Festival de Cannes - AP Images
Foto: AP Images

75º Festival de Cannes tem filme produzido por brasileiro na competição

O Festival de Cinema de Cannes realiza sua 75ª edição entre 17 e 28 de maio. Após dois anos de pandemia, o evento volta ao seu período tradicional e acontece com sessões presenciais, apesar de ainda haver receio quanto à contaminação dos convidados pela Covid-19.

Apesar de nenhum filme brasileiro estar entre os títulos selecionados para concorrer à Palma de Ouro, o produtor Rodrigo Teixeira, da RT Features, representa o país na competição. Premiado em 2019 na Un Certain Regard com “A Vida Invisível”, de Karim Aïnouz, ele assina este ano a produção do drama “Armageddon Time”, longa dirigido pelo cineasta estadunidense James Gray (“Os Donos da Noite”). O próprio diretor escreveu o roteiro a partir de memórias de sua juventude no bairro do Queens, em Nova York, onde viveu em meados dos anos 1980.

Esta é a segunda parceria entre Teixeira e Gray: o brasileiro trabalhou no filme anterior do norte-americano, a ficção científica “Ad Astra”, protagonizada pelo astro Brad Pitt em 2019. O elenco de “Armageddon Time” é encabeçado pelos atores Anthony Hopkins, Anne Hathaway e Jeremy Strong.



Anthony Hopkins e Anne Hathaway nas filmagens de "Armageddon Time" - Foto: IMDb.com
Anthony Hopkins e Anne Hathaway nas filmagens de “Armageddon Time” – Foto: IMDb.com

De acordo com Teixeira, o projeto de “Armageddon Time” foi desenvolvido no escritório da RT Features em São Paulo. “Ficamos muito felizes de ver o trabalho de James selecionado para Cannes. Essa é uma história muito pessoal para ele. E, mesmo sendo falado em inglês, e dirigido por um americano, ‘Armageddon Time’ tem DNA majoritariamente brasileiro”, declarou o produtor.

Grandes nomes na Croisette

A seleção oficial do Festival de Cannes de 2022 também traz novos trabalhos de outros diretores renomados. Entre eles estão o canadense David Cronenberg (“Marcas da Violência”), a francesa Claire Denis (“Desejo e Obsessão)”, o japonês Hirokazu Kore-eda (“Assunto de Família”), o romeno Cristian Mungiu (“4 Meses, 3 Semanas e 2 Dias”), a americana Kelly Reichardt (“First Cow”), os belgas Luc e Jean-Pierre Dardenne (“A Criança”) e o coreano Park Chan-wook (“Oldboy”).

Fora de competição, Cannes também promete chamar a atenção, apresentando o blockbuster “Top Gun: Maverick”, estrelado por Tom Cruise, e a cinebiografia de Elvis Presley, dirigida por Baz Luhrmann (“Moulin Rouge”). Outro filme muito aguardado que será apresentado em pré-estreia especial é o drama fantástico “Three Thousand Years of Longing”, primeiro filme de George Miller desde “Mad Max: Estrada da Fúria”. O elenco é formado por Idris Elba e Tilda Swinton.

Apesar de toda a badalação, Cannes continua a falhar no quesito da representatividade feminina na seleção oficial. Entre os 21 filmes que concorrem à Palma de Ouro, apenas cinco são dirigidos por mulheres. Junto com as já citadas Claire Denis e  Kelly Reichardt, estão a ítalo-francesa Valeria Bruni-Tedeschi (“Um Castelo na Itália”), a francesa Léonor Serraille (“Jovem Mulher”) e a belga Charlotte Vandermeersch (que é atriz e estreia na realização como co-diretora).

Como de hábito, Cannes é a principal vitrine dos filmes que nós veremos nos cinemas no restante do ano e na próxima temporada de premiações. Foi de lá, por exemplo, que saíram “Parasita”, “Retrato de uma Jovem em Chamas” e “Drive My Car” nos últimos três anos. Vale sempre a pena acompanhar a repercussão e anotar os títulos premiados pelo festival e elogiados pela crítica.

Confira a seleção oficial do 75º Festival de Cannes:

Filme de abertura
“Coupez! (Final Cut)”, de Michel Hazanavicius (fora de competição)

Competição
“Holy Spider”, de Ali Abbasi
“Les Amandiers”, de Valeria Bruni Tedeschi
“Crimes of the Future”, de David Cronenberg
“The Stars at Noon”, de Claire Denis
“Frére et Soeur”, de Arnaud Desplechin
“Tori et Lokita”, de Jean-Pierre e Luc Dardenne
“Close”, de Lukas Dhont
“Armageddon Time”, de James Gray
“Broker”, de Hirokazu Kore-eda
“Nostalgia”, de Mario Martone
“R.M.N.”, de Cristian Mungiu
“Triangle of Sadness”, de Ruben Ostlund
“Decisions to Leave”, de Park Chan-wook
“Showing Up”, de Kelly Reichardt
“Leila’s Brothers”, de Saeed Roustayi
“Boy from Heaven”, de Tarik Saleh
“Tchaikovsky’s Wife”, de Kirill Serebrennikov
“Tourment sur les îles”, de Albert Serra
“Mother and Son”, de Léonor Serraille
“Hi-Han (Eo)”, de Jerzy Skolimowski
“Le otto montagne”, de Felix van Groeningen e Charlotte Vandermeersch

Un Certain Regard
“Les Pires”, de Lise Akoka e Romane Gueret
“Burning Days”, de Emin Alper
“Metronom”, de Alexandru Belc
“Retour a Seoul”, de Davy Chou
“Sick of Myself”, de Kristoffer Borgli
“Domingo y La Niebla”, de Ariel Escalante Meza
“Plan 75”, de Hayakawa Chie
“Beast”, de Riley Keough e Gina Gammell
“Corsage”, de Marie Kreutzer
“Butterfly Vision”, de Maksym Nakonechnyi
“Volada Land”, de Hlynur Palmason
“Rodeo”, de Lola Quivoron
“Joyland”, de Saim Sadiq
“The Stranger”, de Thomas M. Wright
“The Silent Twins”, de Agnieszka Smoczynska

Cannes Première
“Esterno Notte”, de Marco Bellocchio
“Nos Frangins”, de Rachid Bouchareb
“Irma Vep”, de Olivier Assayas (série)
“Dodo”, de Panos H. Koutras

Sessões Especiais
“The Natural History of Destruction”, de Sergei Loznitsa
“Jerry Lee Lewis: Trouble in Mind”, de Ethan Coen
“All That Breathes”, de Shaunak Sen

Sessões da meia-noite
“Rebel”, de Adil El Arbi e Bilall Fallah
“Moonage Daydream”, de Brett Morgen
“Smoking Makes You Cough”, de Quentin Dupieux
“Hunt”, de Lee Jung-Jae

Fora de competição
“L’Innocent”, de Louis Garrel
“Top Gun: Maverick”, de Joseph Kosinski
“Elvis”, de Baz Luhrmann
“Three Thousand Years of Longing”, de George Miller
“November”, de Cédric Jimenez
“Masquerade”, de Nicolas Bedos

%d blogueiros gostam disto: