Realizadores do coletivo Filmes do Caixote - Foto: Leo Lara/Universo Produção
Realizadores do coletivo Filmes do Caixote - Foto: Leo Lara/Universo Produção

8ª Mostra Tiradentes SP acontece online com homenagem ao coletivo Filmes do Caixote

Adaptando-se ao ambiente virtual em razão das recomendações de distanciamento social durante a pandemia de Covid-19, a Mostra Tiradentes SP — extensão paulista da Mostra de Cinema de Tiradentes, realizada em Minas Gerais — acontecerá na primeira semana de outubro, em parceria com o Sesc São Paulo. Toda a programação é gratuita.

A abertura será no dia 1º de outubro, às 20h, na plataforma Sesc Digital, com apresentação de performance audiovisual sobre a temática do evento, “A Imaginação como Potência”, mesmo mote da 23ª Mostra de Tiradentes, que teve o crítico Francis Vogner dos Reis como coordenador curatorial.

A abertura também contará com homenagem e debate inaugural com realizadores do coletivo paulista Filmes do Caixote. Formado por Caetano Gotardo, João Marcos de Almeida, Juliana Rojas, Marco Dutra e Sérgio Silva, o grupo foi criado na primeira década do século XXI, quando despontavam também em outro estados coletivos fundamentais no cinema contemporâneo brasileiro, como a Teia em Minas Gerais e Alumbramento no Ceará. Dentre os filmes que integram a mostra está o longa “Trabalhar Cansa” (2011), de Juliana Rojas e Marco Dutra, curtas-metragens que marcaram a carreira dos cineastas, como “Desculpa, Dona Madama” (2013) — único filme dirigido por todos integrantes — e “A Bela P…” (2008), de João Marcos de Almeida e que teve participação de todos os membros como elenco ou trilha sonora.

"Canto dos Ossos" (2020) - Foto: Divulgação
“Canto dos Ossos” (2020) – Foto: Divulgação

A primeira sessão da Mostra Tiradentes SP também terá pré-estreia do longa vencedor da Mostra Aurora da 23ª Mostra Tiradentes: “Canto dos Ossos”, de Jorge Polo e Petrus de Bairros (nossa crítica). Outros filmes que foram exibidos em competição no festival, em janeiro de 2020, também estão na programação, como “Ontem Havia Coisas Estranhas no Céu”, de Bruno Risas (nossa crítica).

Os filmes premiados pelos júris e pelo público de Tiradentes em 2020 também poderão ser conferidos, caso de “Até o fim”, de Ary Rosa e Glenda Nicácio (nossa crítica), e “A Parteira”, de Catarina Doolan, eleitos melhor longa e curta pelo júri popular. Também está na programação o longa “Yãmĩyhex: as mulheres-espírito”, de Sueli Maxakali e Isael Maxakali, vencedor do Prêmio Carlos Reichenbach, entregue ao melhor filme da Mostra Olhos Livres eleito pelo Júri Jovem. Os curtas “A Felicidade Delas”, de Carol Rodrigues, “Inabitáveis”, de Anderson Bardot, “O Verbo Se Fez Carne”, de Ziel Karapotó, e “Pattaki”, de Everlane Moraes, também integram a mostra.

Aqui no Cinematório, você pode conferir nossa cobertura da 23ª Mostra de Tiradentes. Além de críticas, nós também temos entrevistas com realizadores de todos os filmes da Mostra Aurora que serão exibidos na Mostra Tiradentes SP, além de uma conversa com Glenda Nicácio sobre “Até o Fim”.

A Mostra de Tiradentes é uma realização da Universo Produção, responsável também pela CineOP – Mostra de Cinema de Ouro Preto e pela Mostra CineBH.

%d blogueiros gostam disto: