil

Prêmio Técnico Mistika, Prêmio Técnico Cinemática Audiovisual e Prêmio Técnico Cinecolor

Ontem havia coisas estranhas no céu, de Bruno Risas

Prêmios Ambiente de Mercado

Prêmio CineBrasil TV [pré-licenciamento]

Selvagem – Diego da Costa – Pietà Filmes

Prêmio Rio2C [2 credenciais]

Carolina, Conceição e nós todas – Gabriele Pereira – Space4

Nosso Amor de Hoje – Daniel Calil – Pira Filmes

Prêmio MIPTV [2 credenciais]

O Criador de Tudo  – Tiago Tambelli – Lente Viva Filmes

Prêmio Rotterdam LAB [1 credencial]

Passagem Esperança – Fernando Segtowick – Marahu Filmes

Prêmio Imersão Criativa na Chapada dos Veadeiros/GO

Ecos do silêncio – André Luiz Oliveira – ASACINE Filmes

%d blogueiros gostam disto: