Meninas

De volta ao documentário, gênero em que iniciou sua carreira, Sandra Werneck (“Cazuza – O Tempo Não Pára”, “Amores Possíveis”) faz em “Meninas” um retrato da gravidez prematura de adolescentes nas favelas do Rio de Janeiro.
O filme acompanha o dia-a-dia de quatro meninas entre 13 e 15 anos de idade, cada qual com sua história peculiar: Evelin, a mais nova, ficou grávida de um ex-traficante; Luana diz que “planejou” a gravidez; Edilene descobriu que esperava um filho do namorado pouco depois terminar o relacionamento, mas em tempo suficiente para que ele engravidasse uma vizinha da mesma idade.
Werneck demonstra sensibilidade nas entrevistas, obtendo depoimentos sinceros dos personagens. Sem ter a pretensão de fazer um estudo sobre as causas da sexualidade precoce, a diretora se volta para o drama particular de cada uma das meninas e das pessoas que as cercam. Assim, além de acompanharmos a preparação das garotas para a chegada de seus filhos, vemos que seus pais (particularmente, as mães) também sentem o peso da responsabilidade, já que, inevitavelmente, terão que alimentar mais uma boca em casa. Outro drama que ganha destaque é o de Alex, que engravidou Edilene e Joice: dos R$ 200,00 que ganha mensalmente, R$ 150,00 precisam ser divididos com elas.
Mesmo que de leve, Sandra também faz críticas, como ao mostrar uma das meninas dizendo que não usou camisinha porque simplesmente “acabou” no posto onde é feita a distribuição gratuita de preservativos aos moradores da comunidade.
Intercalando as cenas principais com imagens bem fotografadas do ambiente onde as meninas vivem, o documentário só deixa um pouco a desejar quando não se aprofunda nas conseqüências do pós-parto. O filme possui apenas 73 minutos de duração – eu não me importaria em ver mais 20 para saber se Evelin realmente sentiu que voltou a “brincar de boneca” com a filha nos braços, ou para ver como Luana se virou agora que tem um bebê só para ela, como desejava. Além disso, por ser um recorte, o filme poderia mostrar, no mínimo, alguma estatística para contextualizar o espectador sobre a situação atual da gravidez na adolescência no Brasil.

Meninas (2006, Brasil). Direção: Sandra Werneck.

O DVD
“Meninas” é um documentário bonito e triste. Valeu a pena ser visto no cinema, mas esperava-se que, em DVD, seus extras poderiam ajudar a formar um painel mais informativo sobre o tema abordado. Porém, as atrações especiais se resumem a um making of de dois minutos de duração, que se resume ao encontro das meninas um ano após as filmagens, e algumas entrevistas com a diretora e membros da equipe técnica.
O making of mostra as garotas protagonistas do documentário comentando brevemente sobre como foi participar do filme, do convite às gravações. Trata-se de um material que funciona mais como curiosidade e que poderia perfeitamente ter sido inserido durante os créditos finais.
Das entrevistas, além de Sandra Werneck, participam Gisele Camara (diretora assistente), Luís Antônio Silveira (produtor executivo) e Bebeto Abrantes (roteirista). Eles falam sobre o surgimento da idéia do documentário, como ocorreu a pré-produção e a realização das filmagens.
O vídeo, em formato standard, está com ótima qualidade, aproveitando a matriz original digital. Também não há do que reclamar sobre o som, em Dolby Digital 2.0. Outros extras no disco são a filmografia da diretora (em texto) e uma galeria de fotos.
%d blogueiros gostam disto: