Contratempo

“Contratempo” é o documentário que marca a excelente estréia da atriz (não tão excelente assim no campo da atuação) Malu Mader na direção. O filme, realizado através de uma parceria de Malu com Mini Kerti, conta a história de jovens moradores de favelas cariocas que descobrem na música clássica a possibilidade de uma vida diferente – ou ao menos um meio de esquecer seus problemas (mesmo que momentaneamene).

Até aí, nada de muito original. O que talvez até contribua para que esse seja um filme bem interessante. Já que com um tema e assuntos tão em voga – jovens com pouca perspectiva de futuro; favelas; guinada através da música – os cuidados para não ultrapassar os limites entre o belo e o piegas, entre o sensível e o apelativo, entre o original e o clichê devem ser dobrados.

Por falar na sensibilidade, é nela que se encontra o ponto forte do longa. As diretoras acertaram ao selecionar, entre os jovens músicos beneficiados pelo projeto social Villa Lobinhos, aqueles que fizeram parte do “elenco” do filme e, mais ainda, na escolha das cenas de cada um deles que compõem “Contratempo”. Alguns relatos são emocionantes, enquanto outros chegam a ser hilários.



Nenhum “personagem” recebe mais importância do que os demais, mas alguns naturalmente se destacam, seja pelo carisma e espontaneidade – como é o caso de dois irmãos gêmeos – seja pela história de vida, ou pelo início de uma carreira promissora (um dos meninos, Pedro Nascimento, é compositor e faz parte de uma banda pop chamada Diwali, que está começando a fazer sucesso com o público adolescente).

Para complementar, a trilha sonora é belíssima e vai de Villa Lobos ao samba – ou ao pop. Todas as músicas são tocadas pelos alunos do projeto social Villa Lobinhos e Malu e Mini parecem ter se preocupado em não criar um falso conto de fadas, mostrando que o aprendizado erudito não significa que aqueles jovens integram ou integrarão alguma orquestra. O que não quer dizer que o envolvimento com a música não tenha modificado – de formas e intensidades diferentes – a vida de cada um deles.

O filme não teve tanto ibope na 12ª Mostra de Cinema de Tiradentes quanto “Titãs – A Vida Até Parece uma Festa”, mas merece mais atenção nas salas de cinema. A diretora Malu Mader disse estar preparando mais um longa (desta vez uma ficção). Depois desse maravilhoso “Contratempo”, num momento que vários atores brasileiros estão se aventurando do outro lado das câmeras e se saindo bem na nova empreitada, só nos resta torcer por mais uma boa surpresa.

nota: 9/10 — veja no cinema e compre o DVD

Contratempo (2009, Brasil)
direção: Malu Mader, Mini Kerti; roteiro: Malu Mader, Mini Kerti; produção: Bia Almeida, Carolina Benevides; fotografia: Flavio Zangrandi; montagem: Sergio Mekler; música: Valeria Ferrou; estúdio: VideoFilmes; distribuição: VideoFilmes. 98 min
%d blogueiros gostam disto: