"Aconteceu Naquela Noite" (It Happened One Night, 1934), de Frank Capra - Reprodução

Mostra reúne filmes de Frank Capra e Leo McCarey no Cine Humberto Mauro

Até 23 de junho, fica em cartaz no Cine Humberto Mauro, no Palácio das Artes, a mostra “Do Cinema Tudo se Leva: Capra e McCarey”. A programação é formada por 21 filmes dirigidos por Frank Capra e Leo McCarey, diretores com grande influência durante a Era de Ouro de Hollywood.

A obra dos dois cineastas foi de extrema relevância para a mudança de paradigmas da sétima arte, após a crise financeira instaurada nos Estados Unidos em razão da Grande Depressão de 1929. Naquela época, o cinema se tornou uma grande válvula de escape e de esperança para a sociedade norte-americana. Em seus filmes, Capra e McCarey abordavam histórias de sujeitos comuns em busca de redenção pessoal e espiritual, além de narrativas esperançosas.

Entre os filmes de Capra selecionados para a mostra estão clássicos como “Aconteceu Naquela Noite”, “O Adorável Vagabundo” e “A Felicidade Não Se Compra”. Já da obra de McCarey estão presentes “A Cruz dos Anos”, “O Diabo a Quatro”, “Duas Vidas”, entre outros.



“Os filmes de Capra e McCarey tem uma aura de conto de fadas e de personagens que se encontram e tem uma redenção pessoal. São diretores de filmes com mensagens morais e de esperança, que entendiam o país que filmavam”, explica Vítor Miranda, da Gerência do Cine Humberto Mauro. “Acredito que seja um momento importantíssimo de realizar essa mostra, principalmente após uma pandemia que vitimou milhares de pessoas. São filmes que estabelecem uma fé no ser humano e na sociedade, assim como foi o papel do cinema naquela época”, completa.

A entrada é gratuita e os ingressos são distribuídos na bilheteria do Cine Humberto Mauro. Ao longo da mostra, o público também terá a oportunidade de acompanhar as tradicionais sessões “Cinema e Psicanálise” e “História Permanente do Cinema”, seguidas de debates presenciais e online, no canal da Fundação Clóvis Salgado no YouTube.

Com informações da Fundação Clóvis Salgado.

%d blogueiros gostam disto: